Brasileirão Série A

Desfigurado, Atlético-MG tenta mostrar força do grupo contra o Palmeiras

Sem seis titulares, o Atlético recebe o Palmeiras em um importante duelo, que vale também elevar a moral do time de Milito

Com quase um time de desfalques, sendo seis titulares, o Atlético-MG vai ter que mostrar a força do grupo de jogadores nesta segunda-feira (17), quando recebe o Palmeiras, na Arena MRV, às 20h30. Com o time bem desfigurado, cheio de remendos e improvisações, o Galo tentará vencer um dos melhores times do país.

O Atlético sabe que não poderá contar com nove jogadores para o duelo desta segunda. O técnico Gabriel Milito não tem alguns jogadores devido à Copa América, outros por lesão e ainda mais alguns por suspensão. Mas ele não quer se escorar nessa justificativa.

  • Na Copa América: Arana (Brasil), Alan Franco (Equador) e Vargas (Chile);
  • Lesionados: Otávio, Rubens, Mariano e Zaracho;
  • Suspensos: Everson, Battaglia e Lemos;

Milito só tem um volante apto para o jogo, por exemplo, o jovem Paulo Vitor, que não atua há três meses por conta de uma lesão. Nem o goleiro titular está à disposição, o que dá uma nova chance para outro cria da base atleticana, Matheus Mendes.

Com essa leva de jogadores fora de ação, o treinador deve mandar um time bem diferente a campo, precisando improvisar um volante, jogar com jovens jogadores e mudar alguns de posição. Gustavo Scarpa, que reencontrará o Palmeiras, time onde foi multicampeão, está atuando na esquerda e não na direita, onde se sai melhor, por exemplo.

— Eu entendi a ideia do Milito me utilizando na esquerda. Foi uma posição que joguei bastante no Palmeiras, como ala. O importante para mim é o desempenho da equipe. Sei que a gente está bem desfalcado, e todo mundo tem que abrir mão de algo. Estou aqui para servir o Galo e tentar ajudar de alguma forma — disse o meia.

Ao vencer o Bragantino no último jogo, Scarpa falou sobre a importância da vitória para dar moral ao grupo, que, muito desfalcado, estava desacreditado por parte da torcida, que pede por reforços.

Ainda mais desfalcado agora contra o Palmeiras, que é um adversário mais poderoso, o Atlético terá a chance de mostrar, de fato, que o grupo tem qualidade para suprir as ausências, mesmo que elas sejam muitas e destruam a espinha dorsal do time.

A gente está com bastante desfalques, mas todo mundo que está vestino a camisa do Galo tem qualidade e capacidade para isso. Ao invés de pensar nos que não estão disponíveis, temos que valorizar os que vão poder jogar na segunda — Gustavo Scarpa

Retorno fundamental de Hulk

A notícia boa para o Atlético é o retorno de seu principal jogador. Hulk teve uma lesão na posterior da coxa esquerda há duas semanas. Sempre muito dedicado, se recuperou rapidamente e só ficou de fora de um jogo. O Galo anunciou o retorno dele no sábado (15).

O camisa 7 deve voltar como titular e formar a famosa dupla com Paulinho no ataque.

Como se adaptar a tantos jogadores diferentes?

O Atlético sofre com esse problema de ausências há alguns jogos, basicamente desde a lesão de Otávio, e vem tendo formações diferentes a cada jogo. As mudanças não ocorrem necessariamente por opção, mas por necessidade.

Com tantas trocas no time, Scarpa afirmou que a palavra da vez é adaptação. Cada um precisa entender a posição que será colocado, mesmo que seja um canhoto na lateral-direita, um meia de zagueiro, entre outros, se for necessário. O momento é de acatar e dar o melhor para fazer o que for pedido.

— Todo mundo aqui é profissional e tem noção do peso que é vestir a camisa do Galo. Eu não sou um ponta de origem e às vezes sou colocado lá. A estratégia de jogar rápido, de ir pra cima. No meu caso, tento colocar isso como minha meta e desempenhar essa função da melhor forma — afirmou o meia, que exaltou, por exemplo, o jovem Rômulo, zagueiro e destro, escalado pela esquerda e dando conta do recado.

Scarpa ainda explicou que é impossível cumprir 100% do que o treinador pede, pois o jogo é dinâmico, então é importante mesclar isso com as características de cada um.

Para o jogo desta segunda, zagueiro Bruno Fuchs deve ser improvisado como volante, por exemplo. Rômulo deve seguir como zagueiro pela esquerda, mesmo destro. Scarpa também atuará por essa faixa, mesmo que se saia melhor na direita. Igor Gomes deve ser titular e ter obrigações mais defensivas sem a bola. E Pedrinho é outro que deve ter chance.

 

Foto de Alecsander Heinrick

Alecsander HeinrickSetorista

Jornalista pela PUC-MG, passou por Esporte News Mundo e Hoje em Dia, antes de chegar a Trivela. Cobriu Copa do Mundo e está na cobertura do Atlético-MG desde 2020.
Botão Voltar ao topo