Brasileirão Série A

Datas, locais e ajuda financeira aos clubes gaúchos: como foi a reunião da CBF

Autorização para inversão de mando de campo e realização de jogos adiados nas Datas Fifa foram algumas das definições do Conselho Técnico Extraordinário da Série A

Na tarde desta segunda-feira (27), aconteceu na sede da CBF, no Rio de Janeiro, o aguardado Conselho Técnico Extraordinário, com a presença do presidente da entidade, Ednaldo Rodrigues, e dos representantes dos clubes da Série A do Campeonato Brasileiro. A pauta envolveu a retomada da competição depois das enchentes que assolaram o Rio Grande do Sul, adiando quatro jogos dos times gaúchos e duas rodadas completas.

O que foi decidido na reunião da CBF

  • Permissão para inversão de mando de campo e/ou jogos em campo neutro
  • Jogos adiados nas datas FIFA
  • Datas de jogos adiados da Copa do Brasil

O que mais foi debatido na reunião da CBF

  • Ajuda de custo da CBF para clubes gaúchos
  • Gre-Nal no Maracanã

Inversão de mando e/ou campo neutro

Do ponto de vista técnico, a principal novidade foi a flexibilização da norma da CBF que não permitia inversão de mando de campo e jogos em campo neutro. A iniciativa visa não prejudicar tanto a dupla Gre-Nal, que por um bom tempo não poderá mandar partidas em seus estádios, que foram muito danificados pelas enchentes em Porto Alegre.

Por exemplo, conforme apurado pela Trivela, Grêmio e Botafogo chegaram a acertar a inversão do mando de campo da partida válida pela nona rodada do Campeonato Brasileiro, que seria na Arena do Grêmio. Porém, a remarcação da partida para dia 16 de junho inviabilizou a realização do duelo no Estádio Nilton Santos, que receberá show nesta data. No final das contas, o Tricolor Gaúcho mandará o jogo no Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul.

Quando não houver possibilidade de inversão do mando de campo, outra alternativa seria que os dois jogos entre Grêmio e Internacional contra seus adversários, no primeiro e no segundo turno, fossem realizados em campo neutro. Tudo passa pelo acerto entre as equipes, e a pela avalização da CBF.

Datas de jogos adiados

A reunião na sede da entidade, no Rio de Janeiro, também definiu que os jogos adiados serão realizados nos períodos de Data Fifa. Foi a alternativa encontrada para que o Brasileirão termine na data prevista — 8 de dezembro —, não interferindo no período de férias dos atletas e no calendário da temporada seguinte, como aconteceu durante a pandemia da COVID-19.

Essa decisão contou com adesão da maioria dos clubes, ainda que alguns deles sejam prejudicados por conta de jogadores convocados para suas seleções. É o caso do Flamengo, cujo vice-presidente de futebol, Marcos Braz, havia se queixado em declaração após a CBF adiar duas rodadas completas do Campeonato Brasileiro.

Com relação a datas, os clubes gaúchos também foram comunicados sobre quando acontecerão suas partidas adiadas da terceira fase da Copa do Brasil. Internacional e Juventude se enfrentarão nos dias 3 e 13 de julho, com o mando do primeiro jogo sendo do Colorado, em local ainda a definir, e o segundo, do Juventude, no Alfredo Jaconi. Grêmio e Operário/PR, que empataram por 0 a 0 na partida de ida, em Ponta Grossa, duelarão no dia 13 de julho, em local indefinido.

Gre-Nal no Maracanã?

Outra questão que gera expectativa é quanto ao palco do Gre-Nal do Campeonato Brasileiro, previsto para o final de semana do dia 23 de junho. Foi sugerido aos clubes que o clássico seja realizado no Maracanã, no Rio de Janeiro, mas isso depende de aprovação do Grêmio, que é o mandante desta partida do primeiro turno.

Clubes gaúchos pedem apoio financeiro à CBF

Por fim, mas não menos importante, Grêmio, Internacional e Juventude solicitaram apoio financeiro à CBF devido aos prejuízos estruturais (que o Inter, por exemplo, estima em R$ 35 milhões) e logísticos que tiveram. A entidade não garantiu, mas deve fornecer esse suporte.

Tragédia climática no Rio Grande do Sul deixou mais de 160 mortos

Os temporais que iniciaram no dia 29 de abril no Rio Grande do Sul deixaram 169 mortos, 53 desaparecidos e 806 feridos, conforme o último levantamento da Defesa Civil gaúcha. Há 637,4 mil pessoas fora de casa. Desse total, são mais de 48.789 acolhidos em abrigos e 581.638 desalojados (pessoas que estão nas casas de familiares ou amigos). Estima-se que mais de 2,3 milhões de pessoas foram afetadas de alguma forma pelas enchentes. 469 dos 497 municípios do estado registraram algum tipo de transtorno.

Foto de Nícolas Wagner

Nícolas Wagner

Gaúcho, formado em jornalismo pela PUC-RS e especializado em análise de desempenho e mercado pelo Futebol Interativo. Antes da Trivela, passou pela Rádio Grenal e pela RDC TV. Também é coordenador de conteúdo da Rádio Índio Capilé.
Botão Voltar ao topo