Brasil

Voto de confiança em Eduardo é merecido, afinal, o Botafogo precisa muito dele em 2024

Eduardo foi um dos principais jogadores do Botafogo em 2023, ainda que tenha perdido fôlego na reta final, assim como todo o elenco

Ainda que tenha perdido o gás e sofrido críticas na reta final do Campeonato Brasileiro, Eduardo foi fundamental para o Botafogo estivesse na luta pelo luto. O meia teve primeiro semestre de gala, digno dos melhores de sua posição no futebol nacional e, por isso, receberá voto de confiança de Textor na próxima temporada. Mesmo com sondagens de outros clubes, o camisa 33 ficará no Glorioso.

A permanência de Eduardo é um plano interessante do investidor americano, que poderia negociá-lo aos interessados, mas está ciente que o futebol do meia não desapareceu. Assim como todo o elenco do Botafogo, o sheik precisa de confiança e nada melhor do que mais uma temporada como titular para se provar novamente. Ele pode voltar a fazer toda a diferença para o Alvinegro.

Primeiro semestre impressionante de Eduardo

O início de ano do meia foi simplesmente avassalador. Como teve uma lesão na coxa no fim da última temporada, Eduardo só estrou em março, já pela Copa do Brasil, diante do Brasiliense, e entrou em grande sequência. Foram sete gols e uma assistência nos primeiros oito jogos, entre as mais variadas competições. Era só um gostinho do que estaria por vir, especialmente no Brasileirão. 

botafogo-vence-o-grêmio
Eduardo celebra um de seus gols mais importantes de 2023, contra o Grêmio, em Porto Alegre (Foto: Iconsport)

A campanha impressionante do Botafogo do primeiro turno passou pelos pés de Eduardo. Catalisador do meio-campo, e com muito faro de gol, o camisa 33 teve oito participações diretas em tentos no primeiro turno, segundo destaque no quesito, atrás apenas do artilheiro Tiquinho Soares. Quando não conseguia a assistência, participava bem das jogadas. Foi um dos, senão o melhor meia do campeonato até aquele momento. Ninguém poderia se preparar para o que estaria por vir.

Meia perde o nível, assim como o restante do time

Mesmo que tenha focado exclusivamente no Campeonato Brasileiro, o Botafogo entregou uma campanha de rebaixado no segundo turno. Entre Bruno Lage, Lúcio Flávio e Tiago Nunes, o elenco não conseguiu se acostumar com as ideias e acumulou derrotas inexplicáveis, que minaram a confiança do time. Um dos que mais perdeu nível foi justamente Eduardo.

Depois de ter concedido uma assistência na última partida do primeiro turno, Eduardo só voltou a participar de um gol na 27ª jornada, diante do América Mineiro, a última vitória do Botafogo na competição. Nem mesmo os tentos contra Palmeiras e Red Bull Bragantino, além do passe em empate com o Coritiba, que selou o destino do Glorioso, puderam salvá-lo.

  • 49 jogos (46 como titular)
  • 19 participações em gol (12 gols e 7 assistências)
  • 3837 minutos (entre os cinco que mais vestiram a camisa do Botafogo em 2023)

Falta de um substituto direto é agravante para permanência

É claro que John Textor espera o Eduardo do primeiro semestre no início de 2024, e seu voto de confiança passa muito por isso, mas o Botafogo não sentará para negociar o meia com ninguém por outro motivo: a falta de opções. Eduardo, além de talentoso, é um jogador único no elenco do Glorioso, com características ofensivas de criação e visão de jogo. Falta alguém com essas mesmas qualidades.

Por isso o Botafogo não pensa em se desfazer de Eduardo, muito pelo contrário, quer buscar um outro jogador com as mesmas características para brigar pela posição e, até, atuar em harmonia no time titular. O Alvinegro quer que exista uma competição saudável no setor, algo que não aconteceu em 2023. Essa informação foi publicada inicialmente pelo ge.

Eduardo, assim como todo o elenco do Botafogo, viveu momento ruim na segunda metade da temporada (Foto: Icon sport)

Até o momento, as sondagens por Eduardo foram tratadas diretamente pelo seu estafe e sequer chegaram ao Botafogo. O meia é esperado na reapresentação do Glorioso, marcada para o dia 7 de janeiro, em General Severiano. A pré-temporada deve ser definições, já que a equipe de Tiago Nunes terá o Carioca e a pré-Libertadores no primeiro mês do ano.

Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues

Jornalista formado pela UFF e com passagens, como repórter e editor, pelo LANCE!, Esporte News Mundo e Jogada10. Já trabalhou na cobertura de duas finais de Libertadores in loco. Na Trivela, é setorista do Vasco e do Botafogo.
Botão Voltar ao topo