Brasil

Do céu ao inferno: Botafogo viveu maior vexame da história do Brasileiro por pontos corridos

Depois de liderar a competição por 31 rodadas, fazendo o torcedor sonhar com o título, o time fracassou no returno e ficou até fora do G4 do Brasileiro

O Botafogo viveu, em 2023, um dos maiores vexames da história do futebol brasileiro. Certamente, a maior vergonha do Campeonato Brasileiro por pontos corridos. E o clube ficou longe de ser rebaixado ou algo do tipo. Líder por 31 rodadas, o Botafogo conseguiu perder o título para o Palmeiras e, para piorar a situação, ainda terminou o Brasileirão fora do G4, ficando também sem a vaga direta para a fase de grupos da próxima Copa Libertadores de 2024.

Antes de começar o Brasileirão, até pelo fracasso no Campeonato Carioca, o Botafogo não era apontado como um dos favoritos ao título. E, de fato, não era. Com adversários com elencos mais qualificados e vivendo momentos melhores no começo da temporada, o Glorioso tinha como objetivo se classificar para a Copa Libertadores. Mas as coisas mudaram logo no começo da competição.

Com um ótimo início de Brasileiro, com 100% de aproveitamento, o Botafogo já assumiu a liderança na terceira rodada, ao vencer o Flamengo por 3 a 2, no Maracanã. Com um time bem ajustado, intenso e apostando nas transições rápidas, a equipe de Luís Castro era sólida na defesa e eficiente no ataque. O Botafogo só teve a sequência inicial de vitórias interrompida na sexta rodada, ao levar 2 a 1 do Goiás, na Serrinha. Depois de mais duas vitórias, o time carioca voltou a perder para o Athletico-PR, também fora de casa. Mas, neste momento, na nona rodada, o clube já tinha três pontos de vantagem sobre o Palmeiras, então vice-líder.

O Botafogo logo se recuperou da derrota para o Furacão e começou uma longa sequência de vitórias. Nem mesmo a inesperada saída de Luís Castro abalou, naquele momento, o time. Quando o português deixou o clube, poucos dias depois de uma marcante vitória por 1 a 0 sobre o Palmeiras, o Glorioso tinha sete pontos de vantagem sobre o Grêmio. Com o interino Caçapa e, depois, Bruno Lage, o Botafogo manteve a boa sequência e fechou o melhor primeiro turno da história do Brasileirão por pontos corridos com 20 times. Naquele momento, o clube teve a sua maior vantagem sobre o vice-líder: 13 pontos na frente do Grêmio.

Botafogo fez primeiro turno histórico, mas fracassou no returno e ficou sem o título do Brasileiro (Foto: Vitor Silva/Botafogo)

Mas, logo no começo do segundo turno, começaram os problemas. A derrota para o Flamengo, no começo de setembro, acabou com o 100% de aproveitamento do Botafogo no Nilton Santos e acabou com uma sequência de 12 jogos sem perder no Brasileiro. O time carioca, então, ficou quatro jogos sem vencer e, no fim dessa sequência, após o empate com o Goiás, técnico Bruno Lage foi demitido.

Com Lúcio Flávio, o Botafogo venceu as duas primeiras partidas, contra Fluminense e América-MG, e até deu sinais de que iria recuperar o rumo pelo título. No fim da 27a rodada, após bater o Coelho, o Glorioso tinha incríveis 11 pontos de vantagem sobre o Red Bull Bragantino e 14 pontos a mais que o Palmeiras, que era apenas o quinto colocado naquele momento.

Mas a recuperação do Botafogo parou por ali. Com problemas dentro e fora de campo, o time perdeu quatro jogos seguidos, incluindo as traumáticas derrotas por 4 a 3 para o Palmeiras e o Grêmio, ambas em casa, e, depois do empate com o Red Bull Bragantino, na 34 rodada, o Botafogo deixou a liderança do Brasileirão para nunca mais voltar. Nem mesmo a chegada de Tiago Nunes para os últimos cinco jogos do ano conseguiu salvar o time. O Glorioso terminou o Brasileiro com 11 jogos sem vencer e, no fim, com uma derrota para o Inter, ficou até fora do G-4.

Botafogo de Tiquinho Soares protagonizou o maior vexame da história do Brasileirão por pontos corridos (Foto: Icon sport)

O que deu certo para o Botafogo no Campeonato Brasileiro?

Enquanto a base do time titular esteve bem fisicamente, o Botafogo viveu o seu grande momento na temporada. Até quando Luís Castro fazia algumas poucas alterações, principalmente nas pontas, o Glorioso ia bem. Com Caçapa, mantendo a mesma base e, depois, com Bruno Lage na reta final, o Botafogo fez o melhor primeiro turno da história do Brasileirão, o que não dá para se jogar fora, mesmo com o fracasso no fim da campanha.

O que deu errado para o Botafogo na Campeonato Brasileiro?

A troca de treinadores foi essencial para a queda de produção do Botafogo no segundo turno do Brasileirão. Entre interinos e efetivados, foram cinco técnico no clube ao longo da competição. A falta de reposição no elenco também atrapalhou o time. O time carioca sofreu com problemas em algumas posições, como nas laterais e no meio. E, no fim, até mesmo alguns destaques do clube, como Tiquinho Soares e Lucas Perri, também caíram de produção e deixaram a desejar na briga pelo título.

Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues é jornalista formado pela UFF e soma passagens como repórter e editor de Lance!, Esporte News Mundo e Jogada10.
Botão Voltar ao topo