Ásia/Oceania

Casa garantida e salário de R$ 20 mil: a Arábia Saudita procura jogadores pelo mundo

Nem só de estrelas mundiais é feito o futebol da Arábia Saudita, que quer fortalecer toda sua estrutura no esporte através do dinheiro

A Arábia Saudita causou uma nova dinâmica no mercado do futebol em 2023, ano que ficou marcado pela ida maciça de jogadores renomados para o futebol do país. Com investimento astronômico do governo do país, clubes como Al-Ahli, Al-Nassr, Al-Hilal e Al-Ittihad tiraram craques da Europa. Cristiano Ronaldo, Neymar, Mané, Benzema, Roberto Firmino, são apenas alguns exemplos.

Contudo, nem só de estrelas mundiais é feito o futebol saudita. Isso porque o país quer fortalecer toda sua estrutura no esporte através do dinheiro, inclusive as divisões abaixo da Saudi Pro League (1ª divisão). Recentemente, uma oferta ‘maluca' chamou a atenção do mundo, já que a 3ª divisão da Arábia Saudita ofereceu empregos de jogador de futebol.

Na oferta de trabalho, um salário entre € 3 mil a € 4 mil (cerca de R$ 16 mil a R$ 21 mil) mais uma casa garantida. A proposta foi divulgada pela FutbolJobs, que é um portal de emprego e rede de futebol profissional criado em 2013 para conectar diretamente diferentes usuários do mundo do esporte. E os sauditas aproveitaram a ferramenta para convidar jogadores internacionais.

Inicialmente, a Arábia Saudita queria impactar o esporte levando grandes nomes, com uma carreira já consolidada. Agora, na intenção de evoluir ainda mais o futebol local, o país quer uma base de jogadores estrangeiros nas demais divisões. Para convencer esse perfil de atletas, os sauditas adotaram a mesma estratégia de sucesso: questão financeira como poder de convencimento.

Arábia Saudita também quer jogadores mais modestos

Em junho de 2023, a Arábia Saudita fez uma proposta, através da FutbolJobs, classificada como urgente. Os benefícios envolviam um salário de até R$ 21 mil reais mensais mais o valor de uma moradia, cuja despesa fixa ficaria a cargo do clube contratante. Além disso, o país delimitou quais as posições mais necessárias na oferta de emprego.

Entre elas, estavam centroavante, ponta-esquerda, ponta-direita, volante criativo, volante marcador e zagueiro. Os goleiros foram excluídos desta proposta. E não só jogadores tiveram a oportunidade de trabalhar no futebol saudita, já que uma oferta histórica foi feita para o cargo de treinador: € 5 milhões (aproximadamente R$ 26,7 milhões) para toda uma comissão técnica.

Para ambas as ofertas, um dos requisitos essenciais era ser um jogador/treinador livre no mercado e estar pronto para ingressar imediatamente. As informações são do jornal espanhol Marca. E a Arábia Saudita também não se esqueceu do futebol feminino, pois o país também utilizou a plataforma para oferecer sua primeira oferta de emprego para mulheres atuarem no esporte local:

“São procuradas jogadoras para seleções femininas da 1ª e 2ª divisão da Arábia Saudita e entre seus requisitos a jogadora deve ter sido convocada por seu país na última Copa do Mundo de Futebol Feminino”, diz uma das propostas da FutbolJobs.

O salário dessa oferta era de US$ 5 mil (cerca de R$ 24,4 mil) por mês. A resposta na plataforma foi estupenda, já que 965 jogadoras se candidataram à vaga de emprego no futebol saudita. O país está pensando a curto, médio e longo prazo para transformar seu campeonato em uma das potências mundiais, assim como as cinco grandes ligas europeias.

Investindo desde a base da cadeia, a Arábia Saudita quer as estrelas e os jogadores/as modestos/as. As propostas já existem. Agora, resta aos candidatos passarem no processo seletivo.

Foto de Matheus Cristianini

Matheus Cristianini

Formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Unesp, é apaixonado por esportes, acima de tudo o futebol. Por mais redundante que seja, ama escrever sobre o que é apaixonado, ficando de olho em tudo o que acontece dentro e fora de campo. Após passar por Antenados no Futebol, Bolavip Brasil, Minha Torcida e Esportelândia, se juntou à equipe da Trivela com muita vontade de continuar crescendo.
Botão Voltar ao topo