Ásia/Oceania

CR7 fora do Mundial: em jogo tenso, Al-Nassr é eliminado da Champions Asiática pelo Al Ain

Cristiano Ronaldo vai mal, perde gol feito e Al-Nassr fica pelo caminho na principal competição de clubes do continente

O confronto entre Al-Nassr e Al-Ain teve de tudo um pouco. Emoção até o fim, falhas gritantes dos dois lados e foi um prato cheio para os amantes do esporte bretão. Os times se enfrentaram pelas jogo de volta das quartas de final da Champions Asiática. Após vitória por 4 a 3 do time saudita na prorrogação, o confronto foi para as penalidades e o time emiradense levou a melhor, vencendo por 3 a 1 na série decisiva.

O duelo foi marcado por uma exibição muito abaixo da média de Cristiano Ronaldo, que perdeu um gol feito no segundo tempo e embora tivesse deixado a sua marca no final do segundo tempo da prorrogação, em cobrança de pênalti, não foi nem sombra do atacante que costuma decidir nos momentos importantes. Mané, Brozovic e companhia também não foram nada bem e o alto investimento do time saudita para vencer a competição continental não valeu de nada diante de um organizado Al-Ain comandado por Hernán Crespo.

A equipe dos Emirados Árabes aguarda agora a definição do confronto entre Al-Ittihad e Al-Hilal para conhecer o seu adversário na semifinal da Champions Asiática. No jogo de ida, o time de Jorge Jesus levou a melhor e venceu pelo placar de 2 a 0. O confronto da volta está marcado para esta terça-feira (12) às 16h (horário de Brasília).

Soufiane Rahimi tem noite de carrasco do Al-Nassr no primeiro tempo

O Al-Ain foi mais eficiente que o Al-Nassr no primeiro tempo. O começo de jogo foi bem pegado, com faltas duras e a equipe dos Emirados Árabes marcando forte e aproveitando espaços nas costas da defesa do adversário para conseguir contra-atacar. A primeira boa chance do jogo veio em bola parada aos cinco minutos de jogo. Alex Telles cobrou falta na medida do lado esquerdo e achou a cabeça do zagueiro Al-Fatil, que obrigou o goleiro Eisa a fazer uma grande defesa.

O Al-Ain aproveitou do nervosismo do Al-Nassr em campo para picotar o jogo e aproveitar as chances que teve para criar perigo. Soufiane Rahimi, assim como foi no jogo de ida, infernizou a defesa do time treinado por Luis Castro e marcou o primeiro gol do jogo aos 28 minutos, em lance revisado pelo VAR. O atacante marroquino recebeu passe em profundidade de Matias Palacios, saiu em posição legal e tocou na saída do goleiro Najjar, abrindo o placar no Al-Awwal Park.

A desvantagem no marcador deixou o Al-Nassr ainda mais nervoso, que perdeu a sua organização e passou a errar muitos passes. Se Brozovic foi bem na distribuição das jogadas, Otávio não acompanhou o ritmo do jogo e Sadio Mané pouco fez por conta do bom trabalho de marcação do lateral-esquerdo brasileiro Erik, revelado no Internacional.

Se a situação já estava ruim para o time de Cristiano Ronaldo, ficou ainda pior aos 45 minutos após saída de bola errada da defesa do time saudita. Em mais um passe de Matias Palacios Soufiane Rahimi aumentou ainda mais a fama de carrasco do Al-Nassr e mandou no canto direito de Najjar, marcando o segundo gol do Al-Ain no confronto. Para amenizar o prejuízo enorme no primeiro tempo, Ghareeb aproveitou chute cruzado de Mané para mandar para o fundo do gol, dando uma réstia de esperança ao torcedor presente no Al-Awwal Park.

Time saudita renasce das cinzas e vira o jogo no segundo tempo

Não havia outra alternativa ao Al-Nassr que não subir ainda mais a suas linhas de defesa para conseguir o empate no segundo tempo e aos seis minutos, Otavio contou com a ajuda do goleiro Eisa para deixar tudo igual no confronto, colocando ainda mais emoção no duelo.

O português foi lançado na direita e tentou o cruzamento, a bola bateu no bom goleiro do Al-Ain e foi para o fundo do gol. Mané pouco fez no primeiro tempo, porém foi o jogador que todos esperam na etapa complementar. Insinuante, criou muito mais pela direita e foi protagonista de uma das melhores chances do Al-Nassr no segundo tempo.

Após mais uma jogada do senegalês, Ghareeb chutou, Eisa rebateu nos pés de Cristiano Ronaldo, que sozinho, perdeu um gol feito. Aliás, precisamos falar da exibição do astro português, que apesar de sua qualidade e poder de decisão, errou lances que não está acostumado e foi muito abaixo do esperado nos dois jogos diante do Al-Ain.

Mas um time como o Al-Nassr não pode ser desconsiderado em nenhuma circunstância e Alex Telles, de falta, aos 29 minutos, colocou o time saudita na frente, virando um confronto que parecia perdido. O futebol é um esporte apaixonante justamente por conta das mudanças de roteiro em confrontos como o desta segunda-feira.

A equipe do Al-Ain teve o controle das ações durante o primeiro tempo, mas o Al-Nassr, como a lendária Fênix, renasceu no jogo e conseguiu virar o jogo, atingindo o psicológico do time dos Emirados Árabes, que abusou dos chutões e tentou segurar a vantagem cedo demais.

Pênalti no fim da prorrogação salva Al-Nassr

A prorrogação entre Al-Nassr e Al-Ain começou quente. Visivelmente pilhado com toda a circunstância do jogo, o time saudita se demonstrou muito nervoso em campo e o descontrole emocional da equipe ficou ainda mais aflorado quando Ayman Ahmed em um lance completamente isolado, acabou entrando por cima da bola sobre Al Ahbabi e após revisão do VAR foi expulso de campo.

O castigo foi quase imediato. Matias Palacios cruzou, Raghid Najjar falhou de forma inacreditável e a bola sobrou para Al Shamsi que mandou para a rede, empatando o jogo. Mas quando se tem Cristiano Ronaldo em campo, tudo é possível, mesmo com um jogador a menos em campo. Foi assim, na base do abafa, que o Al-Nassr achou um pênalti em cima do português aos 12 minutos do segundo tempo do tempo extra.

Foi a primeira vez que o atacante apareceu de forma mais efetiva em campo, e o astro não decepcionou, bateu com categoria e colocou o time em saudita em vantagem de novo, levando a decisão para os pênaltis.

Al-Nassr falha nos pênaltis e dá adeus à Champions Asiática

Em um jogo repleto de falhas, erros individuais e muito nervosismo por parte do Al-Nassr, faltou tranquilidade e personalidade ao time de Luis Castro nas cobranças de pênaltis que culminou na eliminação do time saudita. Brozovic, Alex Telles e Otávio erraram as suas cobranças, enquanto o carrasco Rahimi, Kaku e Al Shamsi fizeram para o time do Al-Ain. Cristiano Ronaldo fez o único gol para o time saudita, que acabou derrotado por 3 a 1 na série decisiva.

Melhor para a equipe dos Emirados Árabes, que foi melhor em três dos quatro primeiros tempos desta maluca decisão, que foi de encher os olhos para quem acompanhou e um balde de água fria no planejamento do poderoso Al-Nassr, que tinha na competição continental o seu principal objetivo da temporada.

Foto de Lucas de Souza

Lucas de Souza

Esse é Lucas de Souza, redator e repórter do Futebol na Veia e da Trivela. Jornalista especializado em Marketing digital é também narrador do Portal Futebol Interior e da RP2Marketing.
Botão Voltar ao topo