Ásia/Oceania

Al-Ain é eficiente, marca um gol e complica a vida do Al-Nassr na Champions Asiática

Time treinado por Hernán Crespo neutraliza as ações ofensivas da equipe de Cristiano Ronaldo

O Al-Nassr fez um jogo muito aquém do esperado diante do Al-Ain, dos Emirados Árabes e treinado por Hernán Crespo, ex-São Paulo, pelo jogo de ida das quartas de final da Champions Asiática. Os comandados de Luís Castro sentiram muita dificuldade para furar o bloqueio da defesa adversária e quando conseguiu, o goleiro Eisa fechou a meta. O gol do jogo foi marcado por Soufiane Rahmi e poderia ter aproveitado melhor os espaços que teve para contra-atacar.

Pelos lados do Al-Nassr faltou criatividade e um pouco mais de capricho nas finalizações quando o time conseguiu criar uma chance mais clara. Agora, a equipe de Cristiano Ronaldo, Mané e companhia precisa vencer por um gol de diferença na volta para ao menos levar a disputa para a prorrogação. Em caso de empate, o time dos Emirados Árabes elimina o gigante saudita e seguirá em frente na competição.

Al-Ain surpreende e sai em vantagem

No primeiro tempo de jogo, foram cinco finalizações do Al-Ain, quatro na direção do gol, contra seis do Al-Nassr, sendo apenas duas na direção do goleiro Eisa. Sem Talisca, que se machucou momentos antes do jogo, o Al-Nassr teve dificuldades para criar oportunidades de gol no primeiro tempo de jogo no Estádio Hazza Bin Zayed.

Mais do que isso, os comandados de Luis Castro também não conseguiam se defender muito bem. O Al-Ain conseguia se defender bem e atacava com qualidade, principalmente com Matías Palacios, que aproveitava os espaços do lado direito da defesa do time árabe para levar vantagem e criar perigo.

O argentino, teve grande chance em chute cruzado defendido por Ospina que trabalhou bem nos primeiros 45 minutos, mas não conseguiu evitar o gol marcado por Soufiane Rahmi, que saiu na cara do colombiano e tocou com categoria aos 44 minutos para abrir o placar. Vale lembrar que o Al-Ain, que marcava muito bem e poderia ter aumentado ainda mais a vantagem na primeira parte do jogo, acabou tendo um gol anulado pelo VAR. Kaku aos 29 minutos mandou a bola para rede, mas na nascente da jogada, Rahimi estava em condição irregular.

Al-Nassr tem Laporte expulso e peca na finalização

Não bastassem os vários problemas em campo, seja tática ou tecnicamente, a arbitragem de Hiroyuki Kimura também foi um problema à parte durante o jogo. Confuso em algumas marcações, o japonês inverteu algumas faltas e acabou irritando os jogadores do Al-Nassr, que foram melhor na etapa complementar, mas não tiveram o capricho suficiente para empatar o jogo.

Os comandados de Luís Castro dominaram o segundo tempo, finalizaram nove vezes contra a meta de Eisa, três na direção da meta.  Cristiano Ronaldo teve chance clara para marcar antes dos acréscimos, mas o goleiro do Al-Ain fez uma defesa monumental, evitando o gol do Al-Nassr. O tempo foi passando e até o time dos Emirados Árabes começou a se irritar com o árbitro, que continuou mal na partida e ainda expulsou Laporte, que acabou saindo de campo mais cedo após confusão com um adversário em lance revisado pelo VAR.

Nos minutos finais, o juiz ainda atrapalhou um contra-ataque claro do Al-Ain, que poderia ter aumentado a vantagem e praticamente definido o confronto. Porém, após o apito final do confuso árbitro, a torcida da casa comemorou demais a vitória e a possibilidade de seguir em frente na principal competição de clubes da Ásia, eliminando um dos gigantes do torneio.

Foto de Lucas de Souza

Lucas de Souza

Esse é Lucas de Souza, redator e repórter do Futebol na Veia e da Trivela. Jornalista especializado em Marketing digital é também narrador do Portal Futebol Interior e da RP2Marketing.
Botão Voltar ao topo