Libertadores

Agora só falta brilhar: James vive fato inédito em cinco meses pelo São Paulo

Colombiano será titular pelo segundo jogo consecutivo com missão de comandar equipe contra o Cobresal

Lucas Moura é desfalque com uma lesão muscular, Calleri até deve jogar, mas no sacrifício, e o protagonismo no São Paulo nunca recaiu tanto sobre James Rodríguez quanto nesta quarta-feira (10). Agora cabe ao colombiano, enfim assumi-lo com a camisa são-paulina. O meia fará seu segundo jogo como titular do Tricolor em 2024 a partir das 21h30 (horário de Brasília), contra o Cobresal, no MorumBIS, pela segunda rodada do Grupo B da Libertadores. O duelo é mais uma chance para ele finalmente mostrar a que veio pelo clube.

Aliás: será a segunda chance seguida para isso. James esteve entre os 11 iniciais do São Paulo pela primeira vez em 2024 na  derrota por 2 a 1 para o Talleres, na última quinta-feira (4), na estreia pela competição continental. O meio-campista resistiu 64 minutos em campo e teve uma atuação participativa, mas discreta até ser substituído por Galoppo.

— Do James, imaginávamos situações que pudessem acontecer, principalmente com Lucas em campo. Em algum momento, a gente precisava dar esse jogo para ele. Jogo grande é para jogador grande. Ele tinha que participar, contribuir e dividir a responsabilidade conosco. Ele foi participativo enquanto suportou. Depois das perdas no primeiro tempo, dificultou aquilo que planejamos para ele — disse Carpini na entrevista após a derrota em Córdoba.

James não inicia dois jogos seguidos há cinco meses

Nesta quarta-feira, James viverá um cenário inédito para ele há mais de cinco meses. Tempo que passou desde a última vez em que ele iniciou dois jogos seguidos pelo São Paulo, em outubro de 2023, quando o meia começou em campo na vitória por 3 a 0 sobre o Grêmio, no dia 21, e na derrota por 5 a 0 para o Palmeiras, no dia 25. Desde então, ele fez apenas oito jogos pelo Tricolor — cinco deles, nesta temporada —, dos quais apenas três, como titular.

O retorno ao time titular contra o Talleres foi considerado positivo pela comissão técnica, mesmo sem o protagonismo esperado. James esteve envolvido na construção de jogadas de ataque da equipe. A avaliação é de que os três desfalques do primeiro tempo — especialmente o de Lucas Moura — prejudicaram seu desempenho. Agora, o clube tem expectativa de que o meia possa enfim comandar a equipe contra o Cobresal.

Cobresal é mais uma chance de (enfim) ser protagonista

A principal competição do continente é vista como (mais uma) chance para James enfim ser o protagonista que sempre se esperou. Nesta quarta-feira, a comissão técnica confia que o meia esteja mais “inteiro” e com mais ritmo de jogo para orquestrar as jogadas de ataque e conduzir a equipe a uma vitória essencial para a permanência de Thiago Carpini.

Mas para tudo isso virar realidade, o meio-campista terá de se livrar de uma sina que o persegue desde sua chegada ao clube. O colombiano sempre correu contra o tempo para entrar em forma e conseguir atende à expectativa que a sua contratação gerou. Uma missão infrutífera até agora, devido a uma série de pequenos problemas físicos, impede que ele engrene em campo.

Por ora, James vive hoje um cenário semelhante ao que foi todo o seu 2023 pelo São Paulo. O meia luta para encontrar a forma física ideal e soma poucos minutos no clube, enquanto brilha sempre que veste a camisa da seleção colombiana. Após começar o ano em trabalhos com carga física controlada, James ainda não conseguiu suportar 90 minutos atuando em intensidade. Pela Colômbia, porém, ele teve participação decisiva na vitória por 1 a 0 sobre a Espanha e foi titular na partida seguinte, com vitória por 3 a 2 sobre a Romênia.

Foto de Eduardo Deconto

Eduardo Deconto

Eduardo Deconto nasceu em Porto Alegre (RS) e se formou em Jornalismo na PUCRS. Antes de escrever para a Trivela, passou por ge.globo e RBS TV.
Botão Voltar ao topo