Libertadores

Diniz elogia Fluminense na Libertadores, mas alerta: ‘Sofreu mais do que devia’

Técnico vê boa atuação de sua equipe em virada sobre o Alianza Lima, mas destaca erros cometidos pela defesa

O Fluminense venceu o Alianza Lima de virada e ampliou sua invencibilidade na Libertadores. A vitória por 3 a 2 fez o Tricolor subir na classificação geral da competição, mas foi conquistada apenas no fim do jogo, com gol de John Kennedy. Embora tenha elogiado a atuação da equipe, o técnico Fernando Diniz alertou para erros na defesa.

— O time sofreu um pouco mais do que devia. Facilitamos. Pelo menos 50% dos erros precisavam ter sido evitados — opinou Diniz.

— Poderíamos ter usado mais o John Kennedy na frente para segurar a posse no ataque. Hoje, facilitamos um pouco nesse sentido. É muito difícil jogar contra esse time, principalmente atrás no placar. Cometemos erros que poderiam ter sido evitados. Um pouco pela qualidade do time deles nesse tipo de jogo, e também porque estávamos mais mexidos para tentar a vitória. Fica um pouco mais desorganizado, mas quem entrou, foi bem e ajudou de maneira contundente a conseguirmos a vitória — completou.

Os 14 pontos na fase de grupos da Libertadores fazem com que o Flu tenha em 2024 uma campanha ainda melhor do que em 2023, quando teve 10. A equipe comandada por Diniz dormirá na segunda posição geral da competição, e só poderá ser ultrapassada por Palmeiras e River Plate.

— É um time mais cascudo, mais experiente. Sabe lidar com a pressão de ser o atual campeão. Jogamos bem, no ano passado, na estreia contra o Sporting Cristal e contra o River Plate, mas depois, fomos mal. Desta vez, terminamos melhor do que no ano passado. Jogamos melhor na primeira fase esse ano do que na temporada passada — afirmou o técnico.

Diniz exalta mudança do Fluminense no segundo tempo

Após sair atrás no placar, o Fluminense voltou ainda mais ofensivo para o segundo tempo. Já com Martinelli na zaga e quatro atacantes desde o início do jogo, o time passou a ter Marquinhos como lateral-direito. Além disso, Ganso entrou ao lado de Lima, e o Tricolor não tinha volantes no meio.

Para Diniz, entretanto, mais do que a tática, a mudança foi de postura. Seu time passou a acelerar mais a troca de passes, tanto que, após empatar o placar, o Flu trocou a velocidade pela pressa.

— A gente pode identificar um padrão de marcação. Onde atacar o Alianza Lima. Uma das coisas foi acelerar o jogo. Abrimos Keno e Marquinhos, colocamos Arias e Ganso por dentro e o John Kennedy junto ao Cano. A velocidade das trocas de passe foi um fator importante. Não sei se estávamos lentos, mas estávamos abaixo do que precisava na velocidade das trocas — analisou.

Diniz admite erros na bola parada, mas não vê padrão

A vitória sobre o Alianza Lima foi construída de virada, e o Fluminense passou boa parte do jogo atrás no placar. Além de ter sofrido um gol logo no início, de bola parada, o Tricolor também voltou a ser vazado pouco após balançar as redes adversárias.

Apesar disso, Fernando Diniz não viu um padrão estabelecido nos erros de sua equipe.

— Sabíamos que a bola parada era uma força deles, mas acabamos tomando gol deles desse jeito. Eles nos surpreenderam com uma jogada nova. No segundo tempo, a aceleração e a velocidade dos passes e dos pontas fez a gente melhorar. Acho que erramos quando empatamos e continuamos acelerando. O time deles é previsível, de certa forma, com muita bola longa. Depois do segundo gol, trocamos a velocidade pela pressa e tivemos dificuldade — opinou.

Como está o Fluminense em 2024

Próximos jogos do Fluminense

Veja os próximos confrontos do Fluminense na continuação da temporada:

  • Fluminense x Juventude — Campeonato Brasileiro — sábado, 1 de junho — 18h30 (de Brasília);
  • Botafogo x Fluminense — Campeonato Brasileiro — terça-feira, 11 de junho — 20h (de Brasília).
Foto de Caio Blois

Caio Blois

Jornalista pela UFRJ, pós-graduado em Comunicação pela Universidad de Navarra-ESP e mestre em Gestão do Desporto pela Universidade de Lisboa-POR. Antes da Trivela, passou por O Globo, UOL, O Estado de S. Paulo, GE, ESPN Brasil e TNT Sports.
Botão Voltar ao topo