Libertadores

Classificação encaminhada na Libertadores mascara um Fluminense que segue mal em 2024

Fluminense segue sem jogar bem, mas resultados aparecem e aliviam atual campeão da Libertadores, que segue com sinal de alerta aceso

O Fluminense pode não ter jogado bem, mas venceu o Colo-Colo fora de casa, por 1 a 0, e encaminhou sua classificação para a próxima fase da Libertadores. Se o resultado veio, o desempenho segue muito aquém do que o Tricolor já mostrou, e mantém aceso o sinal de alerta no clube. O Flu ainda não deslanchou em 2024.

A vitória foi importante para ampliar a vantagem do Fluminense na liderança do grupo A da Libertadores, o que por si só já é um alívio. O Tricolor ainda não foi brilhante na competição, mas é um dos poucos times invictos. A equipe de Fernando Diniz caminha a passos largos para o mata-mata, onde poderá defender seu título como atual campeão.

O problema é que, em campo, o Fluminense se mantém inconstante. Justamente o que fazia o torcedor acreditar nos maus momentos passou a ser uma questão. Mesmo superior tecnicamente à maioria dos adversários que enfrenta, o Tricolor não consegue se impor e mostra os mesmos defeitos jogo após jogo. Contra o Colo-Colo, ao menos, se defendeu melhor.

— Tecnicamente, o time não fez uma partida boa, mas, se analisar o aspecto defensivo, que vocês criticam em alguns momentos, bola aérea, bola parada, foi bem. A coisa principal da estratégia era não sofrer gol e se dedicar ao máximo na marcação. Nós soubemos jogar outro tipo de jogo — disse o técnico após o jogo.

O que deu errado para o Fluminense no Chile

O Fluminense é um time que depende da posse de bola. Mas do momento que Wilmar Roldán assoprou seu apito pela primeira vez no Monumental de Santiago até os 35 minutos do primeiro tempo, o Tricolor não só não teve a bola como não respirou. O Colo-Colo fez muita pressão. Com e sem bola, os chilenos começaram melhor o jogo e colocaram o Flu contra a parede.

Fernando Diniz reclama à beira do campo: Fluminense não teve boa atuação apesar de vitória na Libertadores - Foto: Icon sport
Fernando Diniz reclama à beira do campo: Fluminense não teve boa atuação apesar de vitória na Libertadores – Foto: Icon sport

Ao fim do jogo, Fernando Diniz defendeu sua ideia para a partida ao dizer que a estratégia era “não sofrer gols e se dedicar na marcação”. Pode até ser. Mas é muito pouco para a diferença técnica gigantesca do Fluminense para seus rivais no grupo A da Libertadores. E até aqui o Tricolor não jogou bem na competição que conquistou em 2023.

A opção por Marquinhos na lateral-direita não surtiu o efeito desejado. Não pelo atacante, que mais uma vez se esforçou bastante e não fez um jogo ruim. Mas o restante da linha de defesa não acompanhava a ideia do treinador.

Lentos, Felipe Melo, Manoel e Marcelo não se adiantavam para jogar. Lima e Martinelli ficavam presos, Ganso não tinha espaço nem tempo para pensar e os pontas Arias e Douglas Costa, de pé-trocado, não conseguiam abrir o campo para a bola longa que poderia desafogar a saída. Cano jogava recuado e só marcava. O Fluminense ficou travado.

Fluminense soube sofrer, mas mais uma vez, não precisava

Após o jogo, Marcelo afirmou que o Fluminense “soube sofrer”. Mas não precisava. Melhor tecnicamente, o Tricolor teve mais dificuldades do que deveria, embora o estádio e o adversário não fossem fáceis. O Flu jogou muito pouco.

— Muito importante, partida muito difícil. O mais bonito do futebol é saber sofrer, não desistir e tentar fazer coisas. O rival está muito bem, mas nós soubemos sofrer, tentamos muitas bolas longas, jogamos um jogo diferente, e o futebol é isso. Faltam muitas partidas, mas estamos felizes em continuarmos líderes — afirmou o camisa 12.

Alexsander volta a ter chances e melhora o Fluminense

A lesão que culminou na saída de Douglas acabou por ajudar a equipe. Com Alexsander no meio e Lima adiantado, o time melhorou o suficiente para diminuir a pressão.

Alexsander teve nova chance e aproveitou: o Fluminense melhorou com sua entrada - Foto: MARCELO GONÇALVES / FLUMINENSE FC
Alexsander teve nova chance e aproveitou: o Fluminense melhorou com sua entrada – Foto: MARCELO GONÇALVES / FLUMINENSE FC

Afastado por indisciplina após organizar uma festa na concentração antes da vitória sobre o Vasco, o volante ficou de fora da viagem para Assunção e São Paulo, quando o Flu empatou com o Cerro Porteño e perdeu para o Corinthians. Reintegrado, teve chances nos últimos três jogos. E aproveitou.

Mais do que equilibrar o meio-campo, aumentar a capacidade técnica e melhorar o jogo de Marcelo pela esquerda, Alexsander liberou Lima, que foi peça importante do Fluminense. Jogador mais utilizado por Diniz desde que chegou, o camisa 45 criou as melhores chances da equipe, exceto pelo gol de Manoel.

Técnico, habilidoso e veloz, Alexsander tem tudo para conquistar mais espaço no time de Fernando Diniz.

Como está o Fluminense em 2024

Próximos jogos do Fluminense

Veja os próximos confrontos do Fluminense na continuação da temporada:

  • Colo-Colo x Fluminense — Libertadores — quinta-feira, 9 de maio — 21h (horário de Brasília);
  • São Paulo x Fluminense — Campeonato Brasileiro — segunda-feira, 13 de maio — 19h (horário de Brasília);
  • Fluminense x Cerro Porteño — Libertadores — quinta-feira, 16 de maio — 19h (horário de Brasília).
Foto de Caio Blois

Caio Blois

Caio Blois nasceu no Rio de Janeiro (RJ) e se formou em Jornalismo na UFRJ em 2017. É pós-graduado em Comunicação e cursa mestrado em Gestão do Desporto na Universidade de Lisboa. Antes de escrever para Trivela, passou por O Globo, UOL, O Estado de S. Paulo, GE, ESPN Brasil e TNT Sports.
Botão Voltar ao topo