Mundial de Clubes

Benzema perde pênati, estrelado Al-Ittihad decepciona e Al-Ahly enfrentará Fluminense na semi do Mundial

Mais consciente em campo frente a um desorganizado Al-Ittihad, o Al-Ahly aplicou sonoro 3 a 1 e será o adversário do Fluminense de Fernando Diniz.

O Al-Ahly será o adversário de Fluminense de Fernando Diniz na semifinal do Mundial de Clubes. O gigante venceu, com autoridade, o endinheirado Al-Ittihad dentro da Arábia Saudita por 3 a 1. Karim Benzema, vencedor da Bola de Ouro em 2022 e ex-Real Madrid, desperdiçou um pênalti quando a partida ainda estava um 1 a 0 para o adversário.

O Al-Ittihad pagou pela falta de padrão tático – o badalado técnico argentino Marcelo Gallardo chegou há menos de um mês – frente a um Al-Ahly valente que, após abrir o placar, foi letal nos contra golpes e não deu chance para o time dos brasileiros Romarinho, Fabinho e Igor Coronado voltarem para o jogo.

Com a vitória, o Al-Ahly enfrentará o Fluminense na próxima segunda-feira (18). No dia seguinte, o Manchester City encara o japonês Urawa Red Diamonds pela outra vaga na grande final do Mundial de Clubes, marcada para o dia 22 de dezembro.

Super Odds na Dafabet »

Trocação franca no primeiro tempo teve Al-Ahly como vitorioso

Mesmo com o estrelado Al-Ittihad jogando em casa, foi o Al-Ahly que começou em cima na partida. Logo aos cinco minutos, El-Shahat pegou uma sobra da defesa e emendou para o gol. Em uma ação providencial, o zagueiro Hegazy bloqueou na pequena área e impediu o primeiro gol dos egípicios.

A resposta dos donos da casa veio de um velho conhecimento dos brasileiros. Aos nove minutos, Kanté cruzou da direita e, após a defesa do Al-Ahly não conseguir cortar definitivamente, a bola ficou nos pés de Romarinho. O atacante ex-Corinthians dominou e fuzilou, mas parou em linda defesa do goleiro El Shenawy.

A intensidade inicial da partida combinava com a festa das duas torcidas que lotavam o King Abdullah Sport City Stadium. Aos 18 minutos, porém, foi o mar vermelho que vibrou nas arquibancadas. Após bola lançada na área do Al-Ittihad, Kadesh acabou interceptando a bola com o braço esquerdo. Acionado pelo VAR, o árbitro venezuelano Jesús Valenzuela foi ao monitor e confirmou o pênalti para os egípicios. O lateral Maâloul bateu no meio, com força e abriu o placar para o Al-Ahly.

Atrás no placar, era visível que o senso de urgência do Al-Ittihad se intensificou. Logo depois do gol egípicio, Benzema pediu aos companheiros que subissem a marcação para pressionar a saída de bola dos defensores do Al-Ahly. Com os donos da casa em cima, Kharaba conseguiu recuperar uma bola no meio de campo e de lá mesmo tentou surpreender o goleiro Al-Mayouf, que estava adiantado. O arqueiro do Al-Ittihad se esticou e fez uma segura defesa.

Buscando a igualdade no placar, o Al-Ittihad passou a tentar acionar sua maior estrela. Aos 37 minutos, a defesa egípicia não cortou cruzamento e a bola ficou para Benzema dentro da área. O francês emendou para o gol, mas parou em firme intervenção de El-Shenawy. Esse duelo viria a se repitir alguns minutos depois em uma situação mais clara ainda de gol.

Isso porque aos 40 minutos, o árbitro Jesús Valenzuela foi chamado novamente pelo VAR. No monitor, o árbitro analisou um lance muito parecido ao pênalti já apitado na partida. A diferença foi que o infrator que colocou a mão na bola era um defensor do Al-Ahly. Após a confirmação da penalidade máxima, Benzema foi para a bola, mas bateu no meio, com certa displicência e parou em defesa do vibrante El-Shenawy.

O Al-Ahly ainda poderia ter ido para os vestiários com uma vantagem maior. Já nos acréscimos, o zagueiro Hegazy errou feio em um recuo para o goleiro Al-Mayouf. Hahraba se antecipou, driblou o goleiro, mas ficou sem ângulo e acabou batendo para fora. Gigantesca chance perdida para os egípicios.

Segundo tempo expôs falta de organização do Al-Ittihad de Gallardo

O Al-Ittihad começou o segundo tempo tentando ensaiar uma pressão no adversário. O time de Marcelo Gallardo, porém, esbarrava em passes errados e falta de triangulações, que minavam o ritmo de seu jogo, reflexo do pouco tempo que o técnico argentino teve para trabalhar. Por outro lado, o Al-Ahly demonstrava mais consciência e padrão de jogo.
Ainda assim, aos nove minutos do segundo tempo, o brasileiro Igor Coronado achou lindo passe para Al-Ghamdi, que chutou na saída de El-Shenawy. A bola desviou no goleiro e morreu na trave. Acompanhando a jogada de perto, Benzema reclamou muito após não ter sido acionado pelo companheiro.

O castigo para os sauditas veio logo na sequência e foi cruel. Aproveitando contra-ataque, El Shahat foi acionado por Kahraba. Com calma, o atacante dominou e finalizou com maestria no canto para vencer o Al-Mayouf. A festa egípicia ainda era total no estádio quando o Al-Ahly aproveitou mais uma vez a falta de coesão do time de Gallardo.

Três minutos depois de sofrer o segundo gol, o Al-Ittihad não conseguiu frear mais um contra-ataque dos visitantes. Novamente Kahraba serviu um companheiro de forma decisiva. Após jogada dentro da área, Ashour recebeu com liberdade, bateu cruzado e colocou um retumbante 3 a 0 no placar do King Abdullah Sport City Stadium
No apagar das luzes, já no primeiro minuto de acréscimo, Hegazy subiu alto para cabecear direto na trave. No rebote, Benzema empurrou para as redes e anotou um melancólico gol de honra dos sauditas.
Foto de Lucas Tomazelli

Lucas TomazelliSubcoordenador de conteúdo

Apaixonado por futebol desde as primeiras memórias de infância, Lucas é formado em jornalismo pela USP. Antes de integrar a equipe da Trivela, atuou na Jovem Pan Online, Grupo Bandeirantes de Comunicação e Yahoo.
Botão Voltar ao topo