Leste Europeu

Esta festa foi para celebrar os 93 anos do clube que só não desapareceu por sua torcida

Os problemas financeiros fizeram com que a Politehnica Timisoara fechasse as portas em 2012. Um dos clubes mais tradicionais do interior da Romênia viveu o seu apogeu nos anos 2000, quando chegou mesmo à Champions League. Entretanto, o dinheiro recebido no torneio continental não foi bem gerido e, sem a licença para disputar nem mesmo a primeira divisão do Campeonato Romeno, o clube acabou dissolvido. A falência da Politehnica, no entanto, gerou a criação do ACS Poli Timisoara – o antigo ACS Recas, que se mudou para a cidade de Timisoara. Uma manobra política que não teve aceitação entre os antigos torcedores. Que, então, decidiram fundar o verdadeiro herdeiro da tradição violeta.

VEJA TAMBÉM: Steaua é obrigado a jogar sem seu nome, escudo e cores depois de perder direito na justiça

A SS Politehnica Timisoara surgiu neste ambiente e mesmo na quarta divisão, duas abaixo da ACS Poli Timisoara, conta com um grande engajamento popular na cidade de 320 mil habitantes. E a história do antigo clube segue sendo respeitada. Neste final de semana, os violetas comemoram os seus 93 anos (ou seja, a partir da fundação do velho Politehnica, em 1921) com um amistoso contra o Arges – de história parecida, também refundado por seus torcedores após encerrar as atividades.

Mesmo acanhado, o estádio dentro da Universidade Politécnica de Timisoara contou com uma festa impressionante. A fumaça com as cores do time se espalhou pelo campo. Um sinal claro de que o passado não foi abandonado.

PS: Para saber mais sobre o duelo, vale conferir o bom texto escrito por João Vítor Roberge, no blog O Craiovano.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo