Leste Europeu

Insano! Dynamo Kiev fatura a copa com um milagre e leva sua torcida à loucura

O Dynamo Kiev reviveu uma sensação que não tinha há oito anos. Pela primeira vez desde a temporada 2006/07, os alviazuis conquistaram a dobradinha na Ucrânia. E, após o fim do jejum no Campeonato Ucraniano, o bi na Copa da Ucrânia veio em uma epopeia nesta quinta-feira. Após o empate por 0 a 0 no tempo normal, o Dynamo venceu o rival Shakhtar Donetsk por 5 a 4 nas penalidades. Com uma carga tão grande de drama que mereceu uma enorme invasão de campo dos torcedores diante da confirmação da conquista.

VEJA TAMBÉM: A crise na Ucrânia ajuda a explicar o fim do jejum de seis anos do Dynamo Kiev

O desespero do Dynamo veio, sobretudo, pela falta de competência de seus primeiros batedores, com dois erros em três cobranças. No início da quarta série, o Shakhtar vencia por 3 a 1. Precisava apenas de um gol seu ou de um erro dos adversários para erguer a taça. Aí é que o milagre aconteceu. Enquanto os alviazuis fizeram sua parte, Shovkovskiy barrou Taison e Rakytskiy acertou o travessão. Antes mesmo do início das cobranças alternadas, a invasão já acontecia na pista de atletismo e a fumaça branca tomava o campo. E, para a alegria geral, Shovkovskiy espalmou mais um tiro, de Hladkyi, na sétima tentativa do Shakhtar.

Depois disso, a insanidade tomou conta do Estádio Olímpico de Kiev. Ninguém conseguiu mais conter a multidão que tomou o gramado e passou a se pendurar nos travessões, que não resistiram ao peso. Já os jogadores do Shakhtar seguiram direto aos vestiários, sem grandes confusões. E a festa certamente se estenderá pelas ruas da capital. Para exaltar ainda mais Shovkovskiy, capitão de 40 anos que merece ser ainda mais idolatrado.

Abaixo, veja a disputa por pênaltis e a festa no final:

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo