Leste Europeu

É hora de Copa

Após a pausa de inverno do Campeonato Russo, dois times viveram situações bem distintas. Ao menos na minha análise. O Dynamo Moscou era o terceiro colocado na tabela e havia feito ótimas contratações, deixando a equipe ainda mais forte. Já o Rubin Kazan não se movimentou no mercado, perdeu seu principal jogador de meio-campo, estava na parte de baixo da classificação e seu técnico pediu demissão (no final, Kurban Berdyev foi convencido pela diretoria a ficar). Logo, o cenário no primeiro caso era positivo e o segundo negativo.

Tudo isso, no entanto, era apenas uma análise, que na prática não se confirmou. O Dynamo, reforçado com Balázs Dzsudzsák e Christian Noboa, ficou as quatro primeiras rodadas sem vencer e despencou na tabela. Como se recuperou nas últimas semanas, voltou a sonhar com o vice-campeonato. O Rubin, por outro lado, vem mostrando uma boa regularidade desde então e, ao contrário do que eu previa, vai brigar por competições europeias também.

E para completar, esses dois clubes farão a final da Copa da Rússia, em 9 de maio, no estádio Central, em Ecaterimburgo. Nas semifinais, o Dynamo passou pelo Volga Nizhny Novgorod na quarta-feira por 2 a 1 (Zvezdan Misimovic e Andriy Voronin marcaram, e o veterano Andrey Karyaka descontou), enquanto o Rubin também confirmou seu favoritismo ao despachar o Rostov por 2 a 0 (Salvatore Bocchetti e Igor Smolnikov).

O campeão da Copa da Rússia vai direto para os play-offs da Liga Europa. Dado o investimento do Dynamo nesta temporada, seria muito pouco para o clube. A grande ambição é, mesmo, um lugarzinho na próxima Champions League. Para o Rubin, por outro lado, seria um futuro mais adequado ao seu momento de renovação, já que Berdyev dificilmente ficará em Kazan na temporada 2012/13 e o elenco deve sofrer uma boa mudança também.

Em termos de conquistas, a Copa tem mais importância para os moscovitas do que para os representantes do Tartaristão, por um motivo simples: o jejum de títulos do Dynamo Moscou já dura 17 anos. A última conquista da equipe foi, justamente, a Copa da Rússia de 1995. De lá para cá, nenhum troféu novo apareceu no clube – que, aliás, nunca venceu a primeira divisão russa; no período soviético, foi 11 vezes campeão.

A decisão é em jogo único e campo neutro, o que deixa o confronto ainda mais equilibrado. No papel, o Dynamo é levemente favorito por ter um time melhor tecnicamente. Só que o Rubin Kazan, com seu futebol feio e pragmático, já se mostrou vitorioso nos últimos anos.

Enquanto isso, na Ucrânia…

A Copa ucraniana está uma fase atrás, nas semifinais, que terão os seguintes confrontos: Volyn Lutsk x Shakhtar Donetsk e Metalurh Donetsk x Karpaty Lviv – ambos em 28 de abril.

A “final antecipada” aconteceu nas oitavas de final, quando o Shakhtar eliminou o Dynamo vencedo por 3 a 2, em Kiev. Assim como na Rússia, a Copa da Ucrânia é disputada sempre em jogos únicos, com prorrogação e pênaltis caso necessário.

O Shakhtar, logicamente, é o grande favorito ao título – aliás, para ficar com o bicampeonato; tem sete título ao todo. Empolgado pela briga no Campeonato (entenda o que aconteceu no final de semana no post do meu blog), quer repetir a dobradinha de 2011. Na semifinal, terá pela frente um adversário teoricamente fácil. O Volyn faz uma campanha apenas mediana no Ucraniano, mas ao menos jogará em casa. Já o outro confronto é uma incógnita.

Isso porque Metalurh e Karpaty sempre têm times bem montados e muito difíceis de ser batidos. Só que nesta temporada somente a equipe de Donetsk, que jogará a semifinal em seu estádio, tem mostrado essa consistência. O Karpaty, quinto colocado nas últimas duas edições do torneio nacional, é o lanterna isolado neste ano e dificilmente permanecerá na primeira divisão. Tem sua chance de “salvar” a temporada com a Copa.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo