Serie A

Depois do título e em crise financeira, Inter anuncia a saída de Antonio Conte

Inter confirma que chegou a um acordo para a saída do treinador, campeão italiano; donos querem reduzir custos e treinador não concordou com a política de contenção de gastos. Rescisão acontece um ano antes do fim do contrato

O momento turbulento da Internazionale fora de campo começa a gerar consequências. Nesta quarta-feira, o clube confirmou a saída de Antonio Conte, pouco mais de 20 dias depois de confirmar a conquista do título italiano. O técnico não concordou com a política de redução de gastos imposta pelos donos do clube, o grupo Suning, que está em crise financeira.

“A FC Internazionale Milano pode confirmar que chegou a um acordo com Antonio Conte para o término do seu contrato por acordo mútuo. O clube gostaria de agradecer a Antonio pelo trabalho extraordinário que ele fez, culminando no 19º título italiano. Antonio Conte será para sempre para da história do nosso clube”, diz o comunicado divulgado pela Inter.

Na temporada passada houve uma novela parecida. Depois do clube terminar em segundo na Serie A e perder a final da Liga Europa para o Sevilla, havia discussões sobre qual seria a política da temporada seguinte. Havia divergências, mas houve um acerto e as duas partes acertaram para continuar o trabalho.

A Suning está com dificuldades para pagar as contas na Inter e precisou fazer um empréstimo recentemente. A Oaktree Capital emprestará € 275 milhões à empresa que gerencia o clube, mas não comprará ações. Isso é para tirar a corda do pescoço do clube, que estava com dificuldade até para pagar os salários. Tanto que os dirigentes chegaram a pedir aos jogadores para renunciarem a parte dos salários depois da conquista do título. Proposta recusada por eles, claro. Antes mesmo da confirmação do título, falamos sobre como o desempenho em campo era contrastante com a situação financeira já preocupante.

A Oaktree Capital entrou na vida da Inter, mas houve um erro de interpretação sobre o seu papel. Os relatos iniciais eram que a empresa tinha se tornado acionista da Inter, comprando os 31% da Lion Rock, tornando-se acionista minoritária. Não foi o que aconteceu. Na verdade, foi um empréstimo de € 275 milhões. Só que a garantia lembra o outro clube de Milão: caso o grupo Suning não pague o empréstimo, a Oaktree Capital pode tomar os 68,5% de ações da empresa na Inter. Ou seja: ela não é acionista, mas pode se tornar.

Aconteceu uma situação similar no rival da Inter, o Milan, em 2018. O chinês Yonghong Li nãso pagou o empréstimo que fez com a Elliott Internacional Investment Fund e, como tinha dado suas próprias ações no clube rossonero como garantia, a empresa de investimentos assumiu o clube. Desde então, tem tentado reestruturar o clube para poder vender em seguida em condições melhores.

O empréstimo feito pela Suning junto à Oaktree Capital alivia, mas não resolve o problema financeiro da Inter. Por isso, a ideia era reduzir a folha salarial de 15% a 20%. Mais do que isso, a ideia também ter lucro entre € 80 milhões e € 100 milhões no mercado de transferências. Isso significa venda de ao menos um grande jogador. O cenário não agradou Antonio Conte. O treinador queria ao menos a manutenção dos seus principais jogadores, além de contratações pontuais, ainda que sem gastar tanto.

Torcedores da Inter cobraram o presidente do clube, o chinês Steven Zhang, pela situação de crise. Passadas as comemorações do scudetto, a preocupação toma conta. A Curva Nord, grupo de ultras da Inter, levou faixas à sede do clube. “Zhang, assuma a responsabilidade ou deixe a nossa cidade”, dizia uma das faixas. “Reduzir os campeões é para idiotas. Técnico, funcionário e jogadores são intocáveis!”, dizia outra faixa.

Segundo o site FCInter1908.it, membros dos ultras foram recebidos pela diretoria e conversaram com os dirigentes. Depois, Franco Caravita, um dos líderes dos ultras, deu entrevista sobre o encontro. “O que foi dito é que eles iriam fazer tudo para manter o técnico e os jogadores mais importantes. Essa redução significa voltar a estar sem dinheiro, mas com o scudetto e a classificação para a Champions League, nós achamos que essas dificuldades seriam superadas. Como a Curva, nós queremos consistência no projeto, e claramente sem COnte a consistência é perdida”, disse.

Antonio Conte tinha contrato com a Inter até junho de 2022. Para chegar a um acordo, a Inter queria pagar € 6,5 milhões e o técnico queria receber € 9 milhões. As duas partes entraram em acordo por € 7 milhões, segundo Tuttosport e Sky Sport Italia. O treinador tem um salário anual de € 12 milhões. Conte não poderá assumir nenhum clube da Serie A dentro do período do contrato, diante do pagamento da multa, segundo o La Repubblica.

Com o anúncio da Inter que houve um acordo, o valor da compensação foi acertado. Depois de conquistar o primeiro scudetto da Inter em 11 anos, Antonio Conte deixa a Inter. Ele é o único técnico na Serie A a ter conseguido ao menos 90 pontos em uma temporada por dois clubes diferentes. Mudou a mentalidade do clube para conquistar a Serie A, mas não dará continuidade ao trabalho. Javier Zanetti, vice-presidente da Inter, atribuiu ao técnico o mérito do scudetto.

O nome de Massimiliano Allegri, um dos preferidos da atual diretoria da Inter, já está perto de um acerto para voltar a treinar a Juventus. A Inter também avalia o nome de Simone Inzaghi, da Lazio. Conte, no que lhe concerne, já é monitorado pelo Tottenham, segundo o Tuttosport.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo