Serie A

Kvaratskhelia Bola de Ouro? Para Buffon, briga com Haaland e Mbappé é totalmente possível

Atual chefe de delegação da seleção italiana, Gianluigi Buffon exaltou Kvaratskhelia em lançamento de livro sobre o georgiano

Em 28 anos de carreira como profissional, Gianluigi Buffon compartilhou os gramados com alguns dos mais qualificados jogadores da história do futebol. De 1997 (ano em que estreou pela seleção italiana e disputou a Champions League pela primeira vez) até 2021, ao menos, certamente jogou com e enfrentou os melhores. A longeva e gigantesca trajetória como goleiro o credencia como poucos a falar sobre o mais alto nível do esporte, e é justamente por isso que seu comentário sobre Khvicha Kvaratskhelia feito nesta sexta-feira (10) precisa ser levado a sério.

Atual chefe de delegação da seleção italiana, Buffon esteve presente no lançamento do livro “Kvaradona: A Georgian Miraglo” (“Kvaradona: Um milagre georgiano”), em Nápoles, e não poupou elogios ao atacante do Napoli. Para o ex-goleiro, que se aposentou apenas em agosto deste ano, o melhor jogador da última Serie A pode brigar por prêmios individuais com Erling Haaland e Kylian Mbappé, segundo e terceiro colocados na última Bola de Ouro, respectivamente. Kvara acabou em 17º lugar.

— A verdade é que (Kvaratskhelia) pode ganhar a Bola de Ouro. São as situações, muitas vezes históricas, que permitem a alguém vencer ou ficar entre os candidatos. Kvara é alguém cujo talento pode competir com Haaland, Mbappé e os outros, (ainda mais) quando pessoas como Messi, Ronaldo e Neymar, verdadeiros canibais, pararam — afirmou durante o evento.

Buffon não chegou a enfrentar Haaland, mas conhece bem Mbappé. Seu primeiro contato com o artilheiro da Copa do Mundo de 2022 foi ainda em 2017, nas semifinais da Champions League. A Juventus do goleiro levou a melhor sobre o Monaco do atacante, avançando à final com vitória por 4 a 1 no placar agregado, mas o francês foi justamente o autor do gol de sua equipe.

Anos depois, os dois virariam companheiros de time. Na temporada 2018/19, Buffon defendeu o Paris Saint-Germain em 25 partidas, conquistando a Ligue 1 e a Supercopa da França. Naquela temporada, Kylian Mbappé foi o artilheiro e o melhor jogador do Campeonato Francês pela primeira vez, tendo feito 33 gols. Justamente por ter visto de perto o fenômeno francês, a declaração do ex-goleiro sobre Kvaratskhelia fica ainda mais impressionante.

Buffon e a Bola de Ouro

Gianluigi Buffon pode nunca tê-la vencido, mas conhece a Bola de Ouro como poucos. Afinal, é o goleiro que mais vezes foi indicado ao prêmio: 11 vezes. Em 2006, ano em que foi eleito o melhor arqueiro da Copa do Mundo, ele ficou em segundo lugar, perdendo para o compatriota e também campeão mundial Fabio Cannavaro.

Além de ter marcado presença várias vezes na premiação, Buffon também enfrentou alguns vencedores do prêmio. Só no futebol italiano, teve a árdua tarefa de parar Roberto Baggio, George Weah, Ronaldo, Zinédine Zidane, Andriy Shevchenko, Ronaldinho Gaúcho, Kaká, Pavel Nedved e o próprio Cannavaro.

Além de rivais, Nedved e Cannavaro também foram companheiros do goleiro na Juventus, assim como Cristiano Ronaldo. Em torneios da Uefa e embates entre seleções, Buffon ainda encarou Luka Modric e Lionel Messi, que recentemente levou o troféu pela oitava vez.

Gianluigi Buffon foi eleito o melhor goleiro da Copa do Mundo de 2006 e ficou em segundo lugar na Bola de Ouro daquele ano (Foto: Icon sport)

A fase do Napoli

Khvicha Kvaratskhelia não foi o único assunto abordado por Gianluigi Buffon. O chefe de delegação da seleção da Itália também comentou sobre o Napoli. Campeão italiano com sobras na temporada passada, os Partenopei ainda não conseguiram uma sequência convincente de resultados e atuações sob o comando de Rudi Garcia e ocupam a quarta colocação na Serie A, com sete pontos a menos que a líder Internazionale.

— Desde julho sei o que o Napoli precisa, mas não vivo nessa situação — disse Buffon ao ser perguntado sobre o momento da equipe da Campânia.

A enigmática frase soou como uma crítica ao trabalho de Garcia, mas Buffon negou. O ex-goleiro completou falando sobre a dificuldade em conseguir um bicampeonato consecutivo com o Napoli, que não sagrava-se campeão italiano desde 1990.

— Não, não (foi sobre Rudi Garcia). Já vivi muito o vestiário e se você não sabe em primeira mão o que está sendo criado, como o treinador está trabalhando…Tem que viver algumas situações para julgá-las. O fato é que voltar a vencer com o Napoli não é fácil. Fora Milan e Juventus, ninguém ganhou em anos consecutivos — concluiu.

Vale lembrar que Buffon tem trabalhado desde agosto com Luciano Spalletti, treinador campeão com o Napoli na temporada passada e atualmente comandante da seleção italiana. O italiano ainda é uma sobra para Rudi Garcia, que teve seu trabalho contestado em outubro.

Foto de Felipe Novis

Felipe Novis

Felipe Novis nasceu em São Paulo (SP) e cursa jornalismo na Faculdade Cásper Líbero. Antes de escrever para a Trivela, passou pela Gazeta Esportiva.
Botão Voltar ao topo