Serie A

Anunciado pela Lazio, Maurizio Sarri terá mais um teste ao seu estilo de jogo

Com um trabalho marcante no Napoli, seu estilo foi muito questionado no Chelsea e na Juventus, os trabalhos seguintes, e tem um novo desafio no clube da capital italiana

A Lazio anunciou a contratação do técnico Maurizio Sarri, de 62 anos. Ele chega para o lugar de Simone Inzaghi, que estava há cinco anos no cargo. Assinou contrato de dois anos com biancocelesti, até junho de 2023. Terá um imenso desafio pelas frente, porque Inzaghi, que foi para a Internazionale, alçou o time a voos mais altos, como voltar à Champions League depois de 20 anos.

A diferença de estilos entre os dois é grande, e a experiência também. O técnico anterior tinha a ligação de ex-jogador do clube como um trunfo. Sarri traz no currículo o excelente trabalho pelo Napoli, em que bateu recorde de pontos pelo clube e brigou pelo título com a Juventus. O estilo de jogo virou uma sensação, a ponto de se tornar o Napoli de Sarri. Foi elogiado inclusive pela Europa.

Sua saída do clube do Sul da Itália foi conturbada. Foram três temporadas pelo clube, com muito sucesso. Havia especulações sobre o seu futuro. Guardiola, admirador do italiano, o elogiou dizendo que gostaria de vê-lo na Premier League. Ele foi para o Chelsea, da Inglaterra, em 2018. Foi apenas uma temporada no clube inglês, mas conquistou o título da Liga Europa e ainda classificou o time à Champions League ao ficar em quarto lugar.

Sua passagem no Chelsea, porém, foi conturbada. Depois de uma derrota para o Arsenal, o técnico disse que “este grupo é difícil de motivar”. Ele rebateu as críticas ao seu estilo, apelidado de “Sarriball”, e teve um conflito com o goleiro Kepa Arrizabalaga. Sua saída não foi uma surpresa para ninguém. Meses depois, admitiu que teve uma relação conflituosa com o vestiário.

Em 2019, foi chamado pela Juventus para dar um novo estilo ao time. Havia uma expectativa de ruptura com o que vinha sendo jogado sob o comando de Massimiliano Allegri, vitorioso até ali, mas questionado pela falta de um jogo mais atraente. E, cá, entre nós, porque não ganhava a Champions League, apesar de ter levado o time duas vezes à final. Avançando dois anos no tempo, a Juventus voltou ao comando de Allegri. No meio tempo, uma temporada com Sarri que teve título italiano, mas acabou em divórcio; a escolha de Andrea Pirlo como técnico, alguém sem qualquer experiência, e a sua demissão, ao final da temporada.

Havia muitas especulações sobre a chegada de Sarri à Lazio, mesmo antes da confirmação da saída de Inzaghi para a Internazionale. Tanto que o clube brincou antes de anunciar o técnico, colocando um agasalho, um banco e um cigarro para dar uma dica sobre quem seria o técnico anunciado.

Agora confirmado Lazio, Sarri encontrará um elenco menos qualificado que os três últimos que trabalhou, Juventus, Chelsea e Napoli. Na Lazio, o desafio tem algo de parecido com o Napoli, mas com ainda menos recursos. Será preciso criar um time, com um elenco acostumado a um estilo de jogo bastante diferente de Sarri.

Há elementos interessantes para criar um time bastante técnico, como Sarri gosta, mas é uma mudança grande de um time que é muito mais físico e tem características defensivas mais fortes. Ainda assim, tem o artilheiro, tem atacantes rápidos e pode continuar jogando no 3-5-2, esquema tático que já usou, fazendo as alterações de estilo com menos impacto.

Veremos como os jogadores vai lidar com o que Sarri gosta de trabalhar. A tendência é que a aceitação seja maior do que vimos no Chelsea, onde havia bastante resistência não só no vestiário, mas dos torcedores. Na Lazio, ele terá um clássico quentíssimo com a Roma, algo que não existe, no mesmo estilo, no Napoli, ou mesmo na Juventus, já que as forças em Turim são muito díspares. E mais do que isso: na capital italiana, o outro banco tem José Mourinho, outro dos grandes técnicos do mundo, com quem terá duelos bem interessantes – já se enfrentaram na Inglaterra, quando o português estava no Manchester United. Tende a ser explosivo.

O antigo funcionário de banco que virou técnico

Maurizio Sarri, na época do Empoli (Imago / OneFootball)

O que mais chama a atenção é o passado como bancário. Ele era um funcionário importante no Banco Toscana, baseado em Florença, mas que por vezes o levava a viajar para Londres, para a Suíça e para Luxemburgo. Ao mesmo tempo, ele era técnico de times amadores.

Foram quase 10 anos se dividindo entre trabalhar no banco e também ser técnico. Foi só no início dos anos 2000 que Sarri se decidiu por dedicar mais tempo à carreira à beira do gramado. Em 2003, ele foi escolhido técnico do Sangiovannese. Era o seu oitavo trabalho como técnico, mas este teve um desenvolvimento significativo. Foi lá que ele conquistou o acesso à antiga Serie C1, o que era então a terceira divisão.

Essa subida de patamar mudou a vida de Sarri. Assim, ele passou a trabalhar em diferentes clubes da segunda divisão. Foram oito deles, até que ele chegou ao Empoli, em 2012. Na temporada 2013/14, ele conseguiu o acesso à Serie A. Pela primeira vez na carreira, iria dirigir um clube na primeira divisão do país, aos 55 anos.

Foi no Empoli que Sarri chamou a atenção. O estilo de jogo descrito por Fabrizio Corsi, presidente do clube, foi o que brilhou na Itália. “Foi aqui que Maurizio afinou o seu estilo de jogo, esta ideia de futebol apressado, de um toque aliada a uma formação compacta, uma linha defensiva alta com ênfase no ataque, arremessando a bola ao lado no avançado. posições ou às vezes através do craque”, comentou.

Em 2015, foi contratado pelo Napoli, o maior clube da sua carreira. Foi algo especial, porque Napoli é a cidade, onde ele nasceu e que tem um enorme carinho. Trabalhar no clube que é um símbolo de Nápoles é um privilégio. No clube, ele fez mais do que treinar o time: ele defendia a honra de ser napolitano.

O estilo de jogo encantou e a campanha em 2017/18 foi histórica: foram 91 pontos, e mesmo assim o time ficou em segundo, atrás da Juventus em Allegri. Foi a terceira temporada com mais de 80 pontos: 82 no seu primeiro ano, 2015/16, 86 pontos em 2017/17 e fechando com os 91 pontos de 2017/18.

O funcionário de banco virou treinador de sucesso, um dos nomes mais badalados do futebol italiano e terá a Lazio nas mãos para levar a um volto mais alto. Será que Maurizio será capaz de repetir o bom trabalho no Napoli? É algo que veremos nos próximos meses.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo