Inglaterra

Leeds contrata o potencial substituto de Raphinha: Luis Sinisterra, do Feyenoord

Atacante de 23 anos, Sinisterra assinou contrato até 2027 e será opção à saída de Raphinha, cada vez mais próxima de acontecer

O Leeds segue em um mercado bastante agitado para esta temporada. O clube anunciou a sua sexta contratação da temporada ao confirmar a chegada do colombiano Luis Sinisterra, ponta do Feyenoord, de 23 anos. O valor da negociação é de € 25 milhões, segundo informa a Voetbal International, e pode chegar a € 30 milhões com os bônus.

O colombiano chegou aos Países Baixos em 2018, vindo do Once Caldas. Ele demorou a ter chances, mas o técnico Jaap Stam acreditou nele e o colocou para jogar. Foram 113 jogos com a camisa do clube, com 35 gols e 29 assistências. Pelo seu estilo de jogo de velocidade pelas pontas, ele é visto como uma potencial reposição para Raphinha, que negocia a sua saída. Chelsea e Barcelona estão disputando a contratação do atacante, que é titular da seleção brasileira.

Na última temporada, Sinisterra marcou 23 gols e fez 14 assistências em 49 jogos. O Feyenoord foi finalista da Conference League, derrotado pela Roma na final. O time conquistou o título da Copa da Holanda, em uma final emocionante contra o Ajax. O colombiano atuou todos os jogos da tempoirada em campo na ponta esquerda.

Sinisterra quebrou o recorde de jogar mais caro vendido pelo Feyenoord, superando Dirk Kuyt, que custou € 18 milhões ao Liverpool em 2006. Corrigindo o valor pela inflação do período, Kuyt teria custado € 24,3 milhões, ligeiramente inferior à venda de Sinisterra. Com a venda de Tyrell Malacia para o Manchester United, o Feyenoord arrecada cerca de € 40 milhões, sem contar os descontos. O clube poderá ir ao mercado para tentar se reforçar.

Além de Luis Sinisterra, o Leeds também contratou o volante Tyler Adams, o meia Brenden Aaronson, o volante Marc Roca, o lateral direito Rasmus Kristensen e meia Darko Gyabi.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo