Inglaterra

James acerta ida ao Catar e coloca ponto final em uma passagem pelo Everton que começou promissora

O colombiano de 30 anos acertou com o Al Rayyan, time de Laurent Blanc, após apenas 12 meses em Goodison Park

A passagem de James Rodríguez pelo Everton terminou antes do esperado e com um desfecho… curioso. Nesta quarta-feira, após apenas um ano na Inglaterra, o colombiano foi anunciado como o novo reforço do Al Rayyan, do Catar. Ele colocado no mercado pelo clube inglês desde a troca de treinadores, mas não houve negócio para permanecer na Europa.

James estava sem espaço no Real Madrid e chegando ao fim do seu contrato. Por isso, não exigiu um investimento alto, mas o Everton ainda não seria um destino em seu radar, não fosse pela presença de Carlo Ancelotti, com quem havia trabalhado no clube espanhol e brevemente no Bayern de Munique.

Além do que poderia contribuir em campo, a parceria entre James e Ancelotti, junto com outros reforços importantes como Allan e Doucouré, deixou o torcedor do Everton com água na boca. Era um salto de qualidade importante para começar a tentar recuperar o protagonismo de outros tempos, ou pelo menos incomodar mais o grupo de elite da Premier League. E o começo foi promissor.

James deu seu cartão de visitas dominando o meio-campo na estreia da Premier League 2020/21 contra o Tottenham, teve exibição de gala em goleada sobre o West Brom e contribuiu a quatro vitórias em quatro rodadas do Everton do Campeonato Inglês, contra o Brighton, com dois gols. Marcou três vezes e deu três assistências nos cinco primeiros jogos da competição.

Mas a questão física começou a pesar, e algumas pequenas lesões significaram que ele nunca mais teria uma sequência tão grande pela Premier League. Disputou apenas uma das últimas seis partidas da temporada e não conseguiu evitar uma nova derrocada do Everton na reta final. Após virar o turno em sexto e podendo entrar no G4 se vencesse os dois jogos a menos que devia, o Everton terminou em décimo.

A associação de sua transferência a Ancelotti se reforçou no momento em que o treinador italiano aceitou retornar ao Real Madrid. As especulações de que James também surgiram imediatamente. Chegou a ser especulado no próprio Real e houve uma tentativa de envolvê-lo em um negócio por Luis Díaz, do Porto – o que seria outra volta para casa.

Segundo o Liverpool Echo, no começo do verão europeu, Benítez informou James que ele estava livre para deixar o Goodison Park se aparecesse uma boa proposta por ele. Quando a janela do futebol europeu fechou, o técnico espanhol falou sobre o caso em público. Chegou a cobrá-lo, dizendo que precisava melhorar “muitas coisas” e admitiu que ele estava tentando fazer isso. E se ficasse, e conseguisse melhorar, seria bom porque poderia dar algo a mais para o time. Prometeu que tentaria encontrar “os jogos certos” para ele.

“Eu não estava envolvido nas conversas. Eu sei que alguns clubes demonstraram interesse, mas é isso. Se a proposta fosse boa, sabe, com as regras de fair play financeiro e o problema que temos com salários, era importante para nós criar algum espaço para outro jogador. Não conseguimos fazer isso e agora temos que administrar a situação. Não foi fácil, porque ele estava disponível na janela de transferências. Agora apenas a janela do Oriente Médio está aberta. Não é fácil”, afirmou Benítez.

Difícil, mas não impossível. É para o Oriente Médio que James irá. “James Rodríguez deixou o Everton para assinar com o clube catariano Al Rayyan por uma taxa de transferência não divulgada. O jogador de 30 anos da seleção colombiana irá ao Oriente Médio após 12 meses no Goodison Park. Após ter chegado do Real Madrid, em setembro de 2020, James fez 26 jogos por todas as competições pelo Everton, marcando seis gols”, anunciou o clube inglês nesta quarta-feira.

Campeão nacional em 2015/16, o Al Rayyan é treinado pelo francês Laurent Blanc e foi o terceiro colocado do Campeonato Catariano na temporada passada.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo