Inglaterra

Donos do PSG querem comprar parte do Tottenham

O Tottenham está à procura de novos investidores, e os donos do PSG são alguns dos interessados em uma fatia

Sob o comando de Ange Postecoglou, o Tottenham segue na briga por uma vaga na próxima Champions League. Com um futebol envolvente, o técnico australiano pode contar com o investimento de Daniel Levy para trazer reforços em sua primeira temporada. Contudo, ainda há espaço para crescimento. Em meio a esse cenário, os donos do PSG querem comprar uma parte dos Spurs.

O próprio presidente do Tottenham confirmou na última semana que está conversando com possíveis novos investidores após a perda de £ 86,8 milhões (cerca de R$ 555,7 milhões) no balanço financeiro de 2022/23. Os Spurs não divulgam a identidade dos prováveis compradores, mas o Daily Mail aponta que a Qatar Sports Investments, que comanda os Parisienses, está no páreo.

Essa não é a primeira vez que a empresa demonstra interesse no Tottenham, já que a Qatar Sports Investiments tem procurado diversificar seu portfólio, inclusive focando em projetos fora do futebol, como a MotoGP. Além dos donos do PSG, investidores americanos (não identificados) também avaliam a possibilidade de adquirir uma fatia dos Spurs.

Vale lembrar que, na última temporada, o Tottenham deixou de ganhar dinheiro quando terminou em 8º lugar na Premier League, fora da zona de classificação a competições europeias. Além disso, a folha salarial dos Spurs ultrpassou a do Arsenal pela primeira vez de 1995/96, cujo valor gasto em 2022/23 foi de € 251 milhões (em torno de R$ 1,6 bilhão. Já os Gunners desembolsaram (aproximadamente R$ 1,5 bilhão).

Tottenham não corre risco de cair no fair play financeiro

Por mais que o Tottenham tenha tido um prejuízo gigantesco na última temporada, isso não significa algum problema em relação ao fair play financeiro. Ou seja, os Spurs não correm risco de sofrer uma dedução de pontos por violações das Regras de Lucro e Sustentabilidade da Premier League (PSRs). Isso porque boa parte das dívidas de 2022/23 são referentes aos valores gastos com infraestrutura.

O Tottenham Hotspur Stadium se encaixa nesse perfil. Aliás, a arena multiuso do Tottenham tem angariado fundos para além do futebol, já que o local já recebeu partidas de futebol americano (NFL) e também shows, como as cinco apresentações da cantora pop Beyoncé. Os Spurs também não devem cair no fair play financeiro devido à entrada do valor da venda de Harry Kane no início de 2023/24 para o Bayern de Munique.

Em agosto do ano passado, os Bávaros pagaram € 100 milhões (cerca de R$ 538 milhões à época) fixos, além de € 20 milhões (em torno de R$ 107,6 milhões) em variáveis pelo centroavante inglês. Com tanto dinheiro envolvido, Levy quer que a realidade financeira do Tottenham seja sustentável e traga resultados dentro de campo. Por isso, há o interesse de trazer um novo investidor para auxiliar nesse processo.

Os Spurs acreditam que o próximo passo de excelência depende da chegada de um novo parceiro, que pode ser fundamental para projetos de valorização das categorias de base e aumento da qualidade do elenco. A venda de uma fatia do Tottenham significaria um aumento significativo na base do capital. Seja a Qatar Sports Investiments ou não, o presidente quer fazer negócio.

Foto de Matheus Cristianini

Matheus Cristianini

Jornalista formado pela Unesp, com passagens por Antenados no Futebol, Bolavip Brasil, Minha Torcida e Esportelândia. Na Trivela, é redator de futebol nacional e internacional.
Botão Voltar ao topo