Copa da Inglaterra

Chelsea faz esforço para ser eliminado, mas consegue se recuperar e se vinga do Leicester na Copa da Inglaterra

Placar de 4 a 2 parece confortável, só que Chelsea quis colocar emoção na partida quando vencia por 2 a 0 e cedeu o empate ao Leicester

Parecia que o Chelsea não teria muitas dificuldades nas quartas de final da Copa da Inglaterra neste domingo (17). Nos primeiros 45 minutos, dominou o Leicester, fez 2 a 0 e teve até pênalti perdido por Raheem Sterling. Mas, para a etapa final, não esperava um gol contra bizarro de Axel Disasi que mudasse os rumos da partida. Os Foxes ficaram empolgados e empataram o jogo, que ia se encaminhando para a prorrogação até os acréscimos. Eis que Cole Palmer deu um passe de letra que desatou o nó da defesa adversária e Carney Chukwuemeka marcou o terceiro, antes de Noni Madueke dar números finais com um golaço. Na média, o 4 a 2 foi merecido, mas os Blues fizeram um esforço para colocar emoção.

O resultado vinga a final de três anos atrás, vencida pelo Leicester por 1 a 0. Os 11 titulares do lado londrino daquela final não iniciaram hoje, o que mostra o quanto o clube mudou nas últimas temporadas.

Na semifinal, os Blues se juntam a Manchester City, Coventry e o vencedor de Manchester United x Liverpool, que jogam mais tarde. Os confrontos serão decididos via sorteio.

Chelsea domina 1º tempo e merece vantagem de dois gols

Melhor campanha da Championship, a segunda divisão inglesa, mas em uma fase irregular recentemente (três derrotas nos últimos cinco jogos), os Foxes não competiram contra os londrinos. Até tiveram a bola no início, deram mostra de ser um time de bons movimentos ofensivos, mas a desorganização na defesa pesou e os donos da casa passaram a empilhar chances de gols.

Em um contra-ataque, a recomposição do visitante falhou feio. Cole Palmer acionou Nicolas Jackson em profundidade pela direita. O atacante partiu para cima da marcação, levou para linha de fundo e rolou para Marc Cucurella, completamente sozinho na segunda trave, empurrar para as redes. Antes disso, o Chelsea já tinha levado perigo em um escanteio cobrado na primeira trave e desviado pela defesa adversária no pé da trave.

A partir daí, o Leicester teve muita dificuldade. Só chegou ao ataque quando Robert Sánchez errou na saída, e Patson Daka errou uma cabeçada em um cruzamento perigoso. Após esse lance, o visitante não se aproximou mais da meta dos Blues. Enquanto isso, o outro lado era bem melhor. Quase marcou com Mykhayo Mudryk, que recebeu na área e chutou… em cima de Raheem Sterling. Na sequência, o inglês sofreu uma penalidade clara de Abdul Fatawu após cruzamento de Malo Gusto, em nova jogada iniciada por Palmer. No entanto, na cobrança, o próprio Sterling foi para a bola e mandou quase no meio do gol. Jakub Stolarczyk colocou o joelho na bola e defendeu.

Pressionado, Sterling teve a chance de se redimir do pênalti perdido. Em ótimo passe de Moisés Caicedo, saiu na cara do gol, mas tentou bater colocado tirando do goleiro e tirou do gol. Raheem finalmente acertaria quando fez boa jogada pela esquerda, colocando na frente e cruzando para Palmer concluir às redes já nos acréscimos.

Gol contra bizarro muda rumos do jogo, mas clube de Londres se recupera no fim

O Chelsea até voltou melhor, no mesmo ritmo, só que Axel Disasi decidiu colocar emoção. O zagueiro francês recebeu lateral de Gusto no campo de defesa e, pressionado por Daka, recuou com lançamento em direção ao gol e Sánchez não estava na meta. A bola foi direto as redes. Nesse momento, o Leicester não tinha acertado nenhum chute, mas tinha um no placar.

O gol contra fez bem aos Foxes. Tinham mais confiança e empataram pouco depois dos 15. Em jogada rápida, Stephy Mavididi foi acionado na esquerda. Ele invadiu a área, pedalou na cara de Gusto, cortou para dentro e bateu colocado, direto na bochecha da rede.

O Chelsea não voltou ao mesmo ritmo do jogo. A criação das jogadas não era mais tão natural, só que o caminho para vitória ficou mais natural com a expulsão de Callum Doyle. Em contra-ataque, Jackson recebeu de Sterling em contra-ataque, deu um toque que tirou Jannik Vestergaard da jogada e foi tocado pelo adversário. No campo, o árbitro deu pênalti e cartão amarelo. No entanto, com auxílio do VAR, viu que foi falta e, assim, o lateral teve que ser expulso. A falta, na meia-lua, foi Sterling, para se consagrar e redimir do péssimo jogo. Só que ele isolou a cobrança, para muitas vaias das arquibancadas.

Os Blues demoraram, mas voltaram a empilhar oportunidades no fim. Assim que Noni Madueke quase marcou, após bom cruzamento de Gusto, mas Stolarczyk defendeu bem. Porém, aos 46, o goleiro não conseguiria impedir o terceiro. Carney Chukwuemeka chamou a responsabilidade, tabelou com Palmer, que devolveu de letra para o jovem inglês marcar. Ainda deu tempo para Madueke roubar no ataque, limpar dois marcadores e dar uma chapada espetacular, no ângulo.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius é nascido e criado em São Paulo e jornalista formado pela Universidade Paulista (UNIP). Escreveu sobre futebol nacional e internacional no Yahoo e na Premier League Brasil, além de eSports no The Clutch. Além disso, atuou como assessor de imprensa no setor público e privado.
Botão Voltar ao topo