Inglaterra

Conte dá uma bronquinha no Tottenham: “Prestar mais atenção para errar menos no mercado”

O técnico disse que é “estranho” emprestar jogadores que foram contratados dois ou três anos atrás - como Ndombélé e Lo Celso

O técnico Antonio Conte afirmou que o Tottenham precisa prestar mais atenção no mercado de transferências para cometer menos erros, após uma janela de inverno em que o clube emprestou três jogadores que haviam sido contratados há pouco tempo.

A bronquinha de Conte, dada com delicadeza, não é injustificada. Entre os jogadores que saíram na última janela estão Bryan Gil, contratado no começo desta temporada, e Giovanni Lo Celso, que havia passado uma temporada emprestado pelo Betis antes de ser comprado no ano anterior. A contratação mais cara da história do Tottenham, Tanguy Ndombélé, que custou € 60 milhões, retornou temporariamente ao Lyon após dois anos e meio de muitos altos e baixos.

Que o clube esteja disposto a liberá-los dessa maneira é um sinal de que não está investindo o seu dinheiro com tanto cuidado quanto deveria. E como Conte avalia, com razão, que outros clubes “começaram antes” e estão “à frente”, o Tottenham não pode mais fazer esse tipo de coisa. Delle Ali também foi negociado em janeiro, mas é um caso diferente.

“Geralmente, você compra jogadores para reforçar seu time. Se você os empresta dois ou três anos depois, é estranho. Significa que talvez no passado você tenha que ver o que fez e talvez entenda que houve erros no passado. Temos que prestar mais atenção no futuro quando formos ao mercado. Isso é importante se quisermos reforçar o time, senão a qualidade cai”, disse.

Quatro jogadores foram embora, e apenas dois foram contratados: Rodrigo Bentancur e Dejan Kulusevski. Apesar de perder em números, Conte acredita que o seu elenco ficou mais completo e imagina o atacante sueco jogando até de ala direita se for necessário.

“Com certeza o time ficou mais completo. Tentamos preencher o papel certo com um meia e Kulusveski, que (também) pode jogar como número 10 ou ala. Agora, estamos mais completos que antes. Agora é a hora de trabalhar”, disse.

“No mercado de transferências, não podemos fazer grandes erros porque, repito, há muitos times que começaram antes de nós e estão na nossa frente, e se quisermos diminuir essa distância, os erros precisam ser mínimos em todos os aspectos”, completou.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo