Inglaterra

Chelsea demite Pochettino e já mira quatro nomes; veja os cotados

Os Blues anunciaram a saída do técnico argentino após apenas uma temporada no cargo

As últimas declarações de Mauricio Pochettino em entrevistas coletivas antes da temporada acabar davam na cara que algo estava errado no Chelsea. Por especulações na mídia, o técnico afirmou estar aguardando uma ligação da gestão para conversar se cumpriria ou não o contrato até 2025. Agora, uma definição, nada positiva para o comandante argentino.

Pochettino e os Blues “concordaram mutuamente em se separar”, conforme comunicado do clube nesta terça-feira (21). Segundo o jornal inglês The Telegraph, a decisão foi tomada após reuniões nos últimos dias com os diretores esportivos Paul Winstanley e Laurence Stewart e com o co-fundador da Clearlake Capital Group — empresa dona do time —, Behdad Eghbali.

— Obrigado ao grupo proprietário do Chelsea e aos diretores esportivos pela oportunidade de fazer parte da história deste clube. O clube está agora bem posicionado para continuar avançando na Premier League e na Europa nos próximos anos — afirmou Pochettino ao site oficial do Chelsea.

— Em nome de todos no Chelsea, gostaríamos de expressar nossa gratidão a Mauricio por seu serviço nesta temporada. Ele será bem-vindo de volta a Stamford Bridge a qualquer momento e desejamos tudo de melhor em sua futura carreira de treinador — agradeceram Stewart e Winstanley.

O clube já começou a busca por um substituto, garantiu o Telegraph. A ideia é trazer um técnico jovem e ofensivo, sendo os atuais nomes cotados Sebastian Hoeness, do Stuttgart, Michel, do Girona, Kieran McKenna, do Ipswich Town, e Enzo Maresca, do Leicester City.

O Chelsea de Pochettino

Pochettino sai do Chelsea após uma temporada de recuperação. Sofrendo com lesões e com dificuldade para encontrar um time titular, oscilou demais nos primeiros seis meses e chegou a bater a 12ª colocação na Premier League. Mesmo com essa instabilidade, conseguiu avançar na Copa da Liga Inglesa, chegou na decisão e perdeu apenas na prorrogação para o Liverpool por 1 a 0. Na outra competição mata-mata, a FA Cup, só caiu na semifinal para o Manchester City.

Pelo Campeonato Inglês, a virada de ano significou uma mudança completa na forma do time atuar. O time ganhou uma estrutura clara, especialmente no ataque. Em 2024, apenas pela liga nacional, venceu 10, empatou cinco e perdeu apenas três. Emplacou a maior sequência de vitórias (5) desde outubro de 2022. Por esse desempenho, saltou para sexta colocação, onde se classifica para a Conference League — pode ser Liga Europa se o City vencer a Copa da Inglaterra. No total, foram 51 jogos, com 27 triunfos, 10 empates e 14 derrotas.

Potencializado pelo esquema que Pochettino montou, vimos Cole Palmer brilhar mais do que nunca na breve carreira. Aos 21 anos, o jovem alcançou 33 participações em gols (22G e 11A), números que apenas Didier Drogba e Frank Lampard fizeram em uma temporada pelo clube. Por isso, foi eleito o melhor jogador jovem da competição e indicado para o melhor entre todas as idades.

Nova gestão dos Blues mantém ‘legado’ de Abramovich

Nos quase 20 anos sob gestão do oligarca russo Roman Abramovich, vimos o Chelsea ser gerido como um “time brasileiro” pela quantidade de técnicos que saiam e entravam no clube. Inclusive, o ápice do período com as duas Champions Leagues conquistadas (2012 e 2021) foram após trocar o treinador.

Por conta da guerra entre Rússia e Ucrânia, o clube teve que mudar de dono e um consórcio, formado pela Clearlake e pelo bilionário norte-americano Todd Boehly, assumiu a gestão em maio de 2022. Desde então, passaram pelo comando técnico Thomas Tuchel, Graham Potter, Frank Lampard e Pochettino, além do interino Bruno Saltor. Considerando apenas os treinadores principais, a média é de apenas seis meses no cargo.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Nascido e criado em São Paulo, é jornalista pela Universidade Paulista (UNIP). Já passou por Yahoo!, Premier League Brasil e The Clutch, além de assessorias de imprensa. Escreve sobre futebol nacional e internacional na Trivela desde 2023.
Botão Voltar ao topo