Copa da Liga Inglesa

De cabeça e no apagar das luzes, Van Dijk mata o Chelsea e Liverpool é campeão da Copa da Liga Inglesa

Em jogo para lá de equilibrado e recheado de reviravoltas, Liverpool bate Chelsea na prorrogação e conquista seu 10º título de Copa da Liga

Foi um grande jogo, uma grande final. De um lado, o Chelsea que, após a saída de Abramovich e chegada de Todd Boehly, passa por reformulação geral e ainda tenta se encontrar dentro de campo com uma equipe recheada de jovens talentos. Do outro, o temido e vencedor Liverpool de Jürgen Klopp, que vive seus últimos momentos à frente do clube de Anfield. Diante deste roteiro, os dois times decidiram a Copa da Liga Inglesa neste sábado (25), no lendário e imponente Estádio de Wembley. E deu Reds. Após empate sem gols no tempo normal, Van Dijk subiu no segundo andar em cobrança de escanteio já na reta final da prorrogação e garantiu o título do Liverpool

Chelsea e Liverpool voltam a campo nesta quarta-feira (28), pelas oitavas de final da Copa da Inglaterra. Enquanto os Blues enfrentam o Leeds United a partir das 16h30 (horário de Brasília), no Stamford Bridge, os Reds medem forças com o Southampton, às 17h (horário de Brasília), em Anfield.

Brigado, equilibrado e sem gols: assim foi o primeiro tempo em Wembley

Mais brigado do que jogado. Assim começou Chelsea x Liverpool. Ninguém se sobressaiu nos primeiros minutos e o jogo se concentrou no meio-campo, com muitos duelos físicos. Pilhado, os Blues abusaram das faltas e deram duas oportunidades para os Reds alçarem bola na área. Porém, nada aconteceu. A primeira boa chance da partida veio aos 8′. E foi da equipe de Jürgen Klopp. Robertson se aproveitou da marcação frouxa no lado direito, acelerou e cruzou na cabeça de Luis Díaz. Desequilibrado, o atacante colombiano testou fraco e facilitou a vida de Petrovic. A resposta do Chelsea foi imediata. Após corte parcial da defesa do Liverpool, Malo Gusto experimentou arremate de fora da área e Kelleher encaixou.

Com 14′ no relógio, Disasi deu um susto em seus companheiros de defesa. O zagueiro francês escorregou em zona perigosa e Luis Díaz foi acionado. Já dentro da área, o camisa 7 encheu o pé e obrigou Petrovic a espalmar. Frenético, o jogo era lá e cá. Pouco tempo depois da investida do Liverpool, o Chelsea voltou a agredir os Reds. Caicedo descolou bom lançamento para Gallagher e o meio-campista inglês cruzou na direção de Sterling. Com o bate e rebate na área, a bola se ofereceu a Cole Palmer que, de primeira, soltou a bomba. À queima-roupa, Kelleher operou um milagre. Melhor chance da partida até então.

Aos 3′, o Chelsea foi às redes. Lançado por Palmer, Nicolas Jackson avançou em velocidade e cruzou rasteiro, na medida para Sterling. Cara a cara com Kelleher, o camisa 7 não perdoou e balançou o barbante. No entanto, o gol acabou anulado por impedimento do senegalês no início da jogada. No VAR, o ângulo da imagem não foi claro e levantou dúvidas. Apesar da marcação de campo ter sido mantida, Jackson pareceu na mesma linha.

Salvo pelo árbitro de vídeo, o Liverpool cresceu de produção na reta final do primeiro tempo e ficou muito perto de abrir o placar. Em boa trama ofensiva pelo lado esquerdo, Gakpo se posicionou entre os defensores do Chelsea dando opção para o cruzamento. Dito e feito. Robertson fez levantamento preciso na área e o holandês conseguiu toque sutil de cabeça. Vendido no lance, Petrovic viu a bola beijar caprichosamente a trave. Elétrica e intensa, a etapa inicial da decisão terminou sem gols.

Chelsea perde caminhão de gols e Kelleher salva o Liverpool

No segundo tempo, a configuração do jogo se manteve a mesma da etapa inicial. Endo começou os trabalhos ao experimentar finalização de fora da área, sem muito perigo para a meta de Petrovic. A resposta do Chelsea veio em jogada individual de Jackson, que deu drible desconcertante em Konaté e serviu Gallagher na área. Esperto, o camisa 23 viu bem a presença de Enzo Fernández e o acionou. De costas para a marcação e o gol, o argentino tentou arremate de calcanhar e errou o alvo por muito.

Na bola aérea, o Liverpool inaugurou o marcador. Aos 14′, Robertson cobrou falta na área do Chelsea, Van Dijk se desvencilhou da marcação de Chilwell e testou firme, sem chances para Petrovic. Porém, entretanto, todavia, mais um impedimento foi marcado. Endo foi flagrado em posição irregular na jogada e o VAR denunciou o lance. O árbitro se dirigiu até o monitor e anulou o tento dos Reds. Ficou constatado que o japonês atrapalhou a ação defensiva de Colwil (o bloqueou e impediu sua passagem) e interferiu diretamente no gol.

O Chelsea se animou depois do tento anulado do Liverpool e desperdiçou grande oportunidade com Disasi. Em cobrança de escanteio, o francês ‘se fingiu de morto' no segundo pau e a bola chegou até ele. Contudo, no momento de concluir em gol, o zagueiro não pegou em cheio, ela subiu e caiu nas mãos de Kelleher. Posteriormente, mais Blues no ataque. Aos 30′, Palmer fez um salseiro no lado direito e cruzou rasteiro para Gallagher. O camisa 23 se antecipou à marcação, desviou consciente e carimbou a trave. Incrivelmente o 0 a 0 teimava e persistia na decisão.

Aos 40′, nova chance clara de gol para o Chelsea. Em contra-ataque veloz, Palmer deu passe açucarado e deixou Gallagher cara a cara com Kelleher. O meio-campista demorou a finalizar e acabou bloqueado pelo arqueiro irlandês, que com o braço, impediu o pior. Intervenção providencial do jovem de 25 anos, salvando a pele do Liverpool. E teve mais… O bombardeio dos Blues continuou e os Reds se seguraram. Kelleher conseguiu mais uma sequência impressionante de defesas, manteve o 0 a 0 e levou a final para prorrogação.

Van Dijk dá o título ao Liverpool no apagar das luzes da prorrogação

O Liverpool começou melhor na prorrogação. Logo aos três minutos, Van Dijk recebeu cruzamento na segunda trave, cabeceou para o meio da área e encontrou Jayden Danns. O atacante de 18 anos testou firme e fez Petrovic operar uma grande defesa. Acuado, o Chelsea baixou suas linhas e viu os Reds controlarem a posse de bola durante praticamente todo o primeiro tempo extra. Por sorte (e competência de Petrovic), sobreviveu.

No quarto e último tempo da decisão, o Chelsea cresceu e ensaiou uma blitz no campo de ataque. Só ensaiou. Os Reds souberam se defender, retomaram o controle das ações e golpearam o Chelsea com requintes de crueldade. Quase que no apagar das luzes, Tsimikas cobrou escanteio na primeira trave, Van Dijk (de novo) antecipou a marcação, desviou e estudou as redes. Dessa vez valeu! Gol de título para o zagueiro holandês e Liverpool campeão da Copa da Liga Inglesa pela 10ª vez em sua história.

Estatísticas de Chelsea 0 x 1 Liverpool – Final da Copa da Liga Inglesa 2023/24

  • Posse de bola: 46% x 54%
  • Faltas: 14 x 21
  • Finalizações: 19 x 24
  • Finalizações no gol: 9 x 11
Foto de Guilherme Calvano

Guilherme Calvano

Apaixonado por futebol, uniu o amor pelo esporte mais popular do mundo ao jornalismo. Carioca da gema e grande entusiasta da Premier League, cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na música, vai de Post Malone a Armandinho. Eclético assim como na área técnica. Afinal, Guardiola e Mourinho são suas referências.
Botão Voltar ao topo