Inglaterra

Com ex-auxiliar de Guardiola como técnico, Leicester confirma retorno à Premier League

Derrota do Leeds faz Leiceister comemorar, do sofá, acesso à Premier League menos de um ano depois de queda

Quando foi rebaixado para Championship na temporada passada, o torcedor do Leicester saiba que aquele elenco poderia mais e o retorno para Premier League seria eminente. E realmente aconteceu – mesmo que com um grupo bem diferente daquele que caiu. Menos de um ano depois, os Foxes confirmaram a volta para elite do futebol inglês nesta sexta-feira (26) mesmo sem entrar em campo, pois o Leeds United, terceiro colocado, perdeu para o Queens Park Rangers por 4 a 0.

O Leicester, comandado por Enzo Maresca, ex-auxiliar de Pep Guardiola, soma 94 pontos em 44 jogos, quatro a mais do que Leeds, que jogou 45 vezes e só tem mais uma partida a ser disputada. Ou seja, não pode alcançar o líder da competição. O Ipswich, terceiro, tem 89 de pontuação em 43 rodadas e, com duas a jogar, ainda pôde superar os Foxes. Lembrando que os dois primeiros da Championship sobem, enquanto acontece um playoff entre o terceiro e o sexto para definir mais um que jogará a Premier League em 2024/25.

Como foi a campanha do Leicester para voltar para Premier League?

Para confirmar o acesso, o time de Maresca fez uma campanha regular e sempre se manteve na briga com o Ipswich, sendo que o Leeds demorou mais para engrenar e alcançou a dupla no meio da temporada.

Em número gerais, o Leicester conquistou 30 vitórias, empatou quatro e perdeu 10. A equipe se manteve absoluta na competição praticamente de agosto a 13 fevereiro, período no qual foi derrotado apenas quatro vezes em 32 rodadas.

No entanto, passou a ser instável mais recentemente, perdendo seis dos últimos 12 jogos. Por sorte, só teve igualdade no placar em uma nesse recorte, compensando as derrotas com outras cinco vitórias.

Em níveis coletivos, os Foxes são absolutamente o melhor time da Championship até aqui. Sob comando de um “guardiolista”, eles obviamente lideram ou estão entre os primeiros em estatísticas ofensivas. Por exemplo, somam o melhor ataque, com 86 gols, e o maior número de chances criadas (134), além de serem o segundo em posse de bola (média de 61.6%) e passes certos (546.1). Os dados são do SofaScore.

Ao assisti-los em campo vemos ali alguns legados do jogo posicional, como o 4-3-3 com espaços bem preenchidos, uma saída de bola estruturada e jogadores respeitando os setores que ocupam.

Assim que Maresca potencializou os pontas do time: Abdul Fatawu Issahaku e Stephy Mavididi, dupla de velocidade e boa nos duelos um contra um. Sobre o primeiro, ganês de 20 anos emprestado pelo Sporting (será comprado por 17 milhões de euros pelos ingleses), é um dos grandes destaques do time com 18 participações em gols em 38 jogos (31 como titular).

Além de Fatawu, o meia Kiernan Dewsbury-Hall também esbanjou técnica nos gramados ingleses nesta temporada. Como o integrante mais à esquerda do trio de meio-campistas, deu ritmo ao time com toques precisos. São 14 assistências até aqui, além de média de 2.6 passes decisivos por jogo (o terceiro em toda competição, segundo o SofaScore). Ele também marcou 12 gols.

Um bom ataque é a marca dos times de Guardiola, mas ótimas defesas também, e Maresca parece ter aprendido isso muito bem. Até aqui são apenas 39 gols sofridos, o melhor sistema defensivo da Championship 23/24. Foram 14 jogos sem ser vazado ao longo da competição, o terceiro no quesito.

Entre os goleiros dos 24 times, Mads Hermansen é apenas o 13º com mais defesas (2.7 em média). O arqueiro dos Foxes é quem tem a menor média de gols sofrido (0.9, empatado com Illan Meslier, do Leeds) e é quem mais evitou gols na competição (4.99), utilizando como base a estatística de gols esperados (conhecida com xG).

O Leicester só tem mais duas partidas na temporada. A primeira é nesta segunda (29), fora de casa, contra o Preston. Depois, na rodada final, recebe o Blackburn no King Power Stadium. Para subir com o título e não depender do resultado do adversário direto, precisa vencer uma e empatar a outra, contando que o Ispwich não tire, de forma muito improvável, a atual vantagem no saldo de gols: 47 contra 32.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius é nascido e criado em São Paulo e jornalista formado pela Universidade Paulista (UNIP). Escreveu sobre futebol nacional e internacional no Yahoo e na Premier League Brasil, além de eSports no The Clutch. Além disso, atuou como assessor de imprensa no setor público e privado.
Botão Voltar ao topo