Inglaterra

Arnold é mais um lesionado no Liverpool, que testa (novamente) o poderio de seu elenco

Liverpool já não pode contar com Salah e Endo em janeiro, a serviço das respectivas seleções, e ficará também sem Trent Alexander-Arnold, lesionado

O mês janeiro é um desafio e tanto para o Liverpool de Jurgen Klopp. Com jogos por três competições (Premier League, Copas da Liga Inglesa e Copa da Inglaterra), os Reds não podem contar com a dupla Mohamed Salah e Wataru Endo, em compromissos com as seleções por competições continentais, e somam vários desfalques. Apenas na linha defensiva, Joel Matip, Andrew Robertson e Konstantinos Tsimikas estão fora, além dos meio-campistas Thiago Alcântara e Stefan Bajcetic, dupla afastada há mais tempo. Agora, outro problema: o lateral-direito Trent Alexander-Arnold sofreu uma lesão no joelho e ficará fora, pelo menos, das próximas três semanas.

– Trent hiperestendeu o joelho durante o jogo [contra o Arsenal, pela Copa da Inglaterra] e houve uma pequena ruptura. Ele ficará fora por cerca de três semanas. Um grande golpe, pois ele é um dos nossos jogadores mais importantes. Arnold vai descansar um pouco e depois espero poder voltar para onde estava. Porque esse cara foi decisivo em todos os jogos e foi quem criou constantemente para nós desde a defesa e deu ao time uma grande flexibilidade. Sentiremos muita falta dele – disse o assistente técnico Pep Lijnders, ao site oficial do Liverpool.

O jovem Conor Bradley, de 20 apenas, deve ser substituto. Ele atuou por alguns minutos na última partida, que tinha, no banco de reserva, sete dos nove jogadores disponíveis com idade entre 16 e 20 anos. Apenas Ryan Gravenberch e Diogo Jota eram os mais experientes, mostrando como o elenco dos Reds está sendo colocado a prova nesta temporada.

Ao menos, há boas notícias. Virgil Van Dijk, fora repentinamente do último duelo por uma doença, estará de volta. Dominik Szoboszlai, outro que ficou fora por uma lesão no tendão, está progredindo, mas ainda não deve jogar contra o Fulham nesta quarta-feira (10).

– Virgil está de volta. Ele fez algumas corridas ontem em campo, parecia bem novamente. Então ele estará de volta ao elenco, se recuperou bem. Então realmente o ajudou a não viajar para Londres. Szoboszlai está progredindo bem em campo, está correndo, então vamos ver. Não disponível para amanhã – detalhou Lijnders.

Robertson e Tsimikas estão em estágio final de recuperação e o auxiliar espera que a dupla volte aos treinos com o grupo de jogadores no final de janeiro. Fora há três meses por uma cirurgia no ombro, o escocês tem passado por avaliações para entender sua condição física e fará um tratamento especial em Dubai antes de ver como ele estará nos gramados. Uma fratura na clavícula em dezembro tirou Konstantinos dos últimos jogos, mas a evolução do grego impressiona.

Apesar dos problemas, Liverpool de Klopp se supera a cada jogo

É impressionante que em meio a todos os problemas citados, os Reds estejam vivos nas quatro competições possíveis. A liderança na Premier League é mais do que merecida, de um time que passou por uma reformulação completa nos meio-campistas, Arnold se consolidou como mais um homem no meio ao invés de ocupar os lados do campo no momento ofensivo e Mohamed Salah segue seu nível impressionante de jogo, entregando gols, assistências e magia.

A única derrota do time de Klopp no campeonato nacional aconteceu para o Tottenham, em Londres, partida marcada pelo erro mais grave da arbitragem inglesa desde a implementação do VAR, anulando por impedimento um gol legal de Luis Díaz. Os outros cinco duelos frente ao Big Six terminaram empatados. Na Copa da Inglaterra, no entanto, o Arsenal não foi capaz de bater um Liverpool misto, que venceu por 2 x 0 em pleno Emirates.

Além do revés para o Tottenham, o Liverpool perdeu outras duas vezes na temporada, ambas com os reservas pela Liga Europa, uma na quarta rodada para o Toulouse – antes, engatou três vitórias seguidas – e no último compromisso, frente ao Union Saint-Gilloise, já garantido nas oitavas de final. A Copa da Liga Inglesa é outra possibilidade de taça ao time de Anfield jogando a ida (casa) e volta das semifinais neste mês de janeiro com o Fulham.

Há mais de oito anos no cargo, Klopp consegue mobilizar o elenco como se tivesse chegado ontem. As lesões e desfalques por outros motivos são superados pelo elenco com uma facilidade tremenda. Ainda não dá para dizer que os Reds da pressão “rock n roll” e extremamente vertical como fora com Sadio Mané, Roberto Firmino e Salah voltaram, mas há um bom caminho e novas caras no time titular que podem marcar uma era diferente no Liverpool.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius é nascido e criado em São Paulo e jornalista formado pela Universidade Paulista (UNIP). Escreveu sobre futebol nacional e internacional no Yahoo e na Premier League Brasil, além de esports no The Clutch. Como assessor de imprensa, atuou no setor público e privado.
Botão Voltar ao topo