Premier League

Liverpool se segura com dois a menos até os acréscimos, mas Tottenham arranca vitória no último suspiro

Tottenham acreditou até o fim para fazer o gol da vitória aos 50’, em um jogo que o Liverpool precisou ser valente para se segurar com dois jogadores a menos

Tottenham e Liverpool fizeram um dos jogos mais esperados da rodada na Premier League e entregaram um grande espetáculo. Em uma partida com duas expulsões, ambas do Liverpool, os Reds se seguraram e, por pouco, não saíram com um empate que seria heroico. O Tottenham de Ange Postecoglou não desistiu e arrancou uma vitória agônica, no último suspiro do jogo, aos 50 minutos do segundo tempo, para cravar 2 a 1 no placar.

Escalações

Ange Postecoglou decidiu pela escalação do brasileiro Richarlison desde o início do jogo, mas não como centroavante. O jogador foi colocado como ponta pela esquerda, mantendo Son Heung-min como atacante mais centralizado. O time ainda tinha muitos desfalques, mas manteve a formação tática que tem atuado nos últimos jogos.

O Liverpool, por sua vez, tinha menos problemas. Jürgen Klopp teve um desfalque importante, o lateral Trent-Alexander Arnold, mas que ele ficou no banco de reservas por não ter condições plenas. Além deles, Jürgen Klopp também não teve Thiago Alcântara, fisicamente sempre sofrendo e Stefan Bajcetic. Klop formou o meio-campo com Dominik Szoboszlai, Alexis Mac Allister e Curtis Jones. O ataque teve Mohamed Salah, Cody Gakpo e Luis Díaz.

Gols, expulsão e ritmo alucinante

Aos 10 minutos, Richarlison recebeu com espaço na esquerda, fez a finta e chutou cruzado, mas Dejan Kulusevski não conseguiu chegar para tocar para o gol.

O Liverpool respondeu aos 12, em uma boa jogada pela esquerda que Andrew Robertson tocou para o meio, Cody Gakpo girou e chutou, o goleiro Gugliellmo Vicario fez a defesa, a bola sobrou para Robertson, que encheu o pé e Vicario novamente defendeu e mandou para escanteio.

Um lance aos 25 minutos mudaria bastante o jogo. Curtis Jones entrou firme em uma dividida com Yves Bissouma. O árbitro inicialmente deu amarelo, mas foi chamado pelo VAR a revisar o lance e mudou a sua decisão: expulsou o jogador do Liverpool. Os Reds, que tomavam mais a atitude naquele momento, ficavam com um jogador a menos.

Richarlison teve uma ótima chance aos 21, quando recebeu dentro da área pela esquerda, chutou forte, mas bateu por cima. Uma oportunidade grande que o brasileiro desperdiçou com uma finalização que não foi boa, quando teve liberdade.

O Liverpool respondeu em um lance aos 33, quando Salah colocou para Luis Diaz, que recebeu dentro da área, finalizou cruzado e marcou. O gol, porém, foi anulado por impedimento, confirmado pelo VAR — que, ao menos na transmissão, não mostrou as linhas e a imagem deixava dúvidas.

Os Spurs conseguiram abrir o placar aos 35 minutos. Maddison fez um passe de cinema para Richarlison na ponta esquerda e o brasileiro só tocou para o meio, onde estava Son, no meio dos dois zagueiros, para tocar na bola e colocar na rede: 1 a 0. Um lance que mostra a importância de Maddison para o Tottenham.

Por muito pouco, Richarlison não ampliou o placar aos 42. Depois de uma boa jogada que começou com ele, ele passou para Destiny Udogie, que cruzou, Son dominou cercado, a bola foi dividida, Kuluisevski pegou a sobra, mas a bola ficou mesmo com Richarlison para bater de primeira na trave. O lance acabaria anulado por impedimento de Udogie.

Nos acréscimos, o Liverpool arrancou o empate. Os Reds pressionavam e, em uma bola alta, o zagueiro Virgil Van Dijk tocou de cabeça para o meio, Cody Gakpo dominou, girou e soltou uma pedrada de pé direito para empatar: 1 a 1, aos 49 minutos.

Por pouco, o Liverpool não virou antes do intervalo. Mohamed Salah recebeu pelo meio, com liberdade, e fez uma assistência com precisão para Luis Diaz, mas o colombiano se esticou todo e não conseguiu tocar bem na bola. Em seguida, o juiz colocou um fim em um jogo alucinante no primeiro tempo.  

Mais expulsão e pressão do Tottenham

O jogo seguia muito equilibrado no segundo tempo, mesmo com os Reds tendo um jogador a mais. Mas o Tottenham ia para cima e até o zagueiro Cristian Romero apareceu no ataque aos três minutos, tocou para James Maddison e o camisa 10 do Tottenham bateu colocado, de pé esquerdo. Alisson precisou fazer uma grande defesa para evitar o segundo gol dos Spurs.

O Liverpool não conseguia sair jogando e o Tottenham aumentava a pressão. Em uma jogada pelo meio, Kulusevski ajeitou para Son, que dominou no peito e finalizou forte, com a bola ainda no alto, e Alisson mais uma vez segurou o grito da arquibancada com uma grande defesa.

O Tottenham chegou a marcar o segundo golm em uma joada de Richarlison para Son, quase uma repetição do primeiro, mas desta vez o gol foi anulado ainda em campo por impedimento do brasileiro. Um impedimento bem marcado, como o VAR confirmou em seguida.

O time da casa teve uma má notícia quando Son precisou sair, aos 22 minutos, machucado. Entrou em campo Manor Solomon, puxando Richarlison para o meio. A situação do Liverpool se tornou ainda mais delicada aos 23 minutos. O Liverpool se segurava na defesa, tentando encaixar contra-ataques. Até que Diogo Jota deu uma entrada dura em Udogie, já tinha cartão amarelo e recebeu outro. Os Reds passaram a atuar com dois jogadores a menos, o que tornou a missão do time de Jürgen Klopp ainda mais difícil.

Como era de se esperar, Klopp mexeu no time para recompor. Colocou em campo Ibrahima Konaté no lugar de Joe Gómez, Trent-Alexander Arnold no lugar de Salah, Wataru Endo no lugar de Luis Díaz e Ryan Gravenberch no lugar de Mac Allister. Montou, assim, um time para se defender, que é basicamente o que é possível fazer em uma situação como essa, com dois a menos, contra um time forte e fora de casa.

Os minutos finais do jogo eram de pulsação acelerada dos dois lados. O nervosismo e a tensão tomaram conta das arquibancadas e eram os visitantes que cantavam mais, exaltando a valentia do seu time — necessária diante de lances pouco inteligentes dos seus jogadores expulsos de forma desnecessária.

A cada ataque do Tottenham, um pulso de esperança corria nas veias dos torcedores dos Spurs enquanto a respiração faltava aos torcedores do Liverpool. O time já não conseguia sair em contra-ataques, que se tornaram raros. Era por definição, já que o time precisava se defender com dois a menos, o que torna a tarefa difícil demais.

Parecia que o empate seria mesmo o resultado final. Eram 50 minutos do segundo tempo e o Tottenham seguia tentando, acreditando, buscando. Pedro Porro recebeu na direita e o ala espanhol cruzou com força para a área e o zagueiro Joel Matip marcou contra ao tentar colocar o pé na bola. Gol do êxtase em Londres: 2 a 1.

Foi até o fim. O Tottenham saiu com a vitória, duríssima, sofrida, conquistada na raça. Acaba uma série de 17 jogos sem derrota do Liverpool na Premier League. O Tottenham vence o Liverpool pela primeira vez no seu novo estádio. Um jogaço que deu ao timed e Ange Postecoglou uma vitória que será muito saboreada, não só por ser contra um adversário de peso, mas pela forma incrível como foi conquistada.

Os torcedores do Tottenham seguiram gritando após o apito final, sabendo que tinham testemunhado um grande momento do seu clube. Aqueles momentos de tensão, com a pulsação acelerada dos dois lados, acabaram com o sorriso dos Spurs, que foram melhores ao longo do jogo, também por causa das expulsões.

O Liverpool foi valente, mesmo com um jogador a menos foi perigoso, mas a partir do momento que ficou com dois jogadores a menos soube que teria que se defender com unhas e dentes para salvar o empate. Não conseguiu, em uma falha que resultou no gol contra de Joel Matip. Aos torcedores dos Reds, resta ao menos o conforto de saber que o time brigou até o fim e, sem expulsões, jogava bem. Mas o time de Klopp precisará pensar, porque as duas expulsões eram evitáveis e comprometeram seriamente a partida.

Situação na tabela

O Liverpool era um dos invictos da Premier League e agora não é mais. O time de Klopp permanece com 16 pontos na tabela, em quarto lugar. O Tottenham chega a 17 pontos e é, ao lado do rival Arsenal, os dois times invictos na temporada até aqui. Os Spurs agoram ocupam a segunda posição na tabela, com 17 pontos, mesma pontuação o Arsenal. O Manchester City ainda lidera com 18 pontos.

O Tottenham volta a campo na próxima semana, no sábado (7), diante do Luton Town. O Liverpool terás um compromisso pela Liga Europa no meio da semana com o duelo diante do Union Saint-Gilloise, na quinta (5). No domingo (8), o Liverpool viaja até o sul da Inglaterra para enfrentar o Brighton.

Foto de Felipe Lobo

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!). Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009, onde ficou até 2023.
Botão Voltar ao topo