Inglaterra

Adeus, Real Madrid: Arsenal contrata Odegaard em definitivo e ganha ótimo reforço no meio-campo

Contratação chega por £ 34 milhões e volta ao clube que passou a última metade de temporada emprestado

O Arsenal conseguiu um ótimo reforço para o seu meio-campo. Martin Odegaard, emprestado ao clube em janeiro, foi contratado em definitivo junto ao Real Madrid. Os londrinos irão pagar £ 34 milhões, segundo o Guardian. Aos 22 anos, ele finalmente terá chance de jogar com mais frequência em um clube que aposta nele, e não em empréstimo infindáveis.

Contratado aos 16 anos pelo Real Madrid, Odegaard passou por empréstimos a Heerenveen, Vitesse, Real Sociedad e ao próprio Arsenal, este em janeiro e que durou até maio. Seu futuro no Real Madrid era incerto, mas a volta de Ancelotti acabou pesando contra o norueguês. Nem ele e nem o japonês Takesufa Kubo, outro talento jovem, serão aproveitados no elenco principal dos merengues. Kubo foi emprestado ao Mallorca, onde viveu um dos seus melhores momentos.

No período de empréstimo pelo Arsenal, foram 20 jogos em todas as competições, com dois gols marcados e duas assistências. Atuou majoritariamente como meia central, embora ele tenha possibilidade de atuar também aberto pelos lados ou mesmo como meio-campista central.

Desde cedo, Martin Odegaard pintou como um talento fora de série. Em 2014, ainda com 15 anos, ele brilhou pelo Stromsgodset. Ali, já chamava a atenção do mundo. Ele era tão jovem que precisou de autorização dos pais para estar licenciado no Football Manager 2015. Ainda em janeiro de 2015, Odegaard foi contratado pelo Real Madrid, com 16 anos. Curiosamente, Carlo Ancelotti, quando ainda era técnico do Real Madrid, disse que a contratação de Odegaard foi uma ação de relações públicas do clube. Tendo isso em mente, realmente seria difícil o treinador italiano, de volta a Madri, aceitar o norueguês no elenco e apostar nele.

Em 2019, depois de uma ótima temporada pela Real Sociedad, Odegaard voltou ao Real Madrid disposto a vencer, como disse ainda na época. Com Ancelotti de volta, restou buscar outro destino. O Arsenal, de Mikel Arteta, era um destino até óbvio, considerando que ele se encaixou bem no time. Agora, contratado em definitivo, o técnico pode utilizá-lo sem medo de ter que mudar tudo quando ele sair, ao final do empréstimo.

Martin Odegaard é anunciado pelo Arsenal (divulgação / Arsenal)

Odegaard vestiu a camisa 11 na temporada passada, mas agora vestirá o número 8. A camisa 11 voltou a ser de Lucas Torreira, que voltou de empréstimo ao Atlético de Madrid. “Ele nos traz muitas coisas que trouxe na temporada passada também. Ele nos tornou melhores, precisávamos de mais opções, alternativas, criatividade e jogadores que possam aumentar a moral para este clube. Ele ainda é um jogador jovem, mas ele certamente tem imensa experiência em diferentes clubes”, afirmou Mikel Arteta.

“Ele tem um talento único, no modo como queremos jogar, então estou muito satisfeito que o clube tenha feito um esforço e nós temos Martin em um contrato definitivo aqui. Você vê números e o que nós fizemos depois do Natal, quando Martin estava no time, e temos jogadores como Emile, o time teve um desempenho em um nível completamente diferente. Ele é alguém que admiramos e ainda é jovem em idade na sua carreira, com um potencial imenso”, continuou o treinador espanhol do Arsenal.

Com Odegaard, junto a Emile Smith Rowe, que tem 21 anos, o Arsenal terá mais opções criativas em um time que sofre contra equipes mais fechadas. É um jogador capaz de organizar o time, dar ritmo e fazer bons passes, o que é crucial.

Parece um grande acerto do Arsenal, ainda mais porque o valor pago passa longe de ser um absurdo em tempos atuais no futebol de jogadores que custam fortunas. Resta ver em campo, agora com a tranquilidade de um projeto de carreira, se Odegaard poderá desenvolver o seu potencial.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo