La LigaPremier League

Ødegaard tentará com empréstimo ao Arsenal ter os minutos que não teve no Real Madrid

O meia norueguês Martin Ødegaard, de 22 anos, acertou empréstimo com o Arsenal até o final da temporada, em junho. O jogador não tinha minutos em campo no Real Madrid e pediu para sair nesta janela de transferências. Mais uma vez, ele tentará mostrar o seu valor fora do clube, já que parecia que, com Zinedine Zidane no comando dos merengues, não haveria chance de jogar mais.

Um dos grandes destaques do futebol espanhol em 2019/20 estava na Real Sociedad. Martin Ødegaard teve uma temporada de alto nível, fazendo grandes partidas pelos bascos e inclusive contribuindo de forma importante à campanha do time para chegar à final da Copa do Rei, eliminando o Real Madrid, com quem tem contrato, e com um dos gols dele. Contribuiu com sete gols e nove assistências e o time conquistou o sexto lugar, com uma vaga na Liga Europa.

O destaque do norueguês pela Real Sociedad criou pressão no Real Madrid. O empréstimo do jogador para a Real Sociedad estava previsto para mais uma temporada, mas a necessidade do time merengue e a falta de dinheiro para grandes contratações, combinado com a pressão por um dos melhores jogadores de La Liga ser do Real Madrid, mas não estar no clube, fez com que Zidane chamasse o jogador de volta a Valdebebas.

O meia já tinha dito aos companheiros de equipe que continuaria no clube e a sua saída foi muito sentida. “Quando anunciaram que ele sairia, ficamos cambaleando”, afirmou Portu, em relação ao sentimento dos jogadores. “Nós choramos com a sua saída”, disse ainda Miguel-Ángel Moyá. O clube, porém, foi muito rápido em repor a saída de Ødegaard. Menos de dois dias depois da saída do norueguês, anunciou David Silva, que deixava o Manchester City, como reforço.

A expectativa por Ødegaard em Madri era grande. “Ele cobre uma grande área do campo, entende o jogo, pode clarear tudo com um passe, um drible e um chute de longa distância. Um talento variado, atrativo e prático”, escreveu Jorge Valdano. O cronista, porém, tinha alertado que a volta a Madrid poderia não ser boa para o jogador e para o clube.

“Quando eu digo que outro ano na Real Sociedad não seria algo ruim, não estou dizendo que falta maturidade, mas neste momento o elenco do Real Madrid é rico em recursos. O contexto não oferece garantidas para ganhar espaço no time. Quando o elenco, como consequência do planejamento e idade, começar a se desfazer dos jogadores de prestígio que tem agora, Ødegaard poderá chegar no status de craque como ele merece. Na sua idade, é melhor jogar 50 jogos na Real Sociedad do que sentar e esperar no Real Madrid”, escreveu Valdano.

A questão de poucas chances para jovens jogadores não é nova no Real Madrid, mas tem sido motivo de questionamento de Zinedine Zidane, entre outras coisas. Foram apenas nove partidas de Ødegaard na atual temporada, em um total de 367 minutos em campo. Em dezembro e janeiro, o meia entrou em campo 77 minutos contra o Shakhtar Donetsk, pela Champions League, e outros cinco minutos diante do Celta, no dia 2 de janeiro. No jogo contra o Alcoyano, pela Copa do Rei, no dia 20, Ødegaard sequer foi relacionado.

Quando entrou o mês de janeiro, vendo que jogaria pouco, Ødegaard pediu ao Real Madrid para sair, poder ir para algum lugar onde tivesse chance de jogar. San Sebastián era o destino óbvio e havia o interesse do clube. O Real Madrid, porém, preferia emprestá-lo para um time fora de La Liga, até para que não houvesse novamente a pressão que houve na temporada passada com suas boas atuações. Veio, então, uma proposta do norte de Londres. A decisão de ir para a Inglaterra teve uma pessoa fundamental: o espanhol Mikel Arteta.

“Eu falei com ele [Arteta] antes de vir para cá, é claro. Isso foi muito importante para mim e ele parece um técnico de alto nível e eu gostei das suas ideias, o modo como ele vê o futebol e também o modo como ele é. Ele me deu um grande sentimento e isso foi importante para mim estar aqui. Ele foi crucial”, comentou Ødegaard ao site do Arsenal.

“Eu acho que toda vez que vamos para um novo lugar, você quer garantir que isso se sinta bem e há um plano. Mas eu acho que tudo aqui parece bom. Eu gosto do clube e eu sempre gostei do modo que o clube quer jogar. Tudo sobre este clube e como o técnico quer jogar, eu acho que é um clube que realmente é adequado para mim. Então acho que é uma boa combinação”, continuou o meia.

“É ótimo que nóos asseguramos que Martin venha para nós até o fim da temporada. Martin é um jogador que, é claro, todos nós conhecemos bem e ainda é muito jovem, ele bem jogador em alto nível há algum tempo. Martin irá nos dar opções ofensivas de qualidade e nós todos estamos empolgados em integrá-lo nos nossos planos de agora até meio”, afirmou Arteta sobre a nova contratação.

O técnico da Noruega, Stale Solbakken, gostou da ida para os Gunners. “O O estilo de jogo do Arsenal pode se encaixar bem com ele. Eu gosto do estilo que Mikel Arteta está tentando impor”, disse o treinador. Ele é titular da seleção, onde é companheiro de outra estrela jovem, Erling Braut Haaland. No Arsenal, Ødegaard vestirá a camisa 11, que era de Mesut Özil.

Ødegaard vestirá a camisa 11 no Arsenal (Arsenal FC)

Será o quarto empréstimo de Ødegaard desde que chegou ao Real Madrid, em 2015, quando fez 16 anos. Apesar de ter jogador uma partida no time principal na temporada chegou, tornando-se o mais jovem a vestir a camisa do clube, ele ficou insatisfeito quando foi colocado para jogar pelo time Castilla – que, por sinal, tinha Zinedine Zidane como técnico. Começou então a sua série de empréstimos.

O primeiro, em 2017, foi o Heerenveen, da Holanda. Depois, outra vez a Holanda, no Vitesse, em 2018. Em 2019, acertou para ficar duas temporadas na Real Sociedad, mas ficou apenas uma e voltou ao Real Madrid. Desta vez, ficará até junho de 2021 no Arsenal e buscará, mais uma vez, mostrar que pode estar em um grande clube – seja o Real Madrid ou outro. Ele tem contrato com os merengues até junho de 2023.

O tempo é muito curto. O fim da temporada é em maio, o que significa que ele sequer terá tempo para se adaptar. Precisará começar voando para impressionar e ganhar um lugar no time de Arteta, que já está sob pressão para entrar resultados melhores. É um desafio difícil. O pouco tempo pode fazer com que ele não tenha tanto tempo em campo quanto gostaria. É uma aposta dos dois lados, mas Ødegaard sabia que não queria continuar em Madri. Sabe que, com Zidane, ele não iria jogar. No Arsenal, ao menos, ele deve ter a chance de mostrar que tem o seu valor.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo