Futebol feminino

O novo feminino do Cruzeiro: ‘Fico’ de peça-chave e bastidores do projeto de Pedrinho BH

O Cruzeiro voltou a abrir um treino do time feminino; personagens importantes concederam entrevista

Após quatro meses, o Cruzeiro voltou a abrir um treino do time feminino para a imprensa e sócios-torcedores acompanharem. As atividades foram realizadas nessa terça-feira (11), na Toca da Raposa 2.

Além dos trabalhos técnicos, personagens importantes das Cabulosas, como a camisa 10 Byanca Brasil, a goleira Taty Amaro, o treinador Jonas Urias e a diretoria de futebol Kin Saito, que deu a grande notícia da semana na categoria, falaram com os jornalistas.

Kin Saito fica no Cruzeiro

Diretora de futebol do Cruzeiro e considerada peça chave na reestruturação e sucesso das Cabulosas, Kin Saito comunicou, após o fim das atividades, sua permanência na Toca da Raposa 2.

— Fico! Com convicção, com alegria, com autonomia, com respaldo, de verdade. Não é só uma escolha minha, mas da nova turma, do Pedro Lourenço. É ficar para acelerar esse desenvolvimento do futebol feminino do Cruzeiro. Tenho família mineira, apesar do sotaque carioca. Espero que a nação azul saiba o quanto eu estou fechada e comprometida com as Cabulosas e o quanto estou feliz aqui — disse a dirigente, que se mostrou muito alegre, dançando, fazendo piadas e esbanjando simpatia durante as conversas informais com os jornalistas.

Veja a declaração na íntegra:

Com a mudança de gestão — Pedrinho BH comprou a SAF celeste junto a Ronaldo Fenômeno —, muito se questionou sobre como a nova diretoria iria enxergar o projeto na Raposa.

Mas, como a Trivela trouxe com exclusividade, a ideia da equipe de Pedrinho é aumentar os investimentos, tanto no feminino, quanto nas categorias de base do Cruzeiro.

Isso aumentou a confiança no sucesso das Cabulosas, vistas como um pilar da nova fase da Raposa.

Kin revelou que chegou a receber propostas de outros clubes, mas que segue firme no time mineiro.

É verdade que recebi outras propostas, mas foi fácil pensar nos prós e contras, cada cargo, que seriam oportunidades de contribuir com o futebol feminino, que é meu grande propósito, e eu escolhi e continuo escolhendo o Cruzeiro — afirmou.

Jonas Urias e atletas reforçam confiança no projeto

Tanto o treinador Jonas Urias, quanto Taty Amaro, goleira da Raposa, falaram sobre o novo momento do Cruzeiro, sob nova direção, e a confiança no projeto se mostrou unânime.

— Foi muito positiva a forma com que a nova diretoria acolheu o projeto do futebol feminino. Com tiveram a sensibilidade de olhar o que vinha sendo feito e reconhecer o valor, tanto das pessoas, quanto das ideias e prática do projeto. Fez toda a diferença. O que teve até então foi troca de confiança entre as partes — afirmou Urias.

Taty Amaro ressaltou as melhorias que vêm acontecendo no dia a dia das Cabulosas desde a chegada de Pedro Lourenço.

Cada vez mais as coisas têm melhorado, desde o Ronaldo, agora com o Pedrinho também. Temos a certeza de que o que é melhor para o Cruzeiro é melhor para o Cruzeiro Feminino. Somos um só! — afirmou a goleira.

Os treinamentos do Cruzeiro Feminino

Durante os treinamentos, foi possível observar um trabalho muito intenso das goleiras, que fizeram exercícios de reflexos e explosão, sempre bastante cobradas pelo preparador Fabrício Vieira.

— O Fabrício, apesar de muito novo, é muito experiente. Todos os dias ele vem com trabalhos muito difíceis e importantes. O tempo todo ele está tentando melhorar as goleiras. Isso tem me ajudado muito. Cada defesa que eu faço tem muito dele. No subconsciente, quando faço alguma defesa, escuto a voz dele — contou Taty Amaro, goleira “resenha” da Raposa, que se mudou para bem pertinho da Toca da Raposa 2, onde fica bem próxima dos seus amigos, os funcionários do clube.

As jogadoras de campo, por sua vez, fizeram trabalhos de ataque pelas alas, com cruzamentos e finalização, além de construção de jogadas desde as goleiras.

A bola saía dos pés das arqueiras e passava por todas as jogadoras até o momento da finalização. Quando a defesa recuperava, tentava armar contra-ataques rápidos.

Enquanto os lances se desenrolaram, as goleiras defendiam “pedradas” de Fabrício Vieira, para se manterem atentas.

Isa Fernandes treinou separadamente

A lateral Isa Fernandes, afastada do elenco por indisciplina, treinou separadamente do elenco. A defensora negocia sua saída do Cruzeiro, conforme apurou a Trivela.

Byanca Brasil e a camisa do Cruzeiro

Craque e camisa 10 do Cruzeiro, a atacante Byanca Brasil apareceu em sua apresentação na Seleção Brasileira, no dia 26 de maio — a jogadora foi convocada pela primeira vez para a equipe principal — vestindo a camisa branca da Raposa, algo incomum.

A imagem rodou o Brasil e foi muito utilizada pela CBF em suas redes sociais. A torcida do Cruzeiro, inclusive, se mostrou muito orgulhosa da atitude da atacante.

Questionada sobre a escolha, Byanca explicou os motivos.

— Eu gostei muito da camisa. E pensei realmente em montar o look para a chegada na Seleção porque o Cruzeiro me ajudou muito a chegar lá. E acho eu devo isso ao torcedor, ao clube, às meninas, a todo mundo que me ajudou. Foi um modo de representar o Cruzeiro. É uma camisa que amo, acho muito bonita. Foi no momento certo. Representei muito bem a Nação Azul — falou a camisa 10, que foi modelo no lançamento do uniforme em questão.

Byanca Brasil foi titular da Seleção Feminina na vitória por 4 a 0 sobre a Jamaica, em amistoso disputado no último dia 4.

Byanca exalta torcida celeste

Byanca Brasil ainda elogiou e agradeceu à torcida do Cruzeiro que fez grande festa durante a vitória sobre o Fluminense, por 2 a 0, no domingo (9). A partida foi disputada na Arena Gregorão, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

— A gente vem batendo muito nessa tecla, pedindo o torcedor nos estádios com a gente. Claro que em Nova Lima fica mais difícil, agora o jogo foi mais perto, a qualidade do gramado também foi importante para a gente fazer um grande espetáculo para a torcida e cada vez mais chamar eles — começou a jogadora.

— Faz total diferença. O jogo todo eles gritando desanima um pouco o adversário e anima a gente, então fazer o gol, comemorar, escutar os cantos que a gente sabe e muitas vezes acabamos cantando junto de dentro do campo. Dá um up e ajuda muito a buscar os três pontos — concluiu a camisa 10.

Foto de Maic Costa

Maic CostaSetorista

Maic Costa é mineiro, formado em Jornalismo na UFOP, em 2019. Passou por Estado de Minas, Superesportes, Esporte News Mundo, Food Service News e Mais Minas, antes de se tornar setorista do Cruzeiro na Trivela.
Botão Voltar ao topo