Copa do Mundo Feminina

Copa do Mundo Feminina: CazéTV desativa chat após enxurrada de mensagens machistas

Transmissão do jogo de abertura da Copa-2023 contou com episódios de preconceitos de internautas

A abertura da Copa do Mundo Feminina, entre Nova Zelândia e Noruega, contou com um episódio lamentável durante a transmissão. Uma das detentoras da competição, a CazéTV, no YouTube, precisou desativar as mensagens do chat ao vivo após uma enxurrada de mensagens machistas. 

“Que m****. Vão lavar a louça”, escreveu um internauta anônimo.

“Deviam jogar de shortinho de academia. Esses shortãoo de macho ficam sem graça”, escreveu outro anônimo.

RESUMÃO: Fique por dentro dos destaques do primeiro dia da Copa do Mundo Feminina

Em nota (leia abaixo), a plataforma pertencente ao influenciador Casimiro Miguel repudiou os ataques e explicou os próximos passos para as demais transmissões.

O chat da CazéTV no YouTube foi desativado durante a transmissão de Nova Zelândia x Noruega porque percebemos que algumas pessoas estavam aproveitando a oportunidade de visibilidade para destilar preconceitos inaceitáveis dentro dos valores da CazéTV e de qualquer sociedade. Nos próximos jogos teremos ainda mais moderadores preparados para permitirem que as pessoas que curtem o canal se manifestem livremente e que discursos discriminatórios sejam banidos, como deve acontecer com qualquer espécie de preconceito.

Comentaristas foram atacadas por internautas na transmissão

Os comentários de parte dos internautas, que acompanhavam na CazéTV a partida, que contou com a vitória histórica das donas da casa sobre as norueguesas, eram carregados de preconceito e xingamentos direcionados às mulheres que integravam a bancada de transmissão. 

ESPECIAL: Um mapa interativo com as 736 convocadas à Copa do Mundo Feminina

No quarteto que conduziu a estreia estavam o narrador Luis Felipe Freitas, o próprio Cazé, além das comentaristas Belle Suarez e Ju Cabral – inclusive, esta última é ex-jogadora da seleção brasileira. 

A escala de toda a competição conta com várias mulheres nos comentários, reportagens e também na narração. 

Através da plataforma YouTube, o canal será o único a transmitir todos os 64 jogos da Copa Feminina, além do Fifa+, streaming oficial da entidade organizadora do evento. 

Já a Rede Globo, detentora dos direitos de transmissão na TV, vai transmitir 34 partidas entre o canal da Globo (TV aberta), SporTV e Globoplay. 

Foto de Livia Camillo

Livia Camillo

Formada em jornalismo pelo Centro Universitário FIAM-FAAM, escreve sobre futebol há cinco anos e também fala sobre games e cultura pop por aí. Antes, passou por Terra, UOL, Riot Games Brasil e por agências de assessoria de imprensa e criação de conteúdo online.
Botão Voltar ao topo