Champions League Feminina

Chelsea abusou dos erros, mas foi buscar o empate por 3 a 3 com o Wolfsburg

O duelo mais equilibrado do segundo dia de Champions League feminina da semana entregou o que se esperava: um jogaço

Sam Kerr fez um golaço, como de costume, mas o Chelsea abusou dos erros e permitiu que o Wolfsburg abrisse 3 a 1 nesta quarta-feira, na primeira rodada da fase de grupos da Champions League feminina. No entanto, o atual campeão da Superliga da Inglaterra foi buscar o empate por 3 a 3, pelo Grupo A, com gol de Pernille Harder nos acréscimos da etapa final.

A Champions League feminina foi remodelada para esta temporada. O formato com mata-mata puro deu lugar a uma fase de grupos, similar à do torneio masculino, com quatro chaves com quatro times em cada. Os primeiros jogos foram realizados na terça-feira, com destaque para a goleada do Barcelona sobre o Arsenal e para o retorno de Ada Hegerberg, vencedora da Bola de Ouro de 2018, após quase dois anos afastada por lesão.

Nesta quarta-feira, o jogo com mais expectativa era justamente entre Chelsea e Wolfsburg, um dos mais fortes times femininos da Alemanha, que havia conquistado quatro vezes a Bundesliga antes de ser superado pelo Bayern de Munique na última temporada. Há nove anos, é campeão ou vice do Campeonato Alemão.

Quem começou melhor foi o Chelsea. Logo aos 10 minutos, Ji So-yun bateu uma falta perigosa no canto, para boa defesa da goleira Almuth Schult. Dois minutos depois, Ji lançou nas costas da zaga pela esquerda e Kerr finalizou por cobertura para abrir o placar com um lindo gol.

Muito boa goleira, um dos destaques da Champions passada em que o Chelsea chegou à final, a goleira Ann Katrin Berger não estava em seu melhor dia e falhou duas vezes. A primeira foi aos 17 minutos do primeiro tempo. A bola parecia morta, mas houve uma falha de comunicação entre a goleira e Magdalena Eriksson. A defensora protegeu, esperando que Berger afastasse. Ela, porém, furou, e Tabea Wassmuth ficou com a sobra para tocar ao gol vazio.

O Chelsea seguiu em cima. Kerr pegou mal um cruzamento de Millie Bright e perdeu uma chance que não costuma perder, e Melanie Leupolz quase marcou o segundo das inglesas com um chute de fora da área que se transformaria em golaço. Na marca de meia hora, porém, Berger errou novamente.

Dessa vez, foi na saída de bola. A alemã tocou na fogueira para Leupoulz, que foi desarmada por Lena Oberdorf. Jill Roord recebeu na entrada da área e bateu cruzado para virar o jogo. No começo da etapa final, outro vacilo, agora de Jess Carter, que tentou um recuo pela ponta direita e acionou Wassmuth. Com muita calma, a atacante bateu na saída de Berger para fazer o terceiro.

Bethany England descontou logo em seguida, matando uma bola que ficou viva dentro da área após escanteio, e Berger se redimiu com uma linda defesa em que buscou o chute colocado de Wassmuth no cantinho. O gol de empate saiu nos acréscimos. Harder começou a jogada tentando encontrar Leupolz dentro da área. Dominique Janssen tentou interceptar, mas não ficou com a bola. Leupolz ainda dominou antes de Harder completar às redes.

.

 

No outro jogo do grupo, a Juventus venceu o Servette, da Suíça, por 3 a 0. A goleira Inês Pereira defendeu pênalti de Andrea Staskova, aos 27 minutos, para impedir que a Juventus abrisse o placar. Ganhou apenas dez minutos de respiro porque Arianna Caruso garantiu a vantagem da Velha Senhora antes do intervalo com um chute de primeira para aproveitar o lançamento de Lisa Boattin. Lina Hurtig e Valentina Cernoia, de fora da área, fecharam o placar.

.

 

Os favoritos venceram no Grupo B. Lea Khelifi apareceu na primeira trave para dar a vantagem ao Paris Saint-Germain contra o Kharkiv, da Ucrânia, e Grace Geyoro bateu cruzado, no finalzinho da partida, para confirmar a vitória por 2 a 0. Um gol chorado e solitário de Lorena Navarro garantiu ao Real Madrid o triunfo pelo placar mínimo contra o Breidablik, da Islândia.

.

.

.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo