Campeonato Brasileiro Feminino

Em primeiro Conselho Técnico, CBF anuncia R$ 25 milhões em investimentos no Brasileirão Feminino

Além de nova premiação milionária e reajuste de cotas, CBF disponibilizará VAR a partir das quartas de final da competição neste ano

No primeiro Conselho Técnico com todos os clubes que vão participar do Brasileirão Feminino, realizado nesta sexta-feira (23), a CBF anunciou um investimento recorde de R$ 25 milhões para a Série A1 da competição e a incorporação de VAR a partir das quartas de final. O encontro reuniu virtualmente representantes de todos os 16 clubes que vão disputar o torneio neste ano, além de diretores e o presidente da entidade, Ednaldo Rodrigues.

– Vamos fazer um investimento histórico em torno de R$ 25 milhões. Fizemos um aumento substancial em cotas e premiações, vamos crescer o investimento em arbitragem, teremos o VAR a partir das quartas-de-final, e vamos arcar com a logística de todas as equipes entre outros investimentos – disse Ednaldo Rodrigues ao declarar aberta a sessão do Conselho Técnico na sede da CBF, no Rio de Janeiro.

O recorde financeiro também vem acompanhado de um reajuste nas cotas para todas as equipes que disputarem o campeonato. Na primeira fase, cada time receberá R$ 300 mil. Na segunda fase, os oito classificados receberão um total de R$ 100 mil. Os quatro finalistas receberão mais R$ 100 mil. No total, a CBF vai distribuir R$ 6 milhões em cotas.

A premiação também será recorde, quase R$ 2,3 milhões. O campeão vai embolsar R$ 1,5 milhão. O vice ficará com R$ 750 mil. O reajuste foi de 25% a mais do que em comparação com a edição anterior.

Por fim, a CBF também disponibilizará o VAR em todas as partidas a partir das quartas de final. Nesta edição, a entidade também passa a arcar com todos os gastos de transporte, logística e doping, entre outras questões financeiras de rotina.

– O objetivo da CBF é fortalecer ainda mais o futebol feminino brasileiro, que é uma das bandeiras da nossa gestão. Vamos investir sempre mais na qualificação de toda a cadeia produtiva do futebol feminino. Queremos formar também novas gestoras, médicas, treinadoras, árbitras. A intenção é dar um salto de qualidade no futebol feminino nos próximos anos – afirmou o presidente.

– A intenção é tornar a competição ainda mais atraente para novos patrocinadores e para o público – acrescentou.

A disputa do Campeonato Brasileiro Feminino acontecerá entre 17 de março e terá mais de seis meses de disputa. A final está programada para o dia 22 de setembro.

Novo modelo de organização do futebol feminino na CBF

A exemplo do masculino, em que todas as competições possuem reuniões de Conselho Técnico, a CBF aplicará o mesmo modelo para as competições femininas a partir deste ano.

Este é mais um passo da entidade rumo à profissionalização geral da modalidade no Brasil. Recentemente, novidades impactantes foram anunciadas para o futebol feminino, incluindo outros recordes de investimentos e também uma melhor organização do calendário de competições.

– Esses encontros são importantes para discutir exaustivamente todos os pontos importantes para o fortalecimento da competição. A nossa missão é fazer o futebol feminino cada vez mais forte no nosso país – disse o mandatário da CBF.

Toda essa revolução acontece em meio à candidatura do Brasil para sediar a Copa do Mundo Feminina de 2027. O país concorre com Estados Unidos e México, em candidatura conjunta. Além de outra tripla na Europa, com Bélgica, Alemanha e Holanda.

Botão Voltar ao topo