Europa

Israel e Espanha avançam às semifinais da Euro Sub-21 e ficam a um triz das Olimpíadas

Israel eliminou a empolgada anfitriã Geórgia nos pênaltis, enquanto a Espanha passou pela Suíça na prorrogação

O Campeonato Europeu Sub-21 abriu seus mata-matas neste final de semana, com partidas fundamentais não apenas à sequência da competição. O torneio continental também determinará os três representantes da Europa nos Jogos Olímpicos. Assim, a passagem às semifinais praticamente garante a presença nas Olimpíadas – especialmente quando a França, ainda viva no torneio, tem vaga automática por ser sede e a Inglaterra, por não representar a Grã-Bretanha como um todo, não pode se classificar. Israel e Espanha deram passos gigantescos neste sábado rumo aos Jogos de Paris, ao passarem pelas quartas de final. Os israelenses continuam o ano espetacular na base e, nos pênaltis, despacharam a anfitriã Geórgia. Já os espanhóis passaram pela Suíça na prorrogação.

Apesar da nomenclatura, o Campeonato Europeu Sub-21 envolve times sub-23 – o sub-21 vale apenas para o início das eliminatórias, dois anos antes da fase final da competição. Desta maneira, os elencos representados no torneio continental devem ser muito parecidos com os disponíveis nas Olimpíadas. Apenas os jogadores nascidos em 2000 é que acabarão barrados para os Jogos de Paris.

Israel continua como sensação na base

A primeira semifinal deste sábado envolveu duas sensações da Euro Sub-21, Israel e Geórgia. Os georgianos vinham com uma equipe cheia de jogadores da seleção principal, mesmo desfalcados de Khvicha Kvaratskhelia, e contavam com o apoio da torcida. Os anfitriões estabeleceram os três maiores públicos da história do torneio e levaram 44 mil às arquibancadas neste sábado. O que não foi suficiente para atrapalhar Israel. Depois do empate por 0 a 0, os israelenses ganharam por 4 a 3 nos pênaltis.

Israel foi superior no primeiro tempo e parou na trave durante a segunda etapa, mas também foi ameaçado pela Geórgia na volta do intervalo. Os goleiros trabalharam bastante. Já na prorrogação, os israelenses chegaram mais vezes ao ataque. Sem que o zero saísse do marcador, a definição foi para os pênaltis. Melhor para Israel, que converteu seus quatro chutes e viu a Geórgia perder dois, com o triunfo pro 4 a 3. O goleiro Daniel Peretz defendeu uma das batidas e terminou como herói. O camisa 1 está entre os destaques do time, ao lado do meia Oscar Gloukh e do volante Omri Gendelman. Os israelenses, vale lembrar, alcançaram as semifinais do último Mundial Sub-20 – com parte dos destaques aproveitados neste time sub-23.

A Espanha sublinha a força histórica na base

Já na outra semifinal, Espanha e Suíça possuem mais status na categoria. Os suíços vinham motivados após eliminarem a Itália na fase de grupos e apresentavam bons valores – como Zeki Amdouni, Dan Ndoye, Fabian Rieder e Ardon Jashari. Entretanto, a Espanha é mais qualificada e buscou a vitória por 2 a 1. A Roja conta com vários jogadores com rodagem nas grandes ligas – com menção especial à trinca de meias formada por Rodri Sánchez, Oihan Sancet e Sergio Gómez.

A Espanha dominou a partida durante os 90 minutos e abriu o placar aos 23 do segundo tempo. Abel Ruiz fez o pivô na área e serviu o tento de Sergio Gómez, com um chute no canto. Porém, a Suíça conseguiu ressuscitar nos acréscimos do segundo tempo, com o empate de Zeki Amdouni aos 46. Apesar disso, a Roja tinha mais força para aguentar a prorrogação e definiu o placar no primeiro tempo extra. O forte lado esquerdo apareceu de novo, com o gol decisivo anotado pelo lateral Juan Miranda, num chute de fora da área que desviou no meio do caminho. Os suíços mal esboçaram o empate depois disso.

A definição das quartas de final

As outras duas quartas de final acontecerão neste domingo. A Inglaterra encara Portugal e o vencedor pegará Israel na próxima fase. Já a França mede forças com a Ucrânia e a Espanha desafiará o ganhador. Se franceses ou ingleses avançarem às semifinais, israelenses e espanhóis se confirmarão nas Olimpíadas por antecipação.

Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo