Europa

Euro Sub-21 tem Geórgia e Israel como sensações, enquanto Alemanha e Itália caíram cedo

Geórgia e Israel disputarão uma vaga nas semifinais, enquanto a Alemanha se despede com uma das piores campanhas

O Campeonato Europeu Sub-21 entregou uma competição de alto nível na fase de grupos. O principal torneio de base da Uefa contou com equipes fortes e grupos quase sempre equilibrados. Alguns favoritos despontaram desde cedo, em especial Inglaterra e França, únicos times com 100% de aproveitamento. Mas isso não impediu o sucesso de seleções em ascensão, como Geórgia e Israel. Por outro lado, há espaço também para decepções. Alemanha e Itália ficaram pelo caminho, enquanto Bélgica e Holanda morreram abraçadas na mesma chave. Abaixo, um resumão.

Grupo A: Geórgia líder, Bélgica e Holanda fora

A Geórgia é uma das sensações do Europeu Sub-21. O time da casa pode não contar com Khvicha Kvaratskhelia, que pediu dispensa do torneio, mas continua invicto e arrastou multidões às arquibancadas. Foram duas partidas com mais de 40 mil presentes, ambas recordes da história da competição. Os georgianos começaram com tudo, nos 2 a 0 sobre Portugal. Depois empataram por 2 a 2 com a Bélgica e completaram a fase de grupos com o 1 a 1 diante da Holanda. Terminaram na liderança do Grupo A, com cinco pontos.

A segunda colocação ficou com Portugal. A Seleção das Quinas se recuperou da derrota na estreia contra a Geórgia. Primeiro empatou por 1 a 1 com a Holanda e selou a passagem na segunda colocação com os 2 a 1 sobre a Bélgica na rodada final. O gol decisivo, de Tiago Dantas, saiu aos 44 do segundo tempo. Com isso, belgas e holandeses morreram abraçados. Tinham bons talentos à disposição, mas não foram competitivos o suficiente.

Grupo B: Ucrânia no mesmo patamar da Espanha

O Grupo B teve duas seleções muito à frente das outras, ambas classificadas por antecipação. A Ucrânia chama mais atenção, por contar com vários jogadores da seleção principal – entre eles o ponta Mykhaylo Mudryk. Os auriazuis começaram com tudo, ao derrotarem a Croácia por 2 a 0 e depois a anfitriã Romênia por 1 a 0. Já na rodada final, venciam a Espanha até os 45 minutos do segundo tempo, mas o empate por 2 a 2 deixou o time na segunda colocação.

A própria Espanha foi a líder, graças ao saldo de gols superior ao da Ucrânia. A Roja tinha atropelado a Romênia por 3 a 0 na estreia e depois bateu também a Croácia por 1 a 0, antes do referido 2 a 2 contra os ucranianos. Os espanhóis reúnem diversos destaques de clubes médios de La Liga. Na rabeira, romenos e croatas não empolgaram. Ambos fizeram apenas um ponto, com o empate por 1 a 1 na rodada final. Não houve o mesmo nível de mobilização na torcida romena, com o maior público chegando a 21 mil espectadores.

Grupo C: Inglaterra favorita e Alemanha desastrosa

A seleção da Inglaterra vinha com um dos elencos mais fortes do Europeu Sub-21. Vários jogadores da equipe possuem experiência na Premier League. E os Three Lions treinados por Lee Carsley nadaram de braçada no Grupo C, com nove pontos. Estrearam com vitória sobre a República Tcheca por 2 a 0, depois bateram também Israel por 2 a 0 e fecharam a primeira fase com outro 2 a 0 sobre a Alemanha. O resultado foi cabal para a eliminação dos alemães, enorme decepção num torneio no qual costumam se dar bem.

A Alemanha somou um mísero ponto, justamente contra Israel, o outro classificado do Grupo C. As duas equipes empataram por 1 a 1 na primeira rodada, num jogo em que os alemães desperdiçaram dois pênaltis. Depois, perderam por 2 a 1 para os tchecos. Já os israelenses, mesmo derrotados para os ingleses na segunda rodada, se deram melhor no confronto direto do terceiro jogo. Nesta quarta-feira, Israel derrotou a República Tcheca por 1 a 0, gol de Omri Gandelman aos 37 do segundo tempo. Com quatro pontos, acabaram se dando melhor rumo aos mata-matas e sublinham o momento especial após um excelente Mundial Sub-20. Depois de eliminarem o Brasil, os alviazuis agora deixam pelo caminho a Alemanha.

Grupo D: França soberana e Itália morre cedo

A França era outra seleção bastante respaldada no Europeu Sub-21, com um elenco forte em todos os setores. Terminou com 100% de aproveitamento no Grupo D. Primeiro derrotou a Itália por 2 a 1 e depois anotou 1 a 0 na Noruega. Já nesta quarta-feira, a liderança se confirmou com os 4 a 1 sobre a Suíça. Amine Gouiri, Bradley Barcola, Rayan Cherki e Maxence Caqueret anotaram os gols dos Bleus no atropelamento. É um forte candidato ao título.

Curiosamente, quem passou na segunda colocação foi a Suíça, nos critérios de desempate. Os suíços somaram os mesmos três pontos de Itália e Noruega, com um saldo de gols total até pior, mas avançaram pelo maior número de gols marcados nos confrontos diretos com os concorrentes. Os helvéticos tinham feito 2 a 1 nos noruegueses e perderam por 3 a 2 para os italianos. A Azzurra, aliás, é quem mais lamenta. Tinha um elenco recheado de jogadores com experiência na Serie A e até na seleção. O time foi prejudicado contra a arbitragem diante da França e perdeu um jogo crucial para a Noruega por 1 a 0 na rodada final, quando só dependia do empate. Erik Botheim anotou o gol, que pouco adiantou também aos escandinavos.

Como ficaram as quartas de final

Pelo menos uma das surpresas da Euro Sub-21 estará nas semifinais. Geórgia e Israel se enfrentam em um dos duelos das quartas de final. Os outros jogos reúnem Inglaterra x Portugal, Espanha x Suíça e França x Ucrânia. Vale lembrar que os três primeiros colocados do torneio estarão nos Jogos Olímpicos de 2024 – os franceses, como país-sede, estão garantidos previamente. As partidas são transmitidas pela Uefa TV.

  • 1° de julho – Geórgia x Israel
  • 1° de julho – Espanha x Suíça
  • 2 de julho – Inglaterra x Portugal
  • 2 de julho – França x Ucrânia
Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo