Eurocopa 2024

‘Apaixonados como brasileiros’: atacante conta como a torcida da Turquia vive a Eurocopa

Brasileiro Davidson, do clube turco Başakşehir, detalha à Trivela a repercussão da competição no país transcontinental com a campanha

Apesar das grandes expectativas que a sensação Áustria deixou na fase de grupos da Eurocopa 2024, quem se sobressaiu nas oitavas de final foi a Turquia, agora nas quartas da competição.

O duelo decisivo acontece neste sábado (6), a partir das 16h (horário de Brasília), contra a Holanda. Se passar, enfrenta Suíça ou Inglaterra, que jogam mais cedo.

Os turcos, como vistos nos quatro jogos até aqui, tem dado um show nas arquibancadas e marcam enorme presença nas arenas pela forte comunidade na Alemanha.

Se o clima é bom no território alemão, imagina como estão as ruas de Istambul, Trebizonda e outras cidades da Turquia ao estar entre as oito melhores seleções da Europa, melhor campanha desde que alcançou a semifinal da Euro 2008.

Acompanhando esse fenômeno de perto, o atacante brasileiro Davidson, hoje no Başakşehir, contou em entrevista exclusiva à Trivela como estão os turcos pela campanha surpresa na competição europeia.

– Você não tem noção de como a torcida turca está nas ruas, nas redes sociais, essas coisas todas. A felicidade e como eles estão honrados de ver que a seleção da Turquia está nas quartas de final da Euro. Para eles é um feito muito importante. – detalhou o jogador.

Davidson fala com conhecimento do futebol e da torcida local: além de defender o clube atual desde fevereiro, jogou pelo Alanyaspor entre 2020 e 2022.

Segundo o ex-Fortaleza, o amor dos fãs da Turquia é parecido com o público do Brasil e os leva a viajar pelo continente para apoiar a seleção local.

Para mim, o povo turco é o que mais parece com o brasileiro. Os caras são apaixonados por futebol. É muito louco. Tem turco pra caramba pela Europa e eles são tão apaixonados que eles pegam os carros e vão pra Alemanha para assistir o jogo da Eurocopa, além dos que já estão lá emigrados. É uma coisa bonita de se ver aqui.

Questionado sobre as diferenças entre os torcedores brasileiros e os turcos, Davidson entende que no país transcontinental há mais apoio, também justificado pelas diferenças entre o tamanho das seleções.

Eles são realmente tipo um 12º jogador, ficam apoiando. Essa é a diferença com o Brasil, que você vê muita gente que focada em julgar, apesar de outros também torcendo muito. Não é que aqui na Turquia eles não critiquem, mas apoiam muito mais do reclamam.

Torcedores da Turquia durante jogo da Eurocopa 2024
Torcida turca faz festa histórica durante Euro, na Alemanha ou no próprio país (Foto: Icon Sport)

Por clubes, Davidson também vê a paixão dos turcos

Por defender uma equipe com menos torcedores em Istabul comparado aos gigantes da cidade, Galatasaray, Fenerbahçe e Besiktas, o brasileiro já sentiu muito essa pressão dos fãs rivais, apesar de tratar como algo bom.

A massa associativa dos três clubes grandes são enormes. Você vai jogar contra Galatasaray, Fenerbahçe ou Besiktas e vai ter 50, 60 mil torcedores no estádio, o tempo todo cantando. É uma pressão, mas é gostoso de jogar, é bom demais jogar em estádio lotado. Todos os três tem torcida muito presentes, que jogam juntos, mas acho que a do Galatasaray mete mais pressão.

E apesar dessa pressão das arquibancadas, o atacante se saiu bem nos poucos meses que pôde jogar da temporada turca em 2023/24.

Mesmo vindo do futebol chinês, rapidamente se adaptou, tomou conta da ponta esquerda e marcou quatro gols nos últimos quatro jogos, sendo essencial para classificação do time à Conference League 2024/25.

Atacante quase fechou com Botafogo e ficou frustrado com desfecho

Antes de fechar com o Başakşehir, Davidson recebeu propostas do Botafogo, que o tentou contratar em três janelas consecutivas.

O clube do atacante à época, o chinês Wuhan Three Towns, fez jogo duro e evitou o negócio.

Fiquei um pouco frustrado do negócio com o Botafogo não ter dado certo porque da última vez estava tudo encaminhado e não fechamos por causa do clube. Eu já tinha trabalhado com o Luis Castro [então técnico do Botafogo] duas vezes em Portugal. Eu queria voltar e estaria em casa, sou nascido no Rio de Janeiro.

O atacante brasileiro Davidson pelo Başakşehir
O atacante brasileiro Davidson pelo Başakşehir (Foto: Reprodução/Instagram)

O atacante tem contrato até 2025 com a equipe turca e ainda não há nada confirmado. Apesar de sonhar em jogar a elite do Campeonato Brasileiro pela primeira vez, ele e a família gostam da Turquia.

– Eu procuro trabalhar bastante para ter longevidade. Eu tenho contrato aqui até junho de 25 e não sei o que Deus está preparando. Claro que se eu voltasse ao Brasil ia ficar muito feliz porque eu não consegui nem jogar o Brasileirão. – finalizou.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Nascido e criado em São Paulo, é jornalista pela Universidade Paulista (UNIP). Já passou por Yahoo!, Premier League Brasil e The Clutch, além de assessorias de imprensa. Escreve sobre futebol nacional e internacional na Trivela desde 2023.
Botão Voltar ao topo