Eurocopa 2024

Turquia conta com ‘Messi Turco’ e uma das maiores defesas dos últimos tempos para bater a Áustria

Seleção turca de Arda Güler vence Áustria por 2 a 1 em jogaço emocionante do primeiro ao último minuto, literalmente

Com apenas 19 anos, o meia Arda Güler se mostra um jogador especial e deixou isso claro nesta terça-feira (2), com a vitória da Turquia por 2 a 1 em cima da Áustria pelas oitavas de final da Eurocopa 2024.

Na Red Bull Arena, a joia “esquecida” do Real Madrid cobrou os dois escanteios que terminaram em gols turcos, ambos marcados pelo zagueiro Merih Demiral.

No primeiro, com apenas 57 segundos de jogo (segundo gol mais rápido da história da Euro), contou com bate cabeça da defesa austríaca e a bola sobrando na medida para o defensor com passagens por Atalanta e Juventus.

Já no 2º tempo, Demiral ampliou ao subir mais que todo mundo na primeira trave em levantamento feito na medida por Güler, que hoje jogou como um falso nove, participou muito do jogo e ditou o ritmo várias vezes.

Quando a Áustria parecia morta, Gregoritsch diminuiu e deixou em aberto a eliminatória. O time de Ralf Rangnick foi para a pressão tentando forçar uma prorrogação, mas parou num milagre de filme do arqueiro turco. Aos 94 minutos, no último lance do duelo, Günok voou para espalmar uma testada Baumgartner e garantir a classificação turca.

A Turquia, primeira seleção com dois titulares com menos de 20 anos (Güler e Kenan Yildiz) desde a Hungria de 1964 em grandes competições (Euro e Copa do Mundo), conseguiu mostrar sua força mesmo sem o craque Hakan Çalhanoğlu, suspenso.

Agora, eles enfrentam a Holanda, neste sábado (6), às 16h (horário de Brasília), no Olímpico de Berlim, pelas quartas de final da Euro. A seleção turca busca chegar novamente na semifinal, alcançada em 2008.

Turquia compete e desacelera adversário no 1º tempo

O selecionado de Vincenzo Montella foi extremamente competitivo na etapa inicial. Sem a bola, tentou ser compacto e com bloco baixo/médio ficou em um 5-4-1 quase intransponível.

Com a bola, buscava rodar com paciência e tirava a velocidade do jogo, algo que a Áustria adora.

O gol cedo, claro, condicionou todo o 1º tempo. A seleção austríaca sofreu para infiltrar na defesa adversária e só conseguiu dar uma resposta logo nos primeiros minutos.

Em dois escanteios, ficou a detalhes de marcar. No primeiro, rasteiro, a bola passou por todo mundo, Baumgartner quase alcançou, mas Demiral apareceu antes para tirar. No outro, Philipp Lienhart desviou para fora.

Já os turcos pouco fizeram. No máximo, uma batida do meio-campo de Güler, tentando surpreender Patrick Pentz, sem sucesso.

Áustria reage, mas não fura bloqueio

Já para o intervalo, Ralf Rangnick mudou o esquema praticamente para um 4-2-4 que seria a tônica da pressão feita pela Áustria no 2º tempo.

E deu muito certo no início. Marko Arnautovic ficou na cara do gol após lindo passe de Stefan Porsch, mas finalizou mal e parou em Mert Günok.

Quase que na sequência, Konrad Laimer carregou por dentro, foi deixando a marcação para trás até chegar na área e finalizar para fora.

Porsch também tentou a sua, bloqueada por Demiral. Tudo isso em menos de 10 minutos, mas, aos 13, o gol que veio foi do lado da Estrela Crescente.

Apesar de diminuir aos 20 em cabeçada de Michael Gregoritsch após escanteio, a Áustria não conseguiu superar o bloqueio turco, muito graças a Günok, autor de defesa espetacular em cabeçada de Baumgartner no último minuto.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Nascido e criado em São Paulo, é jornalista pela Universidade Paulista (UNIP). Já passou por Yahoo!, Premier League Brasil e The Clutch, além de assessorias de imprensa. Escreve sobre futebol nacional e internacional na Trivela desde 2023.
Botão Voltar ao topo