Eurocopa 2024

Seleção ameaça deixar a Eurocopa após insultos de croatas e albaneses

Secretário geral da Federação Sérvia pressionou Uefa para punir os torcedores de Albânia e Croácia

Uma situação no mínimo lamentável foi tema dos principais jornais esportivos do mundo na manhã desta quinta-feira. A Sérvia ameaçou deixar a Eurocopa após cânticos violentos e ameaçadores proferidos por torcedores da Croácia e da Albânia.

As duas equipes se enfrentaram ontem (quarta-feira), e ficaram no empate por 2 a 2. Apesar da emoção do jogo, os torcedores no estádio entoaram cantos e gritos desejando a morte do povo sérvio.

As palavras ‘Kill, kill, kill the Serb’ (‘morte, morte, morte aos sérvios’) foram ouvidas no Volksparkstadion, em Hamburgo, a partir dos 14 minutos do segundo tempo.

A atitude dos torcedores do estádio causou a revolta do secretário-geral da Federação Sérvia de Futebol, Jovan Surbatović. O dirigente revelou que a entidade apresentará um pedido à Uefa para punir as federações da Croácia e da Albânia.

Além disso, Surbatović afirmou que pedirá sanções rigorosas aos torcedores envolvidos nos cânticos, deixando aberta a possibilidade de pedir a exclusão do país da Eurocopa.

— Antes de tudo, gostaria de agradecer aos nossos torcedores pelo apoio no jogo contra a Inglaterra e espero que vençamos a Eslovênia. O que aconteceu é escandaloso e pediremos sanções à Uefa, até mesmo se isso significar abandonar a competição — afirmou o representante da Federação Sérvia de Futebol.

Sérvia pode ser punida por comportamento racista de seus torcedores

A Uefa investiga uma denúncia de cânticos racistas direcionados pela torcida da Sérvia aos jogadores da Inglaterra, na estreia das seleções no último domingo (16). 

Além do ato de racismo, alguns objetos foram lançados no gramado da Veltins-Arena, em Gelsenkirchen, durante a vitória dos ingleses pelo placar de 1 a 0. 

Torcedores sérvios também exibiram bandeiras com o mapa geográfico do país, incluindo o território de Kosovo, que declarou independência da Sérvia em 2008.

Dirigentes da Federação Kosovar de Futebol fizeram uma denúncia à Uefa, alegando que faixas e outros materiais levados ao estádio pela torcida da Sérvia continham “mensagens políticas, chauvinistas e racistas contra seu país”.

O conflito geopolítico que envolvem as nações oriundas da antiga Iugoslávia

Para entender o ódio manifestado entre croatas, albaneses e sérvios, é preciso voltar um pouco no tempo. Os três países formavam a antiga Iugoslávia, nação dissolvida entre os anos 90 e início dos anos 2000. 

Formada por uma diversidade étnico-cultural única, a Iugoslávia sofreu com diversos conflitos entre os grupos que faziam parte do país.

No início do século XIX, o Império Áustro-Húngaro e o Império-Otomano dominavam a região dos Bálcãs. Contudo, com a Primeira Guerra Mundial, as duas potências imperiais acabaram derrotadas.

Aliás, a morte do arqui-duque Francisco Ferdinando (que era futuro herdeiro do trono austro-húngaro), na região de Sarajevo, atualmente capital da Bósnia e Herzegovina, teria sido o estopim para o primeiro grande conflito armado do mundo.

Durante a Segunda Guerra Mundial, Josip Broz Tito, militar e revolucionário, intervém na invasão alemã à região, e implanta uma ditadura comunista no país, dando surgimento à Iugoslávia.

Morte de Tito e separação da Iugoslávia

Apesar das divergências dos povos na região, o regime ditatorial continha os ideais de separatismo presente.

Após a morte de Tito e o enfraquecimento do comunismo na década de 1980, a Iugoslávia abandonou este modelo econômico e social.

Com a falta de um líder e uma organização externa, as discussões étnicas começaram a aflorar no território do país.

No início da década de 1990, Eslovênia, Croácia, Macedônia e Bósnia e Herzegovina se declararam repúblicas independentes.

Como a Sérvia era contra a proposta de separação da região, isso ocasionou o nascimento da Guerra da Iugoslávia, que durou até 1995.

O saldo deste conflito está nas ruas e estádios alemães durante a Eurocopa, com torcedores dos países envolvidos entrando em confrontos com certa frequência.

 

 

 

Foto de Lucas de Souza

Lucas de SouzaRedator

Lucas de Souza é jornalista formado pela Universidade São Judas em São Paulo. Possui especialização em Marketing Digital pela Digital House, e passagens pelos sites Futebol na Veia e Futebol Interior.
Botão Voltar ao topo