Eurocopa 2024

Robertson diz que Escócia pode fazer história na Eurocopa — e por que temos motivos para concordar

Na véspera da estreia da Eurocopa 2024, Robertson mostrou muita confiança na Escócia, que tem um objetivo bem claro para ser lembrada

uNesta sexta-feira (14), às 16h (horário de Brasília), a bola rola pela primeira vez na Eurocopa 2024. A anfitriã Alemanha enfrenta a Escócia, na Allianz Arena, pela 1ª rodada do Grupo A.

Candidata ao título, a Nationalelf entra em campo como clara favorita contra o Tartam Army. Contudo, se depender de Andrew Robertson, lateral do Liverpool, a seleção escocesa não será uma presa fácil para os alemães.

Em coletiva nesta quinta-feira (13), Robertson mostrou muita confiança em sua Escócia. O capitão do time acredita que sua geração está pronta para fazer história na Euro.

A seleção escocesa tem um objetivo bem claro na Alemanha: chegar à fase mata-mata de uma competição oficial. E não é por falta de oportunidade, pois os escoceses já disputaram 12 torneios de peso.

Na história, a Escócia já participou de oito Copas do Mundo e quatro edições da Eurocopa. Em 2024, o Tartam Army está convencido de que tem chances de avançar às oitavas de final:

– Não queremos ter nenhum arrependimento. Qual o pior que pode acontecer? O pior que pode acontecer é juntarmo-nos a uma longa lista de tantas boas equipes escocesas que não conseguiram passar da fase de grupos. Acreditamos que podemos ser o time que faz história -, disse Robertson na véspera da estreia na Euro 2024.

Escócia costuma bater na trave na Euro

Entre 1954 e 1998, a seleção escocesa se classificou para oito Mundiais. Apesar da tradição no torneio, o Tartam Army nunca passou da fase de grupos – apesar de ter sido eliminado da Copa do Mundo de 1974 de forma invicta.

Escócia em Copas do Mundo

  • 1958: duas derrotas em dois jogos
  • 1962: um empate e duas derrotas em três jogos
  • 1974: uma vitória e dois empates em três jogos
  • 1978: uma vitória, um empate e uma derrota em três jogos
  • 1982: uma vitória, um empate e uma derrota em três jogos
  • 1986: um empate e duas derrotas em três jogos
  • 1990: uma vitória e duas derrotas em três jogos
  • 1998: um empate e duas derrotas em três jogos

E na Eurocopa não é diferente: a seleção escocesa costuma bater na trave. A estreia na competição aconteceu somente em 1992, quando o Tartam Army foi eliminado no Grupo B para Holanda e Alemanha.

A Escócia também teve a chance de jogar a Euro 1996. Entretanto, não passou da chave A pelo critério de desempate, pois marcou menos gols do que a Holanda, que ficou com a vaga, assim como a Inglaterra.

Já na Eurocopa 2020 – com a geração de Robertson e companhia -, a seleção escocesa fez sua participação no torneio: última colocada do Grupo D, que classificou Inglaterra, Croácia e República Tcheca.

A história pode ser diferente na Alemanha

Na Alemanha, a história pode ser bem diferente para a Escócia. O Tartam Army divide o grupo com a dona da casa, além da Hungria e da Suíça. Mais experientes, os jogadores podem conseguir a classificação inédita ao mata-mata.

Como os quatro melhores terceiros colocados também garantem vaga para as oitavas da Euro, a seleção escocesa pode atingir o feito inédito se não desperdiçar pontos alcançáveis.

A Alemanha tem tudo para vencer os britânicos na rodada de abertura. Nos dois jogos restantes, a Escócia tem condições de arrancar um empate heroico contra a Suíça – ou até mesmo vencer a Hungria.

Na última Eurocopa, por exemplo, a Ucrânia chegou às oitavas de final com apenas uma vitória na fase de grupos. Resta saber se a previsão do capitão do Tartam Army irá se cumprir.

Foto de Matheus Cristianini

Matheus Cristianini

Jornalista formado pela Unesp, com passagens por Antenados no Futebol, Bolavip Brasil, Minha Torcida e Esportelândia. Na Trivela, é redator de futebol nacional e internacional.
Botão Voltar ao topo