Eurocopa 2024

Parceiro de Paquetá brilha e República Tcheca fica perto de milagre contra Turquia

Com um jogador a menos, a República Tcheca fez o que pôde, mas viu a Turquia se classificar ao mata-mata da Eurocopa

Nesta quarta-feira (26), a Turquia venceu a República Tcheca por 2 a 1, no Volksparkstadion, em Hamburgo, pela última rodada do Grupo F da Eurocopa. E Tomas Soucek, parceiro de Lucas Paquetá, quase conseguiu um milagre.

O meia tcheco, companheiro de equipe do meia da Seleção Brasileira no West Ham, conseguiu marcar um gol para sua equipe mesmo com um jogador a menos.

Soucek foi um dos principais nomes dos Hammers na última temporada. Ele participou de 52 jogos — nove a mais que Paquetá — e marcou 10 gols — dois a mais que o brasileiro.

O gol, já no segundo tempo, fez a Tchéquia sonhar com um milagre. Afinal, a seleção do leste europeu teve Antonin Barak expulso logo aos 20 minutos da etapa inicial.

Se a República Tcheca tivesse conquistado a virada, garantiria vaga no mata-mata da Euro 2024. Entretanto, quem se classificou às oitavas de final do torneio foi a Turquia, que somou os três pontos graças a um gol nos acréscimos do jogo.

Como foi República Tcheca x Turquia pela Eurocopa

O 1º tempo tinha tudo para ser equilibrado, com República Tcheca e Turquia prometendo fazer um jogo parelho. Entretanto, essa máxima caiu por terra antes dos 20 minutos.

Barak conseguiu tomar dois cartões amarelos em duas faltas desnecessárias e, consequentemente, foi expulso. Dali para frente, turcos e tchecos fizeram uma partida de ataque contra defesa.

Mesmo em vantagem numérica, a Turquia teve muitas dificuldades de infiltrar na defesa da República Tcheca, que fechou muito bem suas linhas para tentar segurar o empate.

Apesar da posse de bola dominante das Estrelas Crescentes, isso não resultou em finalizações de perigo ao gol da Tchéquia, que também não encaixou nenhum contra-ataque para mudar sua sorte antes do intervalo.

Não dá para fazer milagre toda hora

Para o 2º tempo, a Turquia finalmente encontrou os espaços e explorou o ataque sufocante à República Tcheca. Com o ímpeto dos favoritos, parecia só questão de tempo para tchecos cederem.

Dito e feito. Após o goleiro da República Tcheca defender uma bomba à queima-roupa, a bola sobrou para Çalhanoglu livre dentro da grande área. Ele acertou outro petardo e colocou a Turquia em vantagem.

O problema é que, mesmo com um jogador a menos, a seleção de Soucek começou a gostar do jogo e passou a criar perigo para os adversários, que acabaram falhando.

Em uma cobrança lateral, o goleiro da Turquia não conseguiu afastar a bola do atacante da República Tcheca. No bate-rebate, Soucek mandou para o fundo da rede e colocou fogo na partida.

Preocupadas em tomar a virada, as Estrelas Crescentes não encaixaram nenhuma outra jogada criativa lá na frente. Já a Národní Tým partiu para o tudo ou nada, porém, também não teve sucesso.

No apagar das luzes, a Turquia jogou a última pá de cal na República Tcheca. Em rápida transição ofensiva, Kokçu serviu Tosun, que limpou os marcadores e bateu com estilo para marcar o gol.

Foto de Matheus Cristianini

Matheus CristianiniRedator

Jornalista formado pela Unesp, com passagens por Antenados no Futebol, Bolavip Brasil, Minha Torcida e Esportelândia. Na Trivela, é redator de futebol nacional e internacional.
Botão Voltar ao topo