Eurocopa 2024

Craque da França abandona coletiva de imprensa e faz crítica sutil à Deschamps

Les Bleus deram adeus à Eurocopa após derrota para a Espanha por 2 a 1 nesta terça-feira

A eliminação da França na Eurocopa segue repercutindo no noticiário esportivo internacional nesta quarta-feira (10). Após a derrota para a Espanha por 2 a 1, uma cena inusitada expôs um provável clima tenso no vestiário dos Les Bleus.

Antoine Griezmann acabou abandonando a coletiva de imprensa após o jogo, quando perguntado se ficaria ou não na seleção francesa.

— Pergunte ao meu presidente. Acabei de perder uma semifinal. Você acha que eu já vou responder? Eu te respeito, mas tente respeitar as pessoas que têm responsabilidades também — respondeu Griezmann a um jornalista.

Titular nos dois primeiros jogos da França na Eurocopa, Griezmann foi reserva contra a Polônia, no último jogo da primeira fase, e também não começou entre os titulares contra a Espanha.

Antes de abandonar a sala de imprensa, Griezmann deu a entender que as mudanças de Didier Deschamps nos jogos impediu que o time francês evoluísse como poderia.

— Tentei dar tudo de mim com muitas mudanças táticas e posicionais. Você tinha que se adaptar o tempo todo – criticou Griezmann.

Mudanças no sistema de jogo atrapalharam a França

Uma das maiores críticas ao trabalho de Deschamps durante a competição foi a mudança constante no sistema de jogo da equipe francesa.

O técnico dos Les Bleus utilizou ao menos quatro esquemas diferentes nos seis jogos que disputou, o que dificultou a assimilação dos atletas em campo.

Tentando facilitar as coisas para Mbappé, Deschamps acabou impedindo o desenvolvimento coletivo da seleção, o que ficou claro nesta terça-feira diante da Fúria.

Sem um padrão de jogo definido, a França não conseguia deixar seu maior craque em condições de decidir, como fez em outras ocasiões.

Griezmann fala sobre ficar na reserva

O jogador do Atlético de Madrid também comentou sobre ficar na reserva durante dois jogos desta Eurocopa. Responsável pela organização das jogadas na França, o meia atacante não teve o impacto esperado.

Griezmann ainda usou outros atletas que não tiveram oportunidade como exemplo para evitar reclamar sobre a posição de suplente, e seguir em frente defendendo a seleção.

— Estar no banco? É assim. Essa é a vida de um jogador de futebol. Outros não jogaram um minuto, não sou eu que vou reclamar — complementou o jogador.

Campeão mundial com a França em 2018, na Copa do Mundo da Rússia, Griezmann disputou 135 jogos pelo seu país, marcando 44 gols.

Federação Francesa confirma permanência de Deschamps

Apesar das críticas e da eliminação na Eurocopa, a Federação Francesa de Futebol resolveu dar mais um voto de confiança ao trabalho de Deschamps.

Nesta quarta-feira, o presidente da entidade, Phillipe Diallo, confirmou que o treinador permanecerá a frente da seleção até o final de seu contrato em 2026. 

Segundo o dirigente, não há motivos para questionamentos acerca do trabalho do comandante devido ao recente sucesso da França.

Além do título mundial há seis anos, Deschamps foi vice-campeão da Eurocopa em 2016 e vice-campeão do mundo na Copa do Catar.

— Não vejo razão para questionar o seu contrato. Os resultados anteriores falam por ele e os objetivos foram alcançados. Didier continuará a sua missão. Durante este mês, vi muito profissionalismo, busca pela excelência. Devemos manter a seleção francesa nesta direção — disse Diallo em entrevista ao jornal L'Equipe.

Foto de Lucas de Souza

Lucas de SouzaRedator

Lucas de Souza é jornalista formado pela Universidade São Judas em São Paulo. Possui especialização em Marketing Digital pela Digital House, e passagens pelos sites Futebol na Veia e Futebol Interior.
Botão Voltar ao topo