Eurocopa 2024

‘Flop’ do Barcelona frustra sonho de Cristiano Ronaldo de fazer história na Euro

Nos pênaltis, França derrota seleção portuguesa e enfrenta a Espanha na semifinal da Eurocopa

A França está na semifinal da Eurocopa. Após empate sem gols no tempo normal (mais prorrogação), os Bleus eliminaram Portugal nos pênaltis (5 a 3), nesta sexta-feira (5), e carimbaram passaporte rumo à próxima fase do torneio. Mbappé e companhia terão a Espanha pela frente na próxima terça-feira (9).

Cristiano Ronaldo encerra sua última edição de Euro sem nenhum gol marcado. O craque tinha a chance de se tornar o artilheiro mais velho da história da competição, mas o recorde permanecerá com o croata Luka Modric.

E não foi por falta de tentativa. CR7 deixa Euro como o atacante menos eficaz — ele acumulou 3,72 gols esperados ao longo dos cinco jogos

Mas diferente do jogo contra a Eslovênia — quando perdeu pênalti na prorrogação — o camisa 7 não teve culpa nesta sexta (5).

O grande vilão da desclassificação portuguesa em Hamburgo foi João Félix. O meia-atacante de 24 anos, que entrou no início do segundo tempo da prorrogação, perdeu o único pênalti do lado lusitano e decretou a queda de sua seleção.

Apontado como uma das principais promessas do futebol português nos últimos anos, a verdade é que João Félix, até o momento, não conseguiu corresponder às expectativas. Muito pelo contrário.

O camisa 11 da seleção lusitana, que esteve emprestado ao Barcelona (pelo Atlético de Madrid) em 2023/24, acumula mais polêmicas fora de campo do que bons momentos dentro das quatro linhas.

João Félix cobra pênalti na trave contra França
João Félix cobrou pênalti na trave em Portugal x França (Foto: Icon Sport)

Defesas sólidas e poucas chances no primeiro tempo

A França começou as quartas de final ligada no 220 — blitz, pressão no campo de ataque e troca de passes envolvente. Mas Portugal não mordeu a isca. A seleção lusitana colocou a bola no chão e logo igualou as ações em Hamburgo.

Passado o início frenético, o estudo entre as duas equipes prevaleceu em campo. Portugal fez aquilo que já era esperado antes da bola rolar: controlou a posse de bola e tentou ditar o ritmo da partida. A França, por sua vez, apostou em jogo mais reativo, com intuito de explorar a velocidade de Mbappé e Kolo Muani — dupla de ataque escalada por Didier Deschamps. 

Pode-se dizer que o equilíbrio imperou no primeiro tempo. Nenhuma das propostas de jogo — bem distintas diga-se de passagem — se sobressaiu. A marcação encaixada de ambos os lados falou mais alto e os goleiros pouco trabalharam nos 45 minutos iniciais.

De um lado, Mabppé foi neutralizado por João Cancelo. Do outro, Cristiano Ronaldo, encaixotado entre os zagueiros franceses, mal tocou na bola. De chance mesmo, só os chutes de Bruno Fernandes (para fora) e Theo Hernández — defendido por Diogo Costa.

Brilho de Maignan e corte crucial de Rúben Dias levam jogo para prorrogação

A configuração do jogo não mudou muito no início do segundo tempo. Portugal manteve a soberania na posse de bola, enquanto a França oferecia perigo nos contragolpes. As defesas continuaram se sobressaindo sobre os ataques e o placar zerado ilustrava isso.

A partir dos 15 minutos, isso começou a mudar. E a seleção portuguesa teve a melhor chance da partida até então. Com passe açucarado, João Cancelo desmontou o sistema defensivo francês e achou Bruno Fernandes na área. O camisa 8 chutou cruzado e parou em defesa providencial de Maignan.

A pressão lusitana não parou por aí. Sorte da França é que Maignan estava em noite inspirada. O paredão dos Bleus defendeu arremate à queima-roupa de Vitinha e impediu o gol adversário.

Em resposta imediata dos franceses, Rúben Dias salvou Portugal. O zagueiro se atirou na frente de chute de Kolo Muani e desviou a trajetória da bola — que passou rente à trave.

O jogo estava oficialmente ‘destravado', e a cautela deu lugar à intensidade em Hamburgo. No entanto, apesar da insistência de ambos os lados, o placar permaneceu intacto. Prorrogação à vista.

France v Portugal – UEFA Euro 2024 – Quarter-Finals
Maignan defende chute cruzado de Bruno Fernandes (Foto: Icon Sport)

França ‘estaciona ônibus' e segura Portugal na prorrogação

No tempo extra, Cristiano Ronaldo perdeu chance clara após bela jogada de Francisco Conceição. A seleção portuguesa empurrou a França para trás e buscou o gol da classificação até o fim. Não foi possível.

Quis o destino que Portugal x França decidissem a vaga nos pênaltis.

Com fortes dores, Mbappé pediu para ser substituído no intervalo.

Pênaltis

Dembélé foi o encarregado de abrir as cobranças. E fez. O camisa 11 deslocou Diogo Costa e abriu o placar na marca da cal.

Frio, Cristiano Ronaldo deixou tudo igual com batida no cantinho. Mas Fofana, com chute no meio do gol, recolocou os Bleus na frente.

Bernardo Silva acertou o ângulo de Maignan: 2 a 2. Koundé seguiu a mesma linha do rival e não deu chances para Diogo Costa.

João Félix carimbou a trave e fez a alegria da torcida francesa, que celebrou mais ainda após Barcola fazer 4 a 2 para os Bleus.

Nuno Mendes reacendeu a esperança lusitana ao mandar um míssil no ângulo. Não por muito tempo, já que Theo Hernández acertou sua cobrança e classificou a França.

Foto de Guilherme Calvano

Guilherme CalvanoRedator

Jornalista pela UNESA, nascido e criado no Rio de Janeiro. Cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na Trivela, é redator e escreve sobre futebol brasileiro e internacional.
Botão Voltar ao topo