Eurocopa 2024

Albânia de Sylvinho sofre do próprio veneno contra a Espanha, mas sai de cabeça erguida

Seleção treinada pelo brasileiro perde para líder do grupo C e está eliminado da Eurocopa 2024

O sonho da Albânia do professor Sylvinho na Eurocopa 2024 acabou nesta segunda-feira (24). Pela 3ª rodada do grupo C, perdeu para já confirmada na liderança e toda reserva Espanha, por 1 a 0, em Düsseldorf.

A seleção albanesa não fez um grande jogo hoje, sofrendo contra o melhor time nesta fase de grupos da Euro, mas nada apaga a boa trajetória que construiu.

Começou fazendo um jogo duro com a Itália, fazendo o gol mais rápido da história do torneio e, após sofrer a virada, ficou no detalhe para empatar no fim.

Frente ao pesado time da Croácia, teve o mesmo roteiro do jogo anterior, só que dessa vez a igualdade no placar veio, aos 49 do segundo tempo, em uma das partidas mais emocionantes da competição até aqui.

Equipe competitiva, pautada em se fechar bem na defesa e apostar na transição rápida para o ataque, mostrou competitividade e causa curiosidade para o futuro do trabalho de Sylvinho, há apenas um ano no comando da Albânia.

Albânia sofre com o que fez nas partidas anteriores

Nas duas rodadas iniciais, em ambos, o selecionado do técnico brasileiro abriu o placar antes dos 15 minutos do primeiro tempo. Hoje, o cenário inverteu.

Aos 12, em linda jogada de pé em pé, Ferran Torres infiltrou na área e bateu colocado para marcar o único gol do dia.

Esse gol não mudou em nada a partida. A Espanha dominou por quase todo o tempo, mas sem criar algo tão claro para o restante do jogo.

A Albânia, em dia ruim, só assustou o goleiro reserva David Raya uma vez. Em jogada ensaiada, já na etapa final, Armando Broja ficou na cara do gol e finalizou em cima do jogador do Arsenal, que espalmou para fora.

Nos acréscimos, ameaçou uma pressão, foi no abafa e não encontrou espaço para marcar.

Reservas da Espanha dão boa resposta para Luis de la Fuente

Foram vários os destaques espanhóis na partida. Mesmo desentrosados, a equipe foi bem coletivamente e se mostrou novas características em comparação ao time titular, especialmente no trabalho dos pontas, mais centrais, e os laterais ocupando o corredor.

Ferran Torres, autor do único gol na Merkur Spiel-Arena, mostrou novamente grande futebol com a camisa da Fúria – ao contrário de quando atua por clubes. Foi a 20ª bola na rede pela seleção em apenas 44 partidas.

Aos 24 anos, ele está a apenas três tentos dos ídolos espanhóis Sérgio Ramos e Alfredo Di Stefano, respectivamente o 10º e 9º maiores artilheiros da Espanha.

Além do bom ponta, Dani Olmo, que só não é titular por um problema físico ante da Euro, também ditou o ritmo no meio.

O jogador do RB Leipzig é um dos grandes destaques individuais em todo o elenco e é uma ótima opção no banco.

O técnico Luis de la Fuente também guardou boas impressões de Joselu, dos laterais e Mikel Merino.

Como líder da chave, a Espanha enfrenta um dos terceiros dos grupos A, D, E ou F em 30 de junho, em Colônia. A ver se Nacho Fernández irá se recuperar de um problema muscular.

Caso não conte com o defensor, sabe que está bem servido com Aymeric Laporte, responsável pelo passe que quebrou todas as linhas da Albânia para Olmo assistir Ferran no gol.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius AmorimRedator

Nascido e criado em São Paulo, é jornalista pela Universidade Paulista (UNIP). Já passou por Yahoo!, Premier League Brasil e The Clutch, além de assessorias de imprensa. Escreve sobre futebol nacional e internacional na Trivela desde 2023.
Botão Voltar ao topo