AlemanhaChampions League

Nagelsmann: “A semifinal da Champions League é sempre o objetivo mínimo e não conseguimos atingir isso”

Técnico admite que conquistar a Bundesliga não será o suficiente para a temporada do Bayern ser boa

A entrevista coletiva de Julian Nagelsmann antes do jogo contra o Villarreal repercutiu. O técnico afirmou na segunda-feira que o erro que o time espanhol tinha cometido era ter deixado o Bayern vivo. Isso porque o Submarino Amarelo foi muito superior no primeiro jogo, mas venceu por apenas 1 a 0. A declaração repercutiu mal e a resposta veio em campo: o Bayern acabou eliminado nesta terça-feira com o empate por 1 a 1 com o Villarreal em Munique.

Dani Parejo, um dos jogadores mais experientes do Villarreal, respondeu depois do jogo dizendo que Nagelsmann faltou com respeito. Diz o ditado que quem cospe para cima às vezes é atingido pelo próprio cuspe. Nagelsmann teve que dar explicações depois da eliminação, que deixa o Bayern de Munique fora das semifinais da Champions League, algo que era o objetivo estabelecido pelo clube.

“Este não é meu primeiro trabalho importante, tive outros papeis importantes antes deste”, disse Nagelsmann, que tem apenas 34 anos, à Amazon Prime. “Outras pessoas podem tirar conclusões sobre esta temporada, quando você perde e é eliminado é assim que funciona. Mas não tenho medo, há muitas coisas piores na vida”.

Contratado por € 25 milhões junto ao RB Leipzig (um valor alto para um técnico), a sua chegada à Baviera, sua região de origem, e ao clube mais poderoso da Alemanha criou expectativas altas.  A temporada com algumas derrotas doloridas contra o Eintracht Frankfurt, Augsburg e Bayer Leverkusen deixaram marcas, ainda que a campanha na Bundesliga continue com a liderança, graças também é inconsistência do Borussia Dortmund. A eliminação na Copa da Alemanha com uma goleada diante do Borussia Mönchengladbach também é um capítulo que deixou marcas.

A Champions League era uma esperança de glória, mas a eliminação diante do Villarreal chama a atenção. “Para ser honesto, é difícil entender. Passamos por uma fase assim antes do Natal também, quando estávamos jogando bem, apesar de muitos problemas com lesões, mas ainda assim tivemos uma queda de forma”, afirmou o treinador, ainda antes do jogo contra o Villarreal.

“Agora estamos em outra fase assim. Contra o Augsburg, tornamos a vida mais difícil para nós mesmos, enquanto a derrota para o Villarreal foi muito ruim. É difícil saber 100% por que isso acontece, é sempre uma mistura de coisas”, justificou ainda o treinador.

“A semifinal da Champions League é sempre o objetivo mínimo e não conseguimos atingir isso. Apenas ganhar a liga não é suficiente para o Bayern de Munique”, admitiu Nagelsmann, que sabe que a temporada teve muitos momentos de altos e baixos, apesar da liderança com tranquilidade no Campeonato Alemão.

O atacante Thomas Müller também teve dificuldades em justificar a eliminação. “É difícil aceitar que tomamos o gol apesar da atuação”, disse Müller à Amazon Prime depois do jogo. “Estávamos engajados, fizemos um bom jogo e, com os torcedores nos apoiando, pressionamos, pressionamos e pressionamos. Tomar o gol não parecia nem uma remota possibilidade. É difícil processar uma derrota assim”.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo