Champions League

Faltou futebol à Juventus e ousadia ao Sevilla em uma estreia decepcionante

O técnico Massimiliano Allegri surpreendeu e colocou em campo um time mais defensivo do que se previa. O meio-campo foi formado por Khedira, Leminae Asamoah, além de Dani Alves e Evra pelas pontas. Pjanic, favorito a começar a partida, só veio a campo no segundo tempo. O Sevilla, por sua vez, também não veio para abrir tanto assim o jogo. Montou um meio-campo com Kranevitter, N’Zonzi e Iborra, mantendo Vitolo, Franco Vázquez e Sarabia no ataque. O resultado foi um jogo amarrado e bem pouco interessante.

LEIA MAIS: GUIA DA CHAMPIONS LEAGUE 2016/17

No primeiro tempo, a melhor chance foi em um lance de Khedira, meio-campista que tem sido destaque no time italiano. O Sevilla, ao estilo do seu técnico, Jorge Sampaoli, tinha posse de bola, mas era totalmente inofensivo. Não chegou ao ataque uma vez sequer. A Juventus, longe de uma boa atuação, ao menos chegou ao ataque.

No segundo tempo, a Juventus tentou acelerar, mas errou muito. Daniel Alves cruzou mal ao menos em dois lances que teve liberdade. Faltava criatividade no meio e foi então que o técnico da Juve levou a campo seus dois jogadores com esta característica, Pjanic e Pjaca.

O Sevilla de Sampaoli teve pouco do time envolvente da seleção chilena comandada pelo treinador argentino. O que se viu foi um time bem posicionado na defesa e sem muita saída para o ataque. Obrigou a Juventus a levantar bola na área várias vezes. A melhor chance veio com Higuaín. Daniel Alves, uma das armas mais acionadas pela Juve no jogo, cruzou na cabeça do camisa 9, que acertou a trave.

Aos 45 minutos, a Juventus, em modo abafa, obrigou o goleiro Rico a fazer grande defesa. Em cruzamento da direita, o ala Alex Sandro, que tinha entrado no lugar de Evra, cabeceou no canto e o goleiro do clube espanhol fez excelente defesa. Foi assim até o fim, com pressão da Juve, mas sem que a Velha Senhora conseguisse, de fato, amassar os espanhóis no campo de defesa.

Quem esperava ver uma Juventus mais forte que na temporada passada se decepcionou. O time ficou aquém do que poderia apresentar. A escalação de Allegri não foi boa, mas o desempenho dos jogadores também não foi. Dybala e Higuaín, por exemplo, não foram bem, apareceram pouco e não ajudaram a criar mais oportunidades. Em termos de classificação, não é nenhum problema, mas se espera mais de um time que quer brigar com os outros grandes da Europa. Contudo, é só a primeira rodada, então há espaço para crescimento.

Já o Sevilla pareceu satisfeito em ter arrancado um empate da Juve na Itália. Em nenhum momento envolveu a Juventus, mas muito além disso, sequer ameaçou. Terminou o jogo com três chutes a gol, só um no alvo. Pensando em classificação, é um ponto importante. O Lyon, principal concorrente à vaga, fez 3 a 0 no Dinamo Zagreb, mas os croatas são os mais fracos do grupo. Ah, e se você se perguntou sobre Ganso, bom, ele ficou no banco e sequer entrou. Não parece uma opção para Sampaoli, ainda mais em jogos fora de casa.

Chamada Trivela FC 640X63

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo