Copa Ouro

Em dia de final da Copa Ouro, vale lembrar dois gols fantásticos que marcam a história de México x EUA

México e Estados Unidos decidem neste domingo a sétima final entre si da competição da Concacaf

Estados Unidos e México decidem neste domingo o título da Copa Ouro, em partida marcada para as 21h30 (horário de Brasília), com transmissão da Concacaf pelo YouTube e pelo Facebook. Com a equipe principal nesta edição do torneio, El Tri é amplamente favorito contra um US Team que poupou seus titulares na convocação, após conquistar a Liga das Nações em cima dos rivais durante o início de junho. Além disso, os mexicanos possuem um histórico bastante favorável nos clássicos que decidiram a competição, com cinco vitórias nas seis finais anteriores contra os estadunidenses. De qualquer maneira, as duas torcidas podem se gabar de golaços em seus momentos de glória.

A única vitória dos Estados Unidos aconteceu em 2007. E o México até saiu em vantagem na decisão disputada em Chicago, com um gol de Andrés Guardado. O goleiro Oswaldo Sánchez segurava a reação do US Team, até que o empate viesse num pênalti convertido por Landon Donovan. A obra de arte, de qualquer forma, coube ao tento que definiu o placar em 2 a 1. Numa bola que sobrou na entrada da área, Benny Feilhaber pegou na veia e acertou uma sapatada de primeira. Mandou o balaço no ângulo, que coroou sua equipe.

O México teria sua vingança. El Tri já tinha vencido as finais de 1993 e 1998 contra os rivais. Em 2009, chegou a emplacar uma goleada por 5 a 0 na revanche. Porém, o lance mais bonito ocorreu em 2011, na vitória por 4 a 2 em Pasadena. Os Estados Unidos chegaram a abrir dois gols de vantagem em 23 minutos, cortesia de Michael Bradley e Donovan. El Tri empatou antes do intervalo, com Pablo Barrera e Guardado, antes que o próprio Barrera virasse na segunda etapa. Mas nada comparado ao golpe de misericórdia dado por Giovani dos Santos, a 15 minutos do fim. O camisa 10 fez Tim Howard se rastejar, ao receber o passe na área e girar diante do goleiro. A defesa estadunidense tentava evitar o tento e lotou o caminho até a meta. Então, Dos Santos seria ainda mais genial, com uma definição sublime por cobertura que entrou no ângulo. Gol antológico para a Copa Ouro.

Desde então, México e Estados Unidos só disputaram mais uma final da Copa Ouro, em 2019. Na ocasião, Jonathan dos Santos seria o herói no triunfo por 1 a 0, mandando a bola no ângulo após receber um passe de calcanhar de Raúl Jiménez. A disputa deste domingo, em Las Vegas, valerá o 12° título aos mexicanos no torneio continental ou o sétimo aos estadunidenses. E com um tempero a mais, considerando o épico do US Team na Liga das Nações. Até pela convocação desfalcada dos rivais, a obrigação será toda de El Tri em busca da taça.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo