Brasil

Sob o comando de Textor, Botafogo já passou mais de 130 dias sem técnico efetivado

Desde a transformação em SAF, o Botafogo de John Textor já passou longos períodos sem técnicos efetivados; recentemente, o interino Fábio Matias ficou mais de 40 dias no comando do time

O Botafogo enfim vai ter um novo técnico efetivado. Nesta sexta-feira (5), Artur Jorge deve ser anunciado e já deve comandar o seu primeiro treino no Espaço Lonier, CT do clube, de olho na sequência da Copa Libertadores. O Glorioso ficou mais de um mês com o interino Fábio Matias treinando a equipe, depois da demissão da Tiago Nunes. Mas esta prática e esta demora para contratar técnicos já parece ter virado uma marca do Botafogo de John Textor.

Desde a transformação em SAF e de John Textor assumir o comando do futebol do Botafogo no começo de 2022, o clube já ficou, no total, 137 dias sem técnicos efetivados no comando da equipe. Agora, entre a demissão de Tiago Nunes e a chegada de Artur Jorge, foram 43 dias de espera, pesquisas, entrevistas e negociações até a confirmação do novo técnico — isso, é claro, se o português for anunciado nesta sexta-feira.

Este número de 137 dias foi levantado pela Trivela, que levou em consideração o período entre o anúncio da demissão de um técnico e a confirmação da contratação de um novo treinador para o time principal desde a chegada de John Textor ao comando do futebol do Botafogo.

Vale ressaltar que também foi levado em consideração a demissão de Enderson Moreira em fevereiro de 2022. John Textor só assumiu oficialmente o controle do Botafogo em março, quando foi concretizada toda a operação de venda da SAF para o empresário americano, mas no mês anterior ele já dava as cartas no futebol do clube. Na época, inclusive, Textor falou abertamente sobre a demissão de Enderson.

Em três oportunidades, Botafogo ficou mais de 40 dias sem técnico

A atual situação do Botafogo, que está há 43 dias sem um técnico efetivado, não chega a ser novidade no clube. E este período não é o recorde de dias sem treinador. No total, o Glorioso ficou sem um profissional no cargo em três oportunidades nos últimos dois anos. A primeira delas foi logo no começo, após a saída de Enderson Moreira. Foram 42 dias entre a demissão de Enderson e o anúncio da chegada de Luís Castro.

Mas, no segundo turno do Brasileiro de 2023, o Botafogo conseguiu ficar 44 dias sem treinador efetivado enquanto ainda brigada pelo título da competição. Isso aconteceu entre a demissão de Bruno Lage, em outubro, e a contratação de Tiago Nunes, no meio de novembro. Neste período, o Botafogo foi comandado por Lúcio Flávio. O auxiliar técnico chegou a ser “efetivado” internamente, mas o clube não fez um anúncio público, e manteve o treinador com status de interino.

A única vez em que o Botafogo de Textor foi rápido no gatilho foi na saída de Luís Castro. O português deixou o clube no fim de junho. Pouco mais de uma semana depois, Bruno Lage estava contratado. A pressão para manter o bom momento no Campeonato Brasileiro fez o clube correr para achar o nome do novo treinador.

Quanto tempo o Botafogo levou entre cada troca de técnico

  • Demissão de Enderson Moreira (11/2) até a contratação de Luís Castro (25/3) = 42 dias;
  • Saída de Luís Castro (30/6) até a contratação de Bruno Lage (8/7) = 8 dias;
  • Demissão de Bruno Lage (3/10) até a contratação de Tiago Nunes (16/11) = 44 dias;
  • Demissão de Tiago Nunes (22/2) até a possível confirmação de Artur Jorge (5/4) = 43 dias;

Textor concentra busca por técnicos no Botafogo

Desde quando assumiu o Botafogo, John Textor gosta de participar ativamente do planejamento do futebol. O americano participa de negociações, conversas com jogadores e com possíveis reforços. E, é claro, o dono da SAF do Botafogo também concentra a busca por técnicos do clube. Foi assim quando optou por Luís Castro, Bruno Lage e, agora, Artur Jorge.

Tiago Nunes foi o único, até o momento, que chegou por indicação de outro profissional. No caso, do então diretor de futebol André Mazzuco, que deixou o Botafogo há duas semanas. Em recente entrevista, o próprio CEO do Botafogo, Thairo Arruda, admitiu que era Textor quem controlava essas negociações.

Enquanto isso, o Botafogo chegou na estreia pela fase de grupos da Copa Libertadores com o interino Fábio Matias. O auxiliar técnico do clube estava invicto até a última quarta-feira e foi importante para colocar o Glorioso nesta fase da competição, mas a derrota para o Junior Barranquilla (COL), em pleno Nilton Santos, foi decepcionante e pode complicar o clube na sequência da Libertadores.

Quanto Artur Jorge pode estrear pelo Botafogo?

Depois da longa espera, agora o Botafogo corre para ter Artur Jorge já na sequência da Copa Libertadores. O Glorioso deve anunciar o treinador nesta sexta-feira (5), mesmo dia em que o treinador comanda o seu primeiro treino no clube. A depender da burocracia com visto de trabalho e registro do português, Artur Jorge pode estrear pelo Botafogo na próxima quinta-feira (11), contra a LDU, em Quito, pela segunda rodada do Grupo D.

Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues

Jornalista formado pela UFF e com passagens, como repórter e editor, pelo LANCE!, Esporte News Mundo e Jogada10. Já trabalhou na cobertura de duas finais de Libertadores in loco. Na Trivela, é setorista do Vasco e do Botafogo.
Botão Voltar ao topo