Brasil

Sai Ronaldo, entra Pedrinho BH: o que muda no Cruzeiro?

Ronaldo Nazário acerta os últimos detalhes da venda do Cruzeiro ao empresário Pedro Lourenço, popularmente conhecido como Pedrinho BH

Os bastidores do Cruzeiro, que já não vinham lá muito tranquilos, passaram a pegar fogo a partir da informação de que Ronaldo Nazário, atual dono da SAF do Cruzeiro, estaria em fase final de negociação da venda do clube celeste para o empresário Pedro Lourenço, o Pedrinho BH, dono da rede Supermercados BH, uma das maiores do país.

Na informação, trazida inicialmente pelo jornalista Jorge Nicola e avançada pelo portal No Ataque e pelo jornalista Samuel Venâncio, consta que a venda será concretizada nesta segunda-feira (29) e que, apesar de ainda não existir a assinatura do acordo, já há um compromisso apalavrado.

Pedrinho BH irá adquirir 90% da SAF do Cruzeiro, percentual possuído por Ronaldo, enquanto os outros 10% seguirão com o Cruzeiro Associação. De acordo com a Itatiaia, a venda gira em torno dos R$ 600 milhões. O pagamento será dividido da seguinte forma:

  • Os R$ 100 milhões aportados por Pedrinho BH no Cruzeiro em março de 2023 serão convertidos em 20% das ações.
  • Pedrinho irá pagar R$ 500 milhões pelos outros 70% das ações, sendo R$ 150 milhões ainda em 2024 e R$ 350 milhões num período de dez anos

O que não muda no Cruzeiro com a chegada de Pedrinho BH?

  • Obrigações contratuais da SAF: quando o Cruzeiro tornou-se SAF, Ronaldo precisou assumir uma série de obrigações, que serão mantidas. Pedrinho BH assumirá as dívidas e responsabilidades fiscais do clube, o pagamento da Recuperação Judicial da Raposa, quitação das demais dívidas do clube (cíveis, tributárias e esportivas).
  • Controle das Tocas da Raposa I e II: Pedro Lourenço assumirá o controle das das Tocas da Raposa I e II, centros de treinamento do Cruzeiro, envolvidas na venda do clube para a Tara Sports, grupo de Ronaldo.
  • Ronaldo seguirá com trânsito no clube: futuro ex-dono do Cruzeiro, Ronaldo, que sempre teve Pedrinho como um grande aliado no dia a dia celeste, seguirá com trânsito no clube, com o cargo de presidente do conselho administrativo da SAF estrelada.
  • Parte administrativa do clube: Pedro Lourenço é um alegado fã do trabalho de Gabriel Lima, CEO do clube desde a chegada de Ronaldo, e por isso deseja a permanência do gestor. Uma proposta deve ser feita nos próximos dias. Se o departamento de futebol celeste não vinha agradando, a parte administrativa e financeira tem sido muito elogiada. O Cruzeiro conseguiu reduzir sua dívida e vem trabalhando sem exceder o orçamento definido e, por isso, Lourenço não deseja mudar essa estrutura.
  • Comando técnico do Cruzeiro: mesmo com a mudança na gestão, Fernando Seabra será mantido como treinador da Raposa.

O que muda no Cruzeiro com a chegada de Pedrinho BH?

  • Departamento de futebol: Pedro Martins, hoje ex-diretor de futebol do Cruzeiro, deixou o clube nos últimos dias para trabalhar no Vasco. O trabalho do departamento vinha sendo criticado pelo baixo rendimento da equipe desde que chegou à Série A do Campeonato Brasileiro, no ano passado. Com a saída de Martins, Paulo André, braço direito de Ronaldo, assumiu interinamente o cargo, chegando a dizer em coletiva que não tinha pressa para definir um substituto e que nem era certo que isso aconteceria.
  • Saída de Paulo André e Paulo Autuori: Com a mudança no departamento de futebol do Cruzeiro, dois nomes importante no organograma da SAF de Ronaldo deixam o clube: o diretor de estratégias Paulo André e o diretor técnico Paulo Autuori.
  • Chegada de Alexandre Mattos: Agora, a tendência é que Alexandre Mattos, que teve duas passagens pelo Cruzeiro — a primeira de sucesso, que rendeu os títulos brasileiros de 2013 e 2014, e a segunda relâmpago, quatro dias, de forma interina, no final de 2021 —, retorne ao clube. O dirigente é admirado por Pedrinho BH e sua chegada recente ao América-MG, rival da Raposa, não deve interferir na questão.
  • Investimentos: Ronaldo chegou ao Cruzeiro para reestruturar a Raposa, que vivia crise inimaginável, e conseguiu o acesso à Série A do Brasileirão, além de sanear o clube e implantar processos administrativos num grau aceitável de profissionalismo. Hoje, no segundo ano de retorno à elite nacional, a conclusão é que é o momento de dar um passo a mais no projeto, de retomada de investimentos significativos e maiores ambições, algo que o Fenômeno entende que Pedrinho BH pode entregar de forma mais incisiva e satisfatória. Assim, a junção entre as chegadas de Lourenço e de Alexandre Mattos indica que o clube mineiro buscará voos mais altos no mercado da bola.
Foto de Maic Costa

Maic Costa

Maic Costa nasceu em Ipatinga, mas se radicou na Região dos Inconfidentes mineiros. Formado em Jornalismo na UFOP, em 2019, passou por Estado de Minas, Superesportes, Esporte News Mundo, Food Service News e Mais Minas. Atualmente, é setorista do Cruzeiro na Trivela.
Botão Voltar ao topo