Brasil

Pedro Martins deixa Cruzeiro e assume cargo de diretor executivo do Vasco

Pedro Martins chegou ao Cruzeiro em 2022 e foi o principal rosto do departamento de futebol do clube na era SAF; dirigente substituirá Alexandre Mattos no Vasco

Uma mudança importante nos departamentos de futebol de Cruzeiro e Vasco da Gama movimentou o início da tarde dos clubes nesta quinta-feira (25). Pedro Martins, de 36 anos, que liderou o departamento de futebol da Raposa em toda a era SAF, iniciada em janeiro de 2022, deixará o time mineiro rumo à SAF do cruzmaltino, que não tinha um diretor-executivo, cargo que Martins ocupará, há pouco mais de um mês, desde a demissão de Alexandre Mattos, no último dia 21 de março.

A informação do acerto de Pedro Martins com o Vasco foi adiantada pelo jornalista André Rizek, da Globo, e confirmada pela Trivela. A SAF vascaína entendeu que o Cruzeiro de Martins gastou muito menos que a equipe carioca na temporada de 2023 e, ainda assim, terminou o Brasileirão à frente do cruzmaltino.

Pedro Martins é uma das caras novas do futebol brasileiro e tem em seu currículo formação em administração, com MBA na Universidade de Liverpool, na Inglaterra. O dirigente trabalhou como diretor de futebol na Ferroviária, clube do interior de São Paulo, em 2017, 2018 e 2020, gestor do departamento de informação do Athletico-PR, entre os anos de 2013 e 2017, além de ter ocupado o cargo de vice-presidente da Federação Paulista de Futebol.

Será o ex-jogador e hoje braço direito de Ronaldo, Paulo André, quem assumirá as funções de diretor de futebol do Cruzeiro interinamente, até que um novo nome seja contratado.

Pedro Martins convivia com críticas no Cruzeiro

Apesar de ter sido exaltado pela montagem do elenco do Cruzeiro que ganhou a Série B de 2022 com facilidade, Pedro Martins passou a receber muitas críticas a partir do acesso da Raposa, que, com um elenco fraco, enfrentou muitas dificuldades para se manter na Série A em 2023. Além disso, o início catastrófico de temporada da Raposa em 2024 fez com que o dirigente voltasse a se tornar alvo dos torcedores, que chegaram a queimar um “boneco de judas” com o rosto do diretor de futebol na última terça-feira (23). Dono da SAF do clube, Ronaldo Nazário também ganhou um boneco do tipo.

Pedro Martins também vinha sendo muito criticado pelo pouco investimento do Cruzeiro no mercado e pelas constantes demissões de treinadores — em um período de um ano, o time celeste teve seis técnicos diferentes —, com as escolhas dos nomes se mostrando equivocadas. Martins também era questionado pelas entrevistas avaliadas como “fora da realidade” — pelo discurso excessivamente positivo e de pouca mea culpa, mesmo em momentos muito ruins do clube —, e excessivamente corporativistas, o que rendeu apelidos como “diretoria sapatênis” e “Faria Limer’s”, em referência a uma das principais e mais importantes vias da cidade de São Paulo, conhecida pela importância dentro cenário empresarial e financeiro do estado, mas numa conotação pejorativa.

Em diversos momentos das temporadas 2023 e 2024, torcedores do Cruzeiro utilizaram as hashtags “#ForaPedroMartins”, em protesto ao trabalho executado pela diretoria de futebol da Raposa.

Agora, a equipe de Ronaldo Nazário precisará trabalhar para buscar um novo nome antes da janela de transferências, que se abre em 10 de julho e se fecha em 2 de setembro. A expectativa é que o Cruzeiro se reforce no período e que conclua a contratação de jogadores que já estão no clube, mas emprestados, como o meia Matheus Pereira e o zagueiro João Marcelo.

Vasco volta a ter diretor depois de mais de um mês

O Vasco estava sem diretor-executivo desde o fim de março, quando Alexandre Mattos foi demitido após a eliminação no Campeonato Carioca e polêmicas extracampo. O ex-dirigente ficou apenas 100 dias cargo e deixou o clube após o vazamento de uma conversa com um jornalista. Na troca de mensagens, Mattos explicava o processo de contratação do Vasco e nomes analisados no mercado. Além disso, ele tinha uma relação pouco amistosa com a comissão técnica, como o próprio Ramón Diaz confirmou recentemente em entrevista, e tinha problemas de entendimento com a 777 Partners, dona da SAF vascaína. Mattos chegou a reclamar publicamente sobre os processos da empresa.

Desde então, o Vasco ficou 36 dias sem diretor de futebol. Neste período, o CEO Lúcio Barbosa, com a comissão técnica, o departamento de scout e dirigentes da 777 Partners comandaram o departamento do clube. Durante a janela de transferências de abril, o Vasco contratou apenas o volante Hugo Moura.

Dois dos fatores determinantes para a escolha de Pedro Martins pelo Vasco foram o seu jeito “low profile”, discreto, e por ser reconhecido por ter uma boa relação com os elencos por onde passou, estabelecendo metas e cobrando o grupo. Os dois pontos vão na direção contrária a como ficou marcada a passagem de Alexandre Mattos pelo Vasco em 2024.

Foto de Maic Costa

Maic Costa

Maic Costa nasceu em Ipatinga, mas se radicou na Região dos Inconfidentes mineiros. Formado em Jornalismo na UFOP, em 2019, passou por Estado de Minas, Superesportes, Esporte News Mundo, Food Service News e Mais Minas. Atualmente, é setorista do Cruzeiro na Trivela.
Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues é jornalista formado pela UFF e soma passagens como repórter e editor de Lance!, Esporte News Mundo e Jogada10.
Botão Voltar ao topo