Brasil

Rubão abre caixa de Pandora da gestão Augusto Melo e explica demissão do Corinthians

Após nove anos ao lado do atual presidente do Corinthians, Rubão dá os detalhes de como contrato com a "Vai de Bet" criou racha na diretoria

Rubens Gomes trabalhou nove anos ao lado de Augusto Melo, projetando a campanha, estudando formas de fortalecer o candidato e sendo o grande articulador político da chapa “Corinthians Mais Forte”. No entanto, bastaram quatro meses após a eleição para que o homem forte do presidente fosse demitido. No último domingo (5), o ex-diretor de futebol do Corinthians concedeu sua primeira entrevista, abriu a caixa de Pandora da atual gestão e explicou os motivos de sua saída do clube.

O racha de Rubão com o atual presidente começou ainda nas primeiras semanas após a eleição. Segundo a versão do ex-cartola, Augusto Melo disse que toda a negociação com a “Vai de Bet”, a maior do futebol brasileiro, foi realizada sem a presença de um intermediário. Porém, após a finalização do contrato, a empresa Rede Social Media Design, de Alex Fernando André, surgiu como facilitadora da operação.

Ao estranhar a divergência no discurso do presidente, Rubão foi questioná-lo pessoalmente no CT Joaquim Grava, mas a indagação não foi bem recebida.

— Eu fui perguntar: você falou que não tinha intermediário? Quem é esse cara? Quem é essa empresa? “Você está desconfiado?” (Augusto teria questionado). Não, não estou desconfiado de você. Nunca. Se eu estou te perguntando, é porque eu quero saber — contou Rubão em entrevista ao programa “Mesa Redonda”, da TV Gazeta.

— E aí ele… Ficou assim, tal. Não gostou muito da indagação. Eu olhei para ele e falei: só estou te perguntando porque nós estamos aí numa jornada. E você me falou na minha casa que era sem intermediário e agora apareceu uma empresa. Você está sabendo disso? Até onde você sabe disso? E aí? Daí para frente — declarou Rubão, dando a entender que a relação entre os dois ficou estremecida após o episódio.

Ainda segundo o relato do ex-diretor, Augusto afirmou que teria renegociado o valor referente à intermediação — de 10% para 7%. Ao todo, a casa de apostas pagará ao Timão R$ 360 milhões, divididos em três anos. Ou seja, a empresa de Alex embolsará cerca de R$ 25,2 milhões.

Relação tensa e discussão com presidente do Conselho

A partir dali, o panorama político escalou para algo fora das paredes do clube, principalmente após a entrevista de Rubão ao ge, onde ele revelou pela primeira vez a suposta existência de um “governo paralelo” no Corinthians, que seria comandado por Romeu Tuma Jr., presidente do Conselho Deliberativo do Corinthians.

Na visão de Rubão, Tuma liderava uma sabotagem à atual diretoria com a criação de comissões temáticas em diversas áreas (jurídica, financeira, etc.). Assim que foi eleito pelo Conselho, em fevereiro, o atual presidente criou comissões temporárias para fiscalizar as ações da gestão. Vale ressaltar que é dever dos conselheiros aprovar contas e orçamentos e, caso necessário, abrir um processo de impeachment.

No entanto, após conversar com o presidente do CD, o ex-diretor foi surpreendido ao saber que Augusto Melo já não o defendia mais, apesar de suas demonstrações de lealdade à gestão.

— Eu conversei com o Romeu e tudo certo. E ele falou para mim assim, com esse termo: “Esse presidente é covarde, porque eu fui conversar com ele. Você estava me atacando, mas defendendo ele, e ele não te defendeu” — declarou Rubão.

Rubão não vai se juntar à “Renovação e Transparência”

Por fim, Rubão também foi categórico ao afirmar que não há a menor possibilidade de se juntar à chapa “Renovação e Transparência”, comandada pelo ex-presidente Andrés Sanchez, que foi derrotada na última eleição.

— Eu vou fiscalizar o Corinthians como sempre fiscalizei. Mas quero falar uma coisa muito importante. Não há a menor chance de eu me juntar à “Renovação e Transparência”. Eu fui o maior crítico deles. Eu respeito, eu respeito todos eles, como eles me respeitam, só que não há a menor possibilidade de me juntar a eles. Porque eu combati eles durante 16 anos. Nunca fiz parte do grupo deles. Então, não tenho a menor chance de me juntar a eles — concluiu.

Após a demissão de Rubão, Augusto Melo prometeu, em entrevista concedida após o lançamento das novas camisas do Corinthians, que não contratará outro nome para o cargo. A partir de agora, o departamento de futebol será formado pelo executivo, Fabinho Soldado, e pelo diretor-adjunto, Fenando Alba.

Foto de Livia Camillo

Livia Camillo

Formada em jornalismo pelo Centro Universitário FIAM-FAAM, escreve sobre futebol há cinco anos e também fala sobre games e cultura pop por aí. Antes, passou por Terra, UOL, Riot Games Brasil e por agências de assessoria de imprensa e criação de conteúdo online.
Botão Voltar ao topo